Perspectivas

Reforma do IR, fim da temporada de balanços e dados na China e EUA: o que acompanhar nesta semana

Tudo que o investidor precisa saber antes de operar na semana

O plenário da Câmara dos Deputados (Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados)

SÃO PAULO – Após mais uma semana bastante movimentada na Bolsa brasileira, os investidores agora terão um pequeno “alívio” com o calendário de indicadores, enquanto o lado político do noticiário promete manter a agitação nos negócios.

Um dos principais temas que tem guiado o mercado e que seguirá no radar nos próximos dias é a reforma do Imposto de Renda, cujo debate tem gerado apreensão entre os investidores com a falta de acordos e com as mudanças propostas.

Na semana passada, a Câmara dos Deputados decidiu adiar a votação da reforma para esta terça-feira (17). Entre os motivos para o adiamento, parlamentares avaliaram que é necessário debater o projeto para evitar que estados e municípios sejam prejudicados com perda de arrecadação.

Outra discussão importante no Congresso é a reforma eleitoral, que na última semana teve aprovado o chamado “distritão” e a volta das coligações partidárias nas eleições proporcionais (para deputados federais, estaduais e vereadores). Para esta semana está prevista a votação em segundo turno e os destaques da PEC.

Ainda no campo político, pode impacta o mercado nesta semana a discussão da PEC dos Precatórios, além do reajuste do Bolsa Família. Importante ainda acompanhar os debates da CPI da Covid, que tem sido bastante agitada nas últimas semanas.

Calendário corporativo e de indicadores

Já a agenda corporativa dá uma “folga” para os investidores com o fim da temporada de balanços do segundo trimestre. Nesta segunda-feira (16) estão previstos os últimos 11 resultados, com destaque para IRB Brasil (IRBR3), Méliuz (CASH3), Gafisa (GFSA3) e Yduqs (YDUQ3).

Entre os indicadores, a semana também é um pouco mais tranquila, sendo que no Brasil as atenções se voltam para números de inflação como o Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10), divulgado na terça-feira (17).

No exterior, ainda neste domingo à noite sai uma bateria de importantes números na China, com destaque para a Produção Industrial de julho, cujos analistas consultados pela Refinitiv esperam uma alta de 7,8% na comparação anual, contra 8,3% apresentados no mês anterior.

Além disso será apresentado os dados chineses de vendas no varejo, que deve avançar 11,5% contra o mesmo período de 2020, de acordo com os economistas consultados pela Refinitiv. Em junho o varejo do país cresceu 12,1%.

PUBLICIDADE

Os mesmo dois indicadores serão divulgados nos Estados Unidos na terça, com projeção dos analistas de que o varejo recue 0,2% em julho na comparação mensal (contra alta de 0,6% em junho), enquanto a produção industrial tenha crescimento de 0,5%, leve melhora sobre a alta de 0,4% no mês anterior.

“Os indicadores [na China e EUA] devem seguir mostrando avanço da atividade econômica no terceiro trimestre embora com sinais de acomodação, em especial no caso da economia chinesa”, avaliam os analistas do Bradesco.

Quer atingir de uma vez por todas a consistência na Bolsa? Assista de graça ao workshop “Os 4 Segredos do Trader Faixa Preta” com Ariane Campolim.