Destaques da bolsa

TEMPO REAL: Imobiliárias sobem forte; Sabesp e Eletrobras avançam com proventos

Acompanhe aqui a atualização dos principais destaques da Bolsa nesta sexta-feira

Por  Paula Barra

14h05 (1ª versão às 10h14): Imobiliárias
As ações da Rossi (RSID3) seguem entre os maiores ganhos do Ibovespa, com valorização de 4,85%, a R$ 1,73, depois da divulgação do resultado do quarto trimestre. O moivmento ajuda a impulsionar as ações de outras imobiliárias: PDG Realty (PDGR3+5,19%, R$ 1,42) – maior alta do índice -, MRV Engenharia (MRVE3+1,64%, R$ 8,05) e Cyrela (CYRE3, +1,89%, R$ 13,50).  

A construtora e incorporadora Rossi teve lucro líquido de R$ 2,5 milhões de reais entre outubro e dezembro, ante prejuízo de R$ 338,4 milhões um ano antes. Mas o resultado ficou abaixo dos R$ 11,5 milhões esperados por analistas. O Ebitda ajustado foi de R$ 124,3 milhões, ante um resultado negativo de R$ 193,6 milhões um ano antes. 

Segundo a XP Investimentos, o resultado operacional veio em linha com as expectativas, tanto de receita quanto Ebitda. A empresa vem passando por um processo de reestruturação, com foco na redução do endividamento. Aliado a isso, ao expurgar os gastos com juros incorridos, observa-se que a empresa está gerando caixa operacional, seria a primeira vez, agora no 4T13 que isso ocorreu no ano de 2013, comentaram os analistas.

12h56: Petrobras
As ações Petrobras (PETR3; PETR4), que chegaram a cair mais de 1% nesta sessão, amenizaram o movimento negativo. Enquanto os papéis ordinárias avançam 0,20%, a R$ 14,85, os preferenciais registram queda de 0,71%, a R$ 15,46. O movimento ocorre depois de terem disparado na véspera. Ontem, as ações da estatal subiram mais de 7% com uma pesquisa da CNI/Ibope que apontava queda na popularidade da presidente Dilma Rousseff entre os eleitores.  

12h52: Sabesp
As ações da Sabesp (SBSP3, +4,49%, R$ 21,18) sobem forte nesta sessão, depois da companhia anunciar pagamento de proventos aos seus acionistas. O conselho de administração da empresa aprovou o pagamento de R$ 537,464 milhões em juros sobre capital próprio, o que representa R$ 0,7863 por ação ordinária. 

Uma notícia ruim, no entanto, aparece no radar da empresa. O nível de água do Sistema Cantareira, que abastece mais da metade da região metropolitana de São Paulo, manteve a trajetória de queda e ficou abaixo do nível de 14%, segundo dados no site da companhia desta sexta-feira. O nível do sistema atingiu 13,8% hoje. Na véspera, estava em 14%.

12h29: Souza Cruz
As ações da Souza Cruz (CRUZ3) caem 0,29%, a R$ 20,64, depois de ter atingido desvalorização de 1,16% na mínima do dia, a R$ 20,46. A fabricante de cigarros foi condenada na véspera a pagar R$ 500 mil por dano moral a um ex-funcionário que trabalhou como provador de cigarros por dez anos e adquiriu pneumotórax, uma doença pulmonar grave. 

11h17: MMX
As ações da MMX Mineração (MMXM3) sobem pelo 2º dia consecutivo com as apostas de que a companhia voltará a integrar o Ibovespa – do qual foi excluído na última carteira. Os papéis da empresa, que chegaram a ter alta de 3,76%, aparecem neste momento com leves ganhos de 0,38% no pregão desta sexta-feira. Na véspera as ações da MMX tiveram forte alta de 8,54%, a R$ 2,67, após o HSBC e BTG Pactual avaliarem que os ativos MMXM3 devem voltar a integrar a nova carteira do índice válida para os meses de maio a agosto com uma participação de 0,02%. A nova carteira teórica do benchmark passará a valer a partir do dia 5 de maio e a primeira prévia ocorrerá no dia 1 de abril. 

O ingresso no Ibovespa, principal índice acionário da bolsa brasileira, costuma gerar grande pressão nos papéis de uma empresa, pois atualmente R$ 17,9 bilhões são alocados em fundos que acompanham o índice, de forma ativa ou passiva, segunda dados da Anbima. Portanto, o volume diário de negócios das ações na bolsa devem ser acima da média novamente. “

10h50: Eletrobras
As ações da Eletrobras (ELET3, +1,73%, R$ 6,47; ELET6, +2,55%, R$ 10,87) dão continuidade à forte valorização da véspera. Enquanto ontem os papéis subiam por conta da queda da popularidade da presidente Dilma Rousseff, segundo pesquisa CNI/Ibope, hoje refletem a proposta de distribuição de dividendos aos acionistas.

O conselho de administração da empresa encaminhará para deliberação em AGO (Assembleia Geral Ordinária) a remuneração de acionistas frente o exercício de 2013, sob a forma de juros sobre o capital próprio. O valor bruto é de R$ 0,39921083663 por ação ordinária, R$ 2,17825658673 por ação PNA e R$ 1,63369244005 por ativo preferencial classe B. Contudo, vale ressaltar que os ativos PNA da Eletrobras – ELET5 – possuem uma liquidez bastante baixa e teve o seu último negócio no final do ano passado. O dividend yield para os ativos ELET6 é de 15,4%, em relação ao fechamento da véspera. Vale ressaltar que as ações da companhia subiram 20% em duas semanas; quem tinha essas ações antes desse período receberá um dividend yield de 18%.

Apesar da proposta de dividendos, a Eletrobras registrou um prejuízo de R$ 6,287 bilhões em 2013, queda de 8,6% frente ao mesmo período de 2012, refletindo as novas tarifas de geração e transmissão dos ativos com concessões renovadas. No quarto trimestre de 2013, a companhia apresentou um prejuízo líquido de R$ 5,5 bilhões, tendo no terceiro trimestre de 2013 apresentado um prejuízo líquido de R$ 915 milhões e no quarto trimestre do ano anterior um prejuízo líquido de R$ 10,49 bilhões.

10h40: Oi
As ações preferenciais da Oi (OIBR4) sobem 2,20%, a R$ 3,25, enquanto as ordinárias (OIBR3), que não são negociadas no Ibovespa, avançam 3,13%, a R$ 3,30. A empresa disse, em fato relevante, que vai enviar à CVM (Comissão de Valores Mobiliários), o mais rápido possível, os esclarecimentos para retomar sua oferta pública de ações. A operação foi suspensa pela autarquia, por um prazo de 30 dias, depois de declarações dadas à imprensa ontem pelo presidente da companhia, Zeinal Bava. 

10h32: Aliansce
As ações da Aliansce (ALSC3) avançam 1,95%, sendo cotadas a R$ 18,31, repercutindo o resultado do 4º trimestre, que mostrou forte crescimento operacional apesar do fraco desempenho econômico e financeiro, avalia a equipe de análise da Planner Corretora. A administradora de shoppings centers apresentou receita líquida de R$ 128,6 milhões, crescimento de 24,2% em relação ao mesmo período de 2012. Já o Ebitda caiu 3,3% no mesmo período, para R$ 97,7 milhões, enquanto o lucro líquido recuou 53,4% frente igual período do ano anterior, para 20,8 milhões.

10h25: Sofisa
Fora do Ibovespa, as ações do banco Sofisa (SFSA4) disparam 5,38%, sendo cotadas a R$ 2,94, depois da divulgação do resultado. A instituição financeira teve alta de 1.015% no lucro líquido no quarto trimestre, passando para R$ 14,07 milhões. Em 2013, contudo, a queda foi de 17,5%, para R$ 20,5 milhões. 

A rentabilidade medida pelo ROAE totalizou 8,1% no quarto trimestre de 2013, com alta frente o valor de 3,4% do mesmo período de 2012. No trimestre, a carteira de operações de crédito, incluindo as operações cedidas com coobrigação, somou R$ 1,830 bilhão, queda de 1,8% frente ao mesmo período de 2012.

10h20: CPFL Energia
No setor de energia, destaque para as ações da CPFL Energia (CPFE3), que registram valorização de 1,46%, sendo cotadas a R$ 18,77, depois do resultado do quarto trimestre.  

A CPFL Energia teve aumento de quase 68% no lucro líquido do quarto trimestre, para R$ 323 milhões, influenciado principalmente por resultados das distribuidoras e menores custos e despesas operacionais. A média das estimativas de analistas obtidas pela Reuters apontava para lucro líquido de R$ 285,9 milhões. A empresa anunciou juntamente também a distribuição de R$ 568 milhões em dividendos complementares aos acionistas.

Compartilhe