Oportunidade na crise

“Quanto mais os preços dos ativos caem, mais nós compramos”, diz Howard Marks

Vice-presidente e um dos sócios-fundadores da Oaktree Capital, uma das maiores gestoras do mundo, disse nunca ter visto uma crise como a do coronavírus

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO — A pandemia de coronavírus pegou muitos investidores de surpresa e derrubou os preços dos ativos, mas abriu muitas oportunidades. A avaliação é de Howard Marks, vice-presidente e um dos sócios-fundadores da Oaktree Capital, uma das maiores gestoras do mundo.

Em live da XP Investimentos, Marks disse que nunca viu uma crise como a atual, gerada pelo coronavírus, e contou qual é a sua expectativa sobre o que ainda teremos pela frente na economia global e nos investimentos.

Aprenda a investir na bolsa

“Estamos vendo uma rápida desaceleração das economias do mundo como nunca havíamos visto. Há uma doença à solta e as pessoas têm que ficar em casa para evitarmos a disseminação, o que significa parar a economia”, disse.

” O Fed [banco central americano] e o Tesouro têm que prover suporte para a subsistência dessas pessoas. Aprovaram uma lei para dar um cheque, uma ajuda financeira emergencial para os cidadãos. Não sei se é suficiente para que eles passem um mês, ainda mais se precisarem ficar em casa por mais um ou dois meses. Eu mesmo já estou em casa há semanas”, completou.

Na visão de Marks o governo americano deve continuar apoiando as pessoas financeiramente para que elas fiquem em casa. “O governo vai continuar dando dinheiro para a população? Eu imagino que sim. Imagino que o Fed não medirá esforços para solucionar a situação.”

Quanto aos investimentos, o sócio-fundador da Oaktree disse estar gostando das oportunidades criadas com a queda nos preços dos ativos na Bolsa. “Nós vimos nas últimas semanas uma queda irracional nos preços das ações. Quanto mais os preços caem, mais nós compramos. Na última terça essa baixa amenizou a medida que o governo americano começou a adotar medidas para frear o coronavírus.”

“O ‘big money’ e o ‘easy money’ em investimentos são gerados através das coisas que outras pessoas não querem ou têm medo de fazer. Geralmente isso inclui investir em período de tensão nos mercados”, afirmou Marks.

Segundo ele, no entanto, “o segredo para o sucesso no investimento de longo prazo não é acertar ocasionalmente, é muito mais se defender no longo prazo e tomar risco sabiamente”.

PUBLICIDADE

Sobre risco, ele fez uma analogia a um acidente de carro: “quando o acidente acontece já é tarde demais para se tornar um motorista prudente”, ressaltando que nenhum modelo poderia prever uma crise como essa de hoje, mas que os bons investidores deveriam ter suas posições protegidas.

“Quem leu meu livro ‘Dominando o ciclo de mercado’ saberia que, no momento de maior otimismo e retornos excelentes, é nessa hora que se deve correr para a segurança”, disse.

Quanto aos setores com maiores oportunidades na crise, Marks citou que geralmente são os que mais caem — consequentemente são os mais prejudicados pelo avanço da epidemia.

Um deles é o setor de petróleo, já que os preços da commodity caíram demais tanto pelo coronavírus, que derrubou a demanda global pelo produto, quanto pela guerra travada entre Arábia Saudita e Rússia.

“Não sabemos o cenário futuro para o setor de petróleo, mas os preços estão realmente baixos”, afirmou. Ele também citou o setor de cruzeiros marítimos, que foi altamente prejudicado pela crise, mas que “vai se recuperar algum dia”.

“Em 2021 a economia vai recuperar e o PIB dos EUA vai superar 2019. Talvez sim, talvez não. Mas em algum momento vai voltar, isso não muda. Então, estamos felizes em poder aproveitar essas oportunidades hoje. A maioria das pessoas procuram os setores que devem ir bem e investem neles. A questão deveria ser quais setores vão se sair bem e ninguém sabe disso ainda?”, afirmou.

Sobre ao apetite ao risco dos investidores, Marks disse que é comum observar uma queda drástica após um choque como o atual, mas que a vontade de se expor ao risco vai voltando lentamente com o tempo.

“As pessoas dizem que vão evitar risco no futuro. É o que naturalmente acontece quando se perde muito dinheiro numa crise. Mas quem ficou [no mercado de risco] acaba ganhando muito dinheiro com a retomada. E aí quem saiu por medo acaba ficando com inveja e volta”

PUBLICIDADE

O sócio da Oaktree indicou dois livros sobre investimentos que ele recomenda, além dos seus próprios livros. Um deles é o “Fooled by Randomness”, do Nassim Nicholas Taleb, e o outro é “A Short History of Financial Euphoria”, de John Kenneth Galbraith.

Está na hora de mudar de carreira: conheça o MBA Ações & Stock Picking do InfoMoney + Ibmec, o primeiro do Brasil totalmente dedicado ao mercado de ações.