Quase 30% das faturas de cartão de crédito estão entre R$ 100 e R$ 300

Pesquisa mostrou que 9% dos entrevistados afirmaram não ter nenhuma cobrança com o meio de pagamento

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – O valor da fatura de cartão de crédito mais recorrente entre os brasileiros é de R$ 100 a R$ 300. Pesquisa Tracking de Cartões, divulgada na última quinta-feira (30) pelo Ibope Inteligência, mostrou que 29% dos entrevistados apontam como sendo essa a faixa de gasto estipulada para pagamento. Outros 9%, por sua vez, não tiveram qualquer desembolso com o meio de pagamento.

O questionamento feito aos entrevistados é direcionado exclusivamente ao valor estipulado na última cobrança que receberam, independentemente de nela constarem anuidade do plástico, juros do rotativo, entre outros. “Não quer dizer quanto ela gastou no mês anterior e nem se a pessoa chegou a pagar. É apenas quanto veio estipulado na fatura”, esclareceu a diretora executiva de atendimento e planejamento da empresa, Laure Castelnau.

Comportamento geral

Ainda é pequena a parcela daqueles que possuem um débito superior a R$ 900, somando 6% dos entrevistados. Na tabela abaixo, é possível verificar o comportamento geral:


Valor da última fatura recebida
Faixa da cobrançaProporção
Zero9%
Até R$ 10016%
Acima de R$ 100 e até R$ 30029%
Acima de R$ 300 e até R$ 50013%
Acima de R$ 9006%
Não soube/não respondeu17%

Fonte: Ibope

Conforme dados da Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Crédito e Serviços), são quase 90 milhões de cartões do tipo em circulação.

A pesquisa

A pesquisa do Ibope Inteligência entrevistou, durante duas semanas, cerca de 14,4 mil pessoas com 18 anos ou mais, das regiões metropolitanas de Belo Horizonte, Campinas, Curitiba, Distrito Federal, Florianópolis, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

O mesmo estudo constatou que o nível de inadimplência dos consumidores com o plástico é de 5%, ante 18% dos clientes que estão endividados. Outros 72% afirmam estar com o pagamento em dia e 5% não quiseram ou não souberam responder.

Compartilhe