Aquisições

Petz anuncia compra da plataforma Cansei de Ser Gato

Fundado em 2013, o CDSG cria conteúdos bem humorados e educativos para donos de gatos, além de produtos exclusivos para felinos

arrow_forwardMais sobre
Chico e Petz – (Instagram: Cansei de ser gato)

A Petz (PETZ3) anunciou ao mercado na noite da última segunda-feira (21) que celebrou contrato de aquisição do Cansei de Ser Gato Serviços de Produção de Conteúdo (“CDSG”), uma das maiores plataformas digitais de conteúdo e produtos exclusivos para gatos no Brasil.

Fundado em 2013 pelas empreendedoras Amanda Nori e Stéfany Guimarães, o CDSG cria conteúdos bem humorados e educativos para donos de gatos, além de produtos exclusivos para felinos.

Os conteúdos estão presentes nas principais mídias sociais (Instagram, Facebook, etc), somando mais de 1,7 milhão de seguidores. Adicionalmente, o Cansei de Ser Gato possui no Spotify o “PodCat”, um dos podcasts mais escutados durante o ano de 2020 no Brasil.

Já em relação aos produtos – tais como comedouros, arranhadores, camas de parede – são comercializados desde 2015 pelo e-commerce (www.canseidesergato.com.br), com foco tanto no desenvolvimento do item de acordo com a preferência do público quanto na experiência de compra.

“A entrada do CDSG no ecossistema da Petz, com a permanência das fundadoras na operação, fortalece nosso posicionamento de liderança no setor Pet com uma plataforma especializada em gatos, categoria essa que tem se destacado pelas taxas de crescimento, através da: (i) produção de conteúdo e curadoria, além de maior interação com o público em momentos de “não compra”; (ii) design de produtos exclusivos para as categorias de gatos, as quais possuem elevado potencial de diferenciação e ainda são carentes de sortimento; e (iii) audiência qualificada, aumentando o engajamento e fluxo para todos os canais e segmentos da companhia”, destacou a companhia.

A Petz, como maior plataforma pet do país, visa alavancar as soluções oferecidas pelo Cansei de Ser Gato por meio da estratégia omnichannel e potencializar a capacidade de criação e inovação das fundadoras, dando o suporte necessário para as principais atividades da operação, afirma a empresa.

O Itaú BBA vê a notícia como ligeiramente positiva para Petz. “Em nossa opinião, a aquisição apoia o discurso da empresa de acelerar o crescimento por meio de fusões e aquisições. Além disso, acreditamos que o negócio aumenta o know-how de desenvolvimento de produtos da Petz, bem como o conteúdo online e o envolvimento da empresa, apesar do pequeno tamanho da aquisição”, destacam os analistas, que possuem recomendação outperform e preço-alvo de R$ 26 por ação, alta de 6,4% frente o fechamento de segunda-feira.

Curso gratuito do InfoMoney mostra como você pode se tornar um Analista de Ações. Inscreva-se agora.