Radar InfoMoney

Rede D’Or (RDOR3) e RD (RADL3) aprovam JCP, MRV (MRVE3) vende ativos nos EUA; Vivo (VIVT3) e BRF (BRFS3) emitem debêntures e mais

Confira os destaques do noticiário corporativo na sessão desta sexta-feira (1)

Por  Felipe Moreira -

O noticiário corporativo desta sexta-feira (1) tem como destaque o pagamento de juros sobre capital próprio (JCP) pela Rede D’or (RDOR3) e Raia (RADL3).

A Telefônica (VIVT3) e BRF (BRFS3) aprovaram emissões de debêntures bilionárias.REDE

Já a Omega (MEGA3) informou que o fundo Actis adquiriu mais de 12% do capital social da companhia.

A MRV (MRVE3), por sua vez, vendeu ativos nos EUA por US$ 195 milhões.

Confira mais destaques:

Rede D’Or (RDOR3)

Conselho de administração da Rede D’or (RDOR3) aprovou distribuição de R$ 219,3 milhões em JCP, ou R$ 0,111 brutos por ação. O pagamento será realizado no dia 16 de julho. As serão negociadas ex a partir de 7 de julho.

Raia Drogasil (RADL3)

A Raia Drogasil (RADL3) aprovou pagamento de juros sobre capital próprio (JCP) de R$ 74 milhões, ou R$ 0,0449 brutos por ação. As ações serão negociadas ex-direito a partir de 6 de julho.

Telefônica (VIVT3)

O conselho de administração da Telefônica (VIVT3) aprova sétima emissão de debêntures, no valor de R$ 3,5 bilhões.

BRF (BRFS3)

Conselho de administração aprovou quarta emissão de debêntures, no valor de R$ 1,7 bilhão.

Ômega Energia (MEGA3)

A Ômega Energia (MEGA3) confirmou que fundo Actis comprou 12,38% do capital do capital social da companhia, ao preço de R$ 12,75 por ação e movimentou R$ 905 milhões.

MRV (MRVE3)

A MRV (MRVE3) concluiu a venda de dois empreendimentos na Flórida (EUA) com valor geral de vendas (VGV) de US$ 195 milhões.

Os ativos vendidos foram os empreendimentos Village at Tradition e Harbour Grove, da Resia (ex AHS).

A venda conjunta dos empreendimentos representa um lucro bruto de US$ 71,6 milhões, implicando em um cap-rate atrativo de 4,2% e yield on cost de 6,7% mantendo aproximadamente os níveis de preço da venda do projeto anterior (Coral Reef), destaca a equipe de análise da XP.

CSN (CSNA3)

A CSN (CSNA3) informou que conclui compra da Santa Ana Energética por meio da CSN Cimentos e CSN Energia. O valor não foi revelado.

TC Traders Club (TRAD3)

Em esclarecimentos à B3, a companhia diz que divulgou, nesta quinta-feira (30), o fato relevante, informando acerca da existência de um vídeo de autoria desconhecida, em circulação em grupos de WhatsApp, onde uma atriz fantasiada de palhaço imputa à companhia e a determinados colaboradores a prática de condutas ilícitas, em alegada infração à legislação de mercado de capitais.

Ainda que a circulação do referido vídeo não se caracterize como ato ou fato relevante ocorrido ou relacionado aos negócios da companhia, a companhia entendeu pela divulgação de seus esclarecimentos no formato de Fato Relevante de modo reestabelecer a verdade de forma ampla e irrestrita, em proteção aos acionistas e participantes do mercado que possam vir a ser eventualmente prejudicados pela divulgação de fake news.

Valid (VLID3)

A Valid (VLID3) vendeu ativos dos segmentos de pagamentos e identificação nos EUA para Giesecke+Devrient por valor não revelado.

Oi (OIBR3)

Roger Solé Rafols, por razões de ordem pessoal, apresentou na última quinta-feira (30) sua renúncia ao cargo de membro do Conselho de Administração da Companhia.

Dasa (DASA3)

A Dasa (DASA3) informou que direito de recesso pela compra do CDBB termina no fim de julho e reembolso será de R$ 6,30 por ação.

Além disso, Pedro de Godoy Bueno pediu renunciou ao seu cargo no Conselho de Administração. Carlos de Barros Jorge Neto assume a vaga.

Pague Menos (PGMN3)

A Pague Menos (PGMN3) aprovou emissão de R$ 500 milhões em debêntures com prazo de 4 anos.

PDG Realty (PDGR3)

A PDG Realty (PDGR3) marca assembleia em 1º de agosto para discutir aumento de capital de R$ 409,5 milhões em emissão privada de 266 milhões de ações, a R$ 1,54 cada.

Operação ocorrerá mediante capitalização dos créditos detidos pelos credores da companhia; atuais acionistas terão direito de preferência.

Ser Educacional (SEER3)

A Ser Educacional (SEER3) comprou Centro Universitário 7 de Setembro, de Fortaleza, por R$ 10 milhões.

CVC (CVCB3)

O Bank of America reduziu participação para 3,9% do capital social da CVC.

Cemig (CMIG4)

O Banco Clássico ampliou participação para 15,6% do capital total da Cemig, sendo 30,07% das ordinárias e 8,34% das preferenciais.

SYN (SYNE3)

A SYN Prop & Tech.SA, anteriormente conhecida como Cyrela Commercial Properties, anunciou na quinta a compra de 10% da startup CondoConta por US$ 4,46 milhões, segundo fato relevante ao mercado.

A startup atua como um banco digital para condomínios e oferece serviços como financiamento para obras e equipamentos, seguros e receita garantida de condôminos inadimplentes, afirmou a SYN.

“Esta aquisição faz parte da estratégia de diversificação de investimentos em empresas de tecnologia que tenha sinergia com a companhia”, disse a SYN no fato relevante.

BR Properties (BRPR3)

Os acionistas da gestora de ativos imobiliários BR Properties (BRPR3) aprovaram  a venda pela empresa de uma série de edifícios e participações em empreendimentos no valor total de R$ 5,92 bilhões à gestora canadense Brookfield, segundo ata de assembleia.

Nesta semana, a Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) recomendou a aprovação, sem restrições, do negócio, anunciado em meados de maio.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

Compartilhe