Quer aprender um segundo idioma? Decida que tipo de aula vale mais a pena

Nem todos conseguem aprender com aulas regulares, por isso, têm de recorrem às particulares ou diferenciadas

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – Atualmente, para se conseguir um bom emprego, é necessário falar um ou dois idiomas extras, no mínimo. Por isso, os cursos de línguas estrangeiras são cada vez mais comuns e, conseqüentemente, ficam cada vez mais em conta.

No entanto, nem todas as pessoas conseguem aprender tudo o que poderiam com aulas regulares. Dessa maneira, recorrem às aulas particulares ou a outros métodos de ensino diferenciados.

Diferenças

Nas redes Fisk e PBF (Pink and Blue Freedom), que oferecem aulas de inglês e espanhol, o aluno pode optar pelos cursos regulares ou pelo ensino personalizado, cujas classes possuem no máximo oito alunos, de diferentes níveis de conhecimento.

Tais programas de ensino permitem que a pessoa receba atendimento individualizado e faça o curso em seu próprio ritmo. Por isso, são indicados tanto para as pessoas que demoram mais para aprender quanto para as que o fazem mais rápido.

Além disso, os cursos personalizados também são boas opções para profissionais que têm uma vida atarefada e precisariam faltar às aulas por conta de compromissos de trabalho.

Quanto custa

No caso do Fisk, o preço médio dos cursos regulares é de R$ 120 para o nível básico, R$ 130 para o intermediário e R$ 140 para o avançado. Para os cursos personalizados, os valores são de R$ 130, R$ 140 e R$ 150, respectivamente. Em ambos, o preço médio do material é de R$ 130.

Já os custos médios no PBF variam de R$ 120 (para duas horas semanais) a R$ 229 (quatro horas). Além dos cursos regulares e personalizados, a rede ainda dispõe de aulas particulares e individuais, cujos preços são avaliados de acordo com a unidade e com as necessidades do aluno.

Para não errar na escolha

Antes de avaliar os preços dos cursos, é preciso pensar em uma série de fatores, como localização da escola, horário das aulas, possibilidade de repor conteúdo, em caso de faltas, e de realizar atividades extras, como conversação e escuta em laboratórios.

Também é muito importante escolher a modalidade que mais se encaixa em seu perfil: aulas normais, com a sala um pouco mais cheia; personalizadas, podendo trocar experiências com pessoas de outros níveis; ou individuais, com a atenção total do professor.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Compartilhe