Celular em blockchain

Polygon e Solana se unem para trazer Web 3.0 para smartphones

Rede Polygon é usada para oferecer NFTs no novo smartphone Nothing Phone

Por  CoinDesk -

A Polygon (MATIC), uma blockchain de segunda camada aliada do Ethereum (ETH), anunciou que se uniu à rede Solana (SOL) para trazer a Web 3.0 para smartphones, em uma nova parceria com a startup de tecnologia Nothing.

A Nothing aproveitou a rede Polygon para oferecer tokens não fungíveis (NFTs) em seu novo Nothing Phone (1), que roda o sistema operacional Android.

Apelidado de “Nothing Community Dots”, o projeto de NFT consiste no lançamento de tokens para investidores da comunidade Nothing, que desbloqueiam vantagens como acesso antecipado a novos produtos e eventos. Entre as primeiras recompensas estão convites para o lançamento do Nothing Phone (1) em Londres, no dia 12 de julho.

Em nota, o cofundador da rede Polygon, Sandeep Nailwal, descreveu como “imensamente encorajador ver uma empresa inovadora como a Nothing abraçar a Web 3.0 desde o início, permitindo acesso direto à nova era da Internet pela Polygon”.

Leia mais:
“Revolução blockchain” da China pode estar com os dias contados

O anúncio ocorre menos de duas semanas depois que a Solana disse que está desenvolvendo seu próprio telefone blockchain chamado “Saga”, que contará com uma loja Web 3.0 dapp (aplicativo descentralizado), “Solana Pay”, para facilitar pagamentos na cadeia, e um cofre para armazenar chaves privadas.

O trabalho da Polygon e da Solana marca o ressurgimento dos esforços para desenvolver um telefone nativo de blockchain. Em 2018, a Sirin Labs tentou fazer o mesmo, mas seus planos não conseguiram ganhar força, levando a demissões e a um processo na justiça devido ao não pagamento de contas.

Se as tentativas da Polygon e da Solana forem mais bem-sucedidas, elas poderão levar a Web 3.0 a um público maior utilizando a conveniência do acesso via smartphone.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe