Santander passa a deter 65% da FIT Energia, Carf derruba cobrança de R$ 4 bi contra CSN

Confira os principais destaques do noticiário corporativo desta quinta-feira (7)

Felipe Moreira

Cristina Arias/Cover/Getty Images

Publicidade

O radar corporativo desta quinta-feira (7) traz prévia operacional da empresa de logística portuária Wilson Sons (PORT3) em fevereiro. Já o Santander (SANB11) concluiu investimento na FIT Energia.

Depois do fechamento do mercado, várias empresas divulgam seus resultados trimestrais, com destaque para os números da Petrobras (PETR4).

Na temporada de balanços, CSN Mineração (CMIN3) teve lucro de R$ 1,35 bilhão no quarto trimestre, alta anual de 56%. Já a CSN (CSNA3) viu o lucro saltar mais de quatro vezes no 4º trimestre, para R$ 851 milhões. Ainda no radar da companhia, segundo o Valor, o Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) derrubou na quarta-feira uma cobrança de R$ 4 bilhões contra a siderúrgica.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Grupo Mateus (GMAT3) lucrou R$ 388 mi no quarto trimestre, alta anual de 25%. Lojas Quero-Quero (LJQQ3) teve alta de 1.585% no lucro no 4º tri, para R$ 60,2 milhões. Valid (VLID3) teve alta de 44% no lucro no quarto trimestre, a R$ 36 milhões. SLC teve prejuízo de R$ 152,9 milhões no 4º trimestre de 2023. Na Oceanpact (OPCT3), o lucro somou R$ 20,6 milhões no quarto trimestre, queda de 28,7%. Guararapes (GUAR3), dona da Riachuelo, teve salto do lucro de 124,7% no quarto trimestre.

Confira mais destaques:

Santander (SANB11)

O Santander informou que, diante do cumprimento das condições precedentes
aplicáveis, sua subsidiária, Santander Corretora, formalizou o fechamento da operação de investimento na FIT Energia, de modo que, nesta data, o Banco Santander passou a deter, indiretamente, 65% do capital social total e votante da FIT Energia.

Continua depois da publicidade

Wilson Sons (PORT3)

A empresa de logística portuária Wilson Sons (PORT3) movimentou 94,3 mil TEUs (medida equivalente a um contêiner de 20 pés) em fevereiro, alta de 32,4% em relação ao volume reportado no mesmo período de 2023.

Gafisa (GFSA3)

A Gafisa (GFSA3) informou nesta quarta-feira que foi solicitada interrupção do prazo de convocação de assembleia geral extraordinária pelo fundo ESH Theta, prevista para 18 de março, sob o argumento de que o fundo não possui competência ou legitimidade, sob a ótica legal, para proceder à convocação direta da AGE.

Minerva (BEEF3)

A Minerva (BEEF3) informou nesta quarta-feira que aprovou décima quarta emissão debêntures simples, no valor de R$ 2 bilhões, em até três séries, conforme ata da reunião do conselho de administração.

Iochpe-Maxion (MYPK3)

A Iochpe-Maxion (MYPK3) reportou prejuízo líquido de R$ 7,5 milhões no quarto trimestre de 2023, contra perdas de R$ 141,5 milhões do mesmo período de 2022.

A Iochpe-Maxion aprovou o pagamento de dividendos no montante total de R$ 13.134.139,11, equivalentes a R$ 0,0874037 por ação. A data de corte que identificará os acionistas que farão jus aos dividendos será 11 de março de 2024, passando as ações a negociar “ex-dividendos” a partir de 12 de março de 2024. O pagamento dos dividendos será realizado em 02 de abril de 2024.

CSN (CSNA3)

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) teve lucro líquido de R$ 851,1 milhões no 4º trimestre de 2023, aumento de quatro vezes sobre os ganhos de R$ 196,8 milhões no 4º trimestre de 2022.

Ainda no radar da companhia, segundo o Valor, o Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) derrubou na quarta-feira uma cobrança de R$ 4 bilhões contra a CSN. A cobrança seria relativa à venda de participação da companhia na mineradora Namisa para um grupo asiático, de acordo com a reportagem.

CSN Mineração (CMIN3)

A CSN Mineração registrou lucro líquido de R$ 1,35 bilhão no quarto trimestre de 2023, uma alta de 56,02% na comparação com o mesmo período de 2022, refletindo a melhora no resultado operacional, com maiores preços e volumes, confirmando o excelente momento vivido pela companhia.

3R Petroleum (RRRP3)

A 3R Petroleum encerrou o quarto trimestre com lucro líquido consolidado de R$ 407,2 milhões, comparado a um prejuízo de R$ 39,0 milhões no mesmo período do ano anterior.

Grupo Mateus (GMAT3)

O Grupo Mateus (GMAT3) registrou aumento de 25% no lucro líquido no quarto trimestre de 2023 em relação a igual período de 2022, saindo de R$ 311 milhões para R$ 388 milhões. 

Lojas Quero-Quero (LJQQ3)

A Lojas Quero-Quero (LJQQ3) apresentou seu balanço do quarto trimestre de 2023 (4T23) na noite desta quarta-feira (6), com alta de 1.585% no lucro líquido em relação ao mesmo período de 2022, passando de R$ 3,6 milhões para R$ 60,2 milhões. Em termos ajustados, o lucro subiu 21,7%, para R$ 9,5 milhões.

Valid (VLID3)

A Valid (VLID3) reportou lucro líquido atribuído aos controladores de R$ 36 milhões no quarto trimestre de 2023 (4T23), montante 44% superior ao reportado no mesmo intervalo de 2022, informou a companhia nesta quarta-feira (6).

Oceanpact (OPCT3)

A empresa de serviços marítimos Oceanpact (OPCT3) registrou um lucro líquido de R$ 20,6 milhões no quarto trimestre de 2023, uma queda de 28,7% em relação a igual intervalo de 2022.

Guararapes (GUAR3)

A Guararapes (GUAR3), dona da Riachuelo, registrou um lucro líquido de R$ 229,76 milhões no quarto trimestre de 2023 (4T23), um crescimento de 124,7% na comparação com igual período do ano anterior.  No consolidado, a companhia encerrou 2023 com prejuízo de R$ 34,2 milhões, revertendo lucro líquido de R$ 51,9 milhões no ano anterior.

Dexco (DXCO3)

O lucro líquido da Dexco (DXCO3) caiu 10,3% na comparação entre o quarto trimestre de 2023 com o mesmo período de 2022, chegando a R$ 195,433 milhões.

Taesa (TAEE11)

A Transmissora Aliança de Energia Elétrica (Taesa – TAEE11) encerrou o quarto trimestre de 2023 com lucro líquido IFRS consolidado de R$ 481,7 milhões, alta de 2.001,2% na comparação com o mesmo intervalo de 2022, quando registrou R$ 22,8 milhões. Já o lucro líquido regulatório, que reflete a geração de caixa da companhia, foi de R$ 301,1 milhões, queda de 22,2% na mesma base de comparação.

Ferbasa (FESA4)

A companhia de mineração, Ferbasa (FESA4), apresentou lucro líquido de R$ 55 milhões no quarto trimestre de 2023 (4T23), com queda de 63,8% em relação ao mesmo período do ano anterior. A receita líquida, por sua vez, ficou em R$ 541,7 milhões, com ligeiro recuo de 24,2% na comparação com o quarto trimestre de 2022.

Lavvi (LAVV3) 

A construtora Lavvi (LAVV3) registrou lucro líquido de R$ 88,1 milhões no quarto trimestre de 2023 (4T23), montante 171% superior ao reportado no mesmo intervalo de 2022.

d1000 (DMVF3)

A d1000 reportou lucro líquido de R$ 10,3 milhões no quarto trimestre de 2023 (4T23), s, multiplicando em 2,4 vezes o lucro apurado no 4T22.

WDC (LVTC3)

A WDC, Livetech da Bahia, reportou prejuízo líquido ajustado de R$ 9,9 milhões no quarto trimestre de 2023 (4T23), revertendo lucro de R$ 1,6 milhão do mesmo intervalo de 2022.

Profarma (PFRM3)

A Profarma registrou aumento de 398% no lucro líquido no quarto trimestre de 2023 em relação a igual período de 2022, saindo de R$ 5,9 milhões para R$ 29,2 milhões. 

Estapar (ALPK3)

A Estpar saiu de um prejuízo líquido e R$ 43,9 milhões no 4T22 para R$ 8,8 milhões no 4T23, redução de 80% na base anual.

Log-In (LOGN3)

A empresa de logística Log-In (LOGN3) registrou um prejuízo líquido de R$ 35,9 milhões no quarto trimestre de 2023, ante lucro de R$ 288,5 milhões em igual período do ano anterior, informou a empresa nesta quarta-feira.