Radar InfoMoney

Petrobras tem novo recorde mensal de produção, oferta de ações do BB levanta R$ 5,8 bi e mais destaques

Confira os destaques do noticiário corporativo na sessão desta sexta-feira (18)

No Radar InfoMoney desta sexta-feira destaque para a produção recorde da Petrobras, ao Banco do Brasil cuja oferta de ações levantou cerca de R$ 5,8 bilhões e ao setor de saneamento que pode ter votação de lei na Câmara nos próximos 15 dias.

Petrobras (PETR3;PETR4)

Com o auxílio do ramp-up de novas plataformas, a Petrobras conseguiu bater novos recordes de produção diários, deixando para trás as dificuldades enfrentadas no trimestre anterior em algumas áreas de produção e reforçando sua perspectiva para 2019.

Em relatório divulgado ontem à noite, informou que a produção atingiu novo recorde mensal de 3 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed), além de um novo recorde diário de 3,1 milhões de boed alcançados no mês de agosto. “Já a produção operada atingiu o recorde mensal de 3,7 milhões de boed no mesmo mês”, apontou.

PUBLICIDADE

Segundo a empresa, com o resultado, a petroleira mantém sua trajetória “para o cumprimento da meta de produção anual, em 2,7 milhões de boed, com variação de 2,5% para mais ou para menos”. Leia mais clicando aqui.

Em análise sobre os resultados de produção da Petrobras, a XP Investimentos classificou os números como “fortes” e “positivos”, embora “tenham vindo em linha com as estimativas”.

“Destacamos em primeiro lugar o aumento de produção do pré-sal, fruto da conexão de seis novas unidades de produção desde 2018. Em segundo lugar, elogiamos a maior taxa de utilização do parque de refino da companhia somada a menores importações de derivados”, diz a XP.

A XP mantém a recomendação de compra para as ações da Petrobras, com preços-alvo de R$ 36 (PETR4), R$ 35 (PETR3), US$ 18,5 (PBR_A) e US$ 18 (PBR).

O Bradesco BBI destacou que o mercado deve se concentrar na avaliação da forte produção da Petrobras, destaque positivo dos resultados operacionais da petroleira.

“Se a empresa conseguir manter esse nível de produção ao longo do quarto trimestre, poderá fornecer um sólido crescimento de 5% a 6% em relação a 2018”, escreveu o analista Vicente Falanga.

PUBLICIDADE

Segundo ele, com várias unidades ainda em alta e duas com início previsto para 2020, a Petrobras “está bem posicionada para entregar um crescimento de aproximadamente 10% na produção em 2020”.

Para o terceiro trimestre, por conta da forte produção, a Petrobras poderia entregar um Ebitda muito próximo de R$ 30 bilhões, mesmo com os preços do Brent caindo 9,7% sequencialmente, acrescentou Falanga.

Para o Itaú BBA, após avançar 40%, a produção do pré-sal deve continuar aumentando nos próximos meses, impulsionada pelo aumento contínuo das seis novas unidades.

“Supondo taxas de utilização de 90% e participação da Petrobras nos campos de Búzios e Lula, a produção ainda pode aumentar em 247 kbpd nos próximos meses – 11% da atual produção de petróleo”, escreveram os analistas André Hachem e Leonardo Marcondes.

Os especialistas do Itaú BBA acrescentam que o esgotamento anual do pós-sal foi amplamente compensado pelo início de um novo FPSO no campo de Tartaruga Verde; no entanto, ajustando para isso, o esgotamento permanece alto (16,3% ao ano)

“Mantemos nossa visão otimista sobre a Petrobras e acreditamos que a entrega contínua do crescimento da produção de petróleo é um dos principais pilares da tese de investimento”, destacaram Hachem e Marcondes.

Cogna (COGN3)

A Cogna, antiga Kroton, divulgou que a captação de alunos pagantes subiu 14,4% no terceiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado, para 52,7 mil alunos. Desse total, a captação via Fies aumentou 14,2%, para a 2,05 mil alunos, mas no PEP recuou 41,6%, a 9,1 mil alunos.

A receita total de captação estimada para segundo semestre deve subir 19%, segundo a Kroton. Desse total, a receita presencial deve subir 16% e de EAD, 27%. A base de alunos recuou 7,4% no terceiro trimestre na comparação anual, para 341,9 mil alunos, enquanto as rematrículas recuaram 8,4%, para 275,7 mil alunos
A evasão no presencial ficou em 13,9% no terceiro trimestre, ante 12,9% de um ano antes. No presencial, a evasão foi de 13,9%, ante 12,9% de um ano antes. No EAD, a evasão ficou em 16,6%, estável na comparação anual.

Banco do Brasil (BBAS3)

O Banco do Brasil publicou o prospecto definitivo de sua oferta há pouco, fixando o preço em R$ 44,05 por ação, levantando R$ 5,8 bilhões. A oferta consiste na distribuição pública secundária de 132,506 milhões de ações.

Desse total, são 64 milhões eram mantidas em tesouraria e 68,506 milhões de titularidade do FI-FGTS.

Saneamento

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que vai tentar votar a Lei de Saneamento nos próximos 15 dias e devolver para apreciação do Senado. Ele disse estar bastante otimista em relação a aprovação da Lei do Saneamento e com a reforma administrativa, que trará maior eficiência para a administração pública.

Bradesco (BBDC3;BBDC4)

O Conselho do Bradesco aprovou proposta para pagamento de dividendos extraordinários em reunião nesta quinta-feira, segundo comunicado. O montante envolve R$ 0,948654134 por ação ordinária e R$
1,043519547 por ação preferencial. Os dividendos extraordinários serão pagos em 23/outubro pelo valor declarado, não havendo retenção de imposto de renda na  fonte e não serão computados no cálculo dos dividendos
obrigatórios do exercício previstos no estatuto social

Suzano (SUZB3)

A empresa de papel e celulose Suzano emite R$ 750 milhões em debêntures, a CDI + 120 pontos.

Latam

A Latam Brasil fechou com a Qatar Airways uma ampliação de seu acordo de codeshare, que permite que empresas transportem passageiros uma da outra. Agora bilateral, a parceria proporcionará aos clientes da Qatar Airways conexões para destinos em todo o Brasil e América do Sul, enquanto os passageiros da Latam que viajam de São Paulo a Doha poderão acessar mais de 25 destinos no Oriente Médio, Leste da África e Sul da Ásia.

Braskem (BRKM5)

A Braskem comunicou que após audiência ocorrida na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE) arquivou seu Formulário 20-F, referente ao exercício social encerrado no ano de 2018.

Oi (OIBR3;OIBR4)

A Oi informou, em resposta a ofício da CVM, que continua focada nas iniciativas necessárias para a execução de seu plano estratégico e seus investimentos associados, mas que não pode se manifestar sobre a intenção de terceiros. O comunicado se refere à informação de que a América Movil, controladora da Claro, estaria aberta à negociação para aquisição da Oi, de acordo como jornal Valor Econômico.
“Nesse processo, a Administração da Oi tem monitorado continuamente as opções disponíveis e avaliará todas as alternativas estratégicas que possam fazer sentido para a Companhia e seus acionistas, quando e se as mesmas se apresentem formalmente”, escreveu.

 

(Com Agência Estado e Bloomberg)

Não existia, agora existe: conheça o primeiro MBA em Ações e Stock Picking do Brasil