Fundo multimilionário

Projetos Terra começam migração para blockchain Polygon meses após colapso da UST

Mais de US$ 20 milhões foram destinados para ajudar o projeto a fazer a mudança

Por  CoinDesk -

Um pouco mais de 48 projetos que estavam na rede Terra começaram a migrar para a Polygon (MATIC), uma blockchain de segunda camada aliada do Ethereum (ETH), quase dois meses após a crise de paridade da stablecoin TerraUSD (UST), que colapsou junto com o projeto Terra (LUNA).

“Os projetos da rede Terra começaram a migração”, disse Ryan Wyatt, CEO da Polygon Studios, em um tweet na noite de sexta-feira (8). “Mais de 48 projetos e contando… incluindo OnePlanet_NFT, um mercado exclusivo 0xPolygon e DerbyStars_HQ.”

Em maio, a Polygon anunciou um fundo multimilionário para ajudar os projetos da Terra que quisessem mudar de plataforma. A blockchain estava pronta para pagar até “cerca de US$ 20 milhões” para ajudar as equipes da Terra a migrar para sua própria blockchain e continuar criando produtos.

“Para qualquer projeto que queira vir da Terra para a Polygon, ficaremos felizes em fornecer assistência financeira e técnica”, disse um porta-voz da blackchain Polygon ao CoinDesk na época. “Nós vamos oferecer a eles desenvolvedores e tudo o que for necessário.”

Leia mais:
Shiba Inu prepara stablecoin própria inspirada no Terra (LUNA)

Desenvolvedores por trás de outras redes blockchain também visam projetos da Terra, entre eles Kadena, Cosmos e Avalanche.

A UST, stablecoin algorítmica da Terra que foi projetada para manter seu valor por meio da queima de Luna (a cada unidade de UST emitida, US$ 1 em Luna era retirado de circulação), caiu para menos de 10 centavos de dólares em maio após a forte saída de investidores.

A cunhagem excessiva de Luna para tentar trazer o UST de volta à sua paridade fez com que os preços do token caíssem em até 99,7%, enquanto os aplicativos de finanças descentralizadas (DeFi) baseados em Terra viram mais de US$ 28 bilhões em saídas.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe