Resultado do banco

Santander Brasil (SANB11) tem lucro gerencial de R$ 4 bi no 1º trimestre, alta de 1,3% na base anual

Já o lucro líquido societário foi de R$ 3,946 bilhões no primeiro trimestre de 2022 (1T22), o que representa um crescimento de 40,1%

Por  Felipe Moreira -

O Santander (SANB11) teve lucro gerencial de R$ 4,005 bilhões no no primeiro trimestre de 2022 (1T22), avanço de 1,3% frente ao resultado do 1T21. O número ficou em linha com a previsão da Refinitiv, de R$ 4,026 bilhões.

Já o lucro líquido societário foi de R$ 3,946 bilhões, o que representa um crescimento de 40,1% em relação ao mesmo trimestre de 2021.

A margem financeira líquida foi de R$ 9,327 bilhões nos três primeiros meses de 2022, retração de 9,1% em relação ao mesmo período do ano passado.

O retorno sobre patrimônio líquido médio (ROAE, na sigla em inglês) atingiu 20,7% entre janeiro e março deste ano, alta de 0,1 ponto percentual (p.p.) na comparação com igual etapa de 2021.

O resultado operacional totalizou R$ 5,210 bilhões nos três primeiros meses de 2022, uma redução de 19,1% em relação ao mesmo trimestre de 2021.

A receita de prestação de serviços e tarifas bancárias somou R$ 4,617 bilhões no primeiro trimestre de 2022, crescimento de 5,7% frente à receita do primeiro trimestre do ano passado, em função do crescimento de 30,9% do faturamento de crédito e expansão da base de clientes.

O resultado de créditos de liquidação duvidosa somou R$ 4,612 bilhões, aumento de 45,9% no ano e de 24,9% no trimestre, acompanhando a dinâmica do mix de produtos, principalmente em pessoa física, em virtude do cenário macro do país.

As despesas gerais totalizaram R$ 5,534 bilhões no 1T22, aumento de 10,5% na comparação com igual etapa de 2021.

A carteira de crédito do Santander atingiu a cifra de R$ 455,166 bilhões nos três primeiros de 2022, um crescimento de 7,2% em relação ao mesmo período de 2021. Os segmentos de pessoa física e pequenas e médias empresas apresentaram crescimento de 19,0% e 12,2%, respectivamente. O segmento de grandes empresas apresentou queda de 10,8% principalmente pela variação cambial do período e menores renovações de operações.

Já a carteira de crédito ampliada totalizou R$ 521,929 bilhões no 1T22, alta de 4,9% frente ao 1T21.

O índice de inadimplência (acima de 90 dias) atingiu 2,9% no primeiro trimestre, alta de 0,77 ponto percentual na comparação com igual etapa de 2021.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

Compartilhe