Grandes bancos dos EUA

JPMorgan e Morgan Stanley têm resultados decepcionantes no 2º tri e reforçam tom pessimista dos mercados

Bancos americanos veem lucro cair com aumento de provisões, enquanto receitas são afetadas com recuo do volume de transações

Por  Equipe InfoMoney -

Os primeiros dados divulgados pelos grandes bancos americanos na temporada de balanços do segundo trimestre de 2022  já deram o tom do que deve ser um período de resultados marcado por forte cautela em meio às preocupações sobre uma possível recessão.

O JPMorgan (JPMC34) divulgou nesta quinta-feira uma queda de 28% no lucro do segundo trimestre, para US$ 8,65 bilhões, resultado pior do que o esperado por analistas, à medida que o maior banco dos Estados Unidos reservou mais dinheiro para cobrir potenciais perdas com empréstimos diante dos crescentes riscos de recessão econômica.

O lucro por ação do maior banco dos EUA entre abril e junho foi de US$ 2,76, abaixo do consenso de analistas consultados pela FactSet, de US$ 2,89. Já a receita do JPMorgan atingiu US$ 30,72 bilhões no segundo trimestre, ante US$ 30,48 bilhões no mesmo intervalo de 2021. O resultado, porém, também ficou abaixo da projeção da FactSet, de US$ 31,81 bilhões.

O banco registrou US$ 1,1 bilhão em provisões para perdas com crédito, número que se compara com os US$ 3 bilhões  liberados em reservas pela instituição no ano passado.

Os quatro maiores bancos dos EUA, aponta a Reuters, devem registrar US$ 3,5 bilhões em provisões para perdas no trimestre, enquanto se preparam para uma forte desaceleração econômica, uma vez que o Federal Reserve, o banco central norte-americano, aumenta agressivamente as taxas de juros para controlar a inflação.

O presidente-executivo do JPMorgan, Jamie Dimon, sinalizou uma série de preocupações, incluindo tensão geopolítica, elevada inflação, diminuição da confiança do consumidor e um aperto quantitativo “nunca antes visto” à medida que crescem as ameaças ao crescimento econômico global.

Nos EUA, no entanto, a economia continua a crescer e tanto o mercado de trabalho quanto os gastos do consumidor permanecem saudáveis, disse Dimon.

O JPMorgan também suspendeu temporariamente recompra de ações para reforçar ainda mais seus níveis de capital.

A receita do JPMorgan com a unidade de banco de investimento caiu 61%, para US$ 1,4 bilhão, prejudicada principalmente por comissões mais baixas com assessoria de transações e ofertas de ações e de títulos de dívida.

A invasão da Ucrânia pela Rússia em fevereiro e os temores de uma recessão econômica derrubaram a atividade de fusões e aquisições (M&A, na sigla em inglês) em 2022. O valor dos negócios anunciados globalmente no segundo trimestre caiu 25,5% ano a ano, para 1 trilhão de dólares, de acordo com os dados da Dealogic.

Morgan Stanley também decepciona

Na sequência, o Morgan Stanley (MSBR34) também divulgou os seus números com um lucro abaixo das estimativas pela primeira vez em nove trimestres. A sua unidade de banco de investimento teve dificuldades para lidar com uma queda nas transações corporativas em todo o mundo.

O banco teve lucro de US$ 2,4 bilhões, ou  US$ 1,39 por ação, no trimestre encerrado em 30 de junho, uma queda de 29,4% em comparação com US$ 3,4 bilhões de dólares, ou US$ 1,85 por ação, um ano antes. Analistas, em média, esperavam um lucro de US$ 1,53 por ação, segundo dados compilados pela Refinitiv.

A receita com banco de investimentos do Morgan Stanley caiu 55%, para US$ 1,1 bilhão, sendo que a receita com comissões em assessoria de transações cedeu 10%. Os faturamentos com subscrição de ações e de renda fixa caíram 86% e 49%, respectivamente.

O negócio de gestão de patrimônio (wealth management) do Morgan Stanley, que é visto como uma fonte durável de receita, fez pouco no trimestre para compensar o recuo no volume de transações. A receita da unidade caiu 6% e contribuiu para um recuo de 11% na receita líquida do banco (para US$ 13,13 bilhões) e para a redução de cerca de 30% no lucro.

O banco também disse que teve uma despesa de US$ 200 milhões por causa de uma questão regulatória ligada ao uso de dispositivos pessoais não aprovados e requisitos de manutenção de registros.

Poucos minutos antes de Wall Street abrir, os papéis do JPMorgan caíam 3,14%, a US$ 108,40, na Bolsa de Nova York, enquanto que os do Morgan tinham perdas menores, de 0,92%, a US$ 74,29. Já por volta das 11h20 (horário de Brasília), as perdas eram maiores, de 4,33% (US$ 107,06) para a ação do JP e de 2,05% (US$ 73,44) para o do Morgan.

Outros grandes bancos dos EUA, incluindo Citigroup e Wells Fargo  divulgam resultados esta semana, enquanto Goldman Sachs e Bank of America publicam seus números semana que vem, podendo dar mais indicações sobre as preocupações das grandes instituições com a economia e o impacto já nos resultados.

(com Reuters)

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Compartilhe