After Market

S&P corta rating de 7 bancos; PWC tem vitória parcial em ação da Petrobras nos EUA

Confira os principais destaques corporativos desta segunda-feira

SÃO PAULO – Com a pauta política movimentada em meio ao aumento de rumores de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve aceitar um ministério no governo Dilma, o noticiário corporativo ficou em segundo plano nesta segunda-feira (14). Ainda assim, 5 notícias entraram no radar desta noite. Veja abaixo os principais destaques:

Petrobras
PricewaterhouseCoopers LLP teve vitória em decisão judicial nos EUA em processo aberto por investidores da Petrobras (PETR3; PETR4), que reclamam que a auditoria fez vistas grossas para a fraude na empresa. O juiz Jed Rakoff, da corte de Manhattan, desconsiderou muitas, mas não todas as reclamações do processo. Rakoff não decidu sobre o mérito e caso seguirá com menos reclamações, informou a Bloomberg. 

Bancos
A agência de classificação de risco Standard & Poor’s reduziu nesta noite os ratings em escala global de 7 bancos brasileiros: Daycoval, Paraná Banco, Banpará, Pine, China Construction Bank (Brasil) Banco Múltiplo, Banco Pan, Indusval. A agência disse que espera um processo de ajuste mais prolongado no Brasil, incluindo uma correção mais lenta na política fiscal, assim como mais um ano de contração econômica aguda. A S&P vê a tendência de risco econômico e do setor no Brasil como negativa. 

PUBLICIDADE

Eletrobras
F
urnas Centrais Elétricas, subsidiária da estatal federal de energia Eletrobras (ELET3; ELET6), lançou no fim de semana chamada pública para buscar investidores interessados em adquirir participação acionária em projetos de linhas de transmissão atualmente em fase de implementação. Em dificuldades financeiras, a Eletrobras não tem participado dos últimos leilões de linhas de transmissão. Uma fonte da estatal disse à Reuters recentemente que a holding avalia vender ativos em energia eólica para fazer caixa, além de planejar a privatização de suas distribuidoras de energia, a começar pela Celg-D, de Goiás.

Santander 
O Santander Brasil (SANB11) completou nesta segunda-feira a compra da empresa de meios de pagamento ContaSuper, por R$ 150 milhões. 
A ContaSuper, empresa fundada pelos brasileiros Marcio Salomão e Alfredo Moraes, tem 360 mil clientes e pode alcançar 1 milhão este ano, disse o presidente-executivo da companhia, Ezequiel Archipretre, em teleconferência. A companhia iniciante oferece conta digital com direito a transferências, DOCs, TEDs, saques nacionais e internacionais e compras online ou em lojas físicas por meio de um cartão. O Santander Brasil já tinha comprado 50 por cento da empresa em janeiro do ano passado.

Cosan Logística
A Cosan Logística (RLOG3) aprovou nesta segunda-feira o grupamento de suas ações na proporção de uma para quatro. A companhia também aprovou o aumento de capital de R$ 580 milhões, com emissão de 1.054.545.455 ações ordinárias. A operação será feita por meio de subscrição privada, ao preço de R$ 0,55 por ação. O aumento de capital visa fazer frente ao compromisso assumido pela companhia de aportar, no mínimo, R$ 500 milhões em capitalização que vem sendo estruturada pela Rumo Logística (RUMO3), conforme aprovado em reunião de 18 de fevereiro, informa a empresa. As ações da Cosan Logística adquiridas a partir do dia 15 de março não farão jus ao direito de preferência na subscrição do aumento de capital.

Especiais InfoMoney:

Como o “trader da Gerdau” ganhou meio milhão de reais na Bovespa em 2 meses 

InfoMoney faz nova atualização na Carteira Recomendada de março; confira

André Moraes diz o que gostaria de ter aprendido logo que começou na Bolsa

PUBLICIDADE