Destaques da Bolsa

Petrobras “ignora” recomendação elevada e cai com petróleo; Vale cai 3% e Suzano sobe com dólar

Confira os destaques da B3 na sessão desta terça-feira (23)

SÃO PAULO – O mercado brasileiro interrompe o rali eleitoral com Jair Bolsonaro (PSL) tendo forte dianteira nas últimas pesquisas e cai repercutindo o cenário internacional em meio ao noticiário sobre Brexit e tensão na Arábia Saudita. 

Com isso, estatais como Petrobras (PETR3;PETR4),  bancos como Santander Brasil (SANB11), Itaú Unibanco (ITUB4), Bradesco (BBDC3;BBDC4) e Banco do Brasil (BBAS3) registram queda. Ações mais sensíveis ao movimento da bolsa, como Usiminas (USIM5) e ao cenário negativo no exterior, como a Vale (VALE3), também têm perdas. 

Por outro lado, em meio à alta do dólar, com a divisa comercial subindo 0,57%, a R$ 3,708 na venda, os papéis de empresas mais defensivas, como Suzano (SUZB5), avançam. Vale destacar que somente três ações do Ibovespa sobem, incluindo também Braskem (BRKM5) e Fibria (FIBR3).  Confira esses e outros destaques desta terça-feira (23):

PUBLICIDADE

Petrobras (PETR3; PETR4)

Apesar de ter a recomendação elevada para overweight (exposição acima da média do mercado) pelo Morgan Stanley, com os analistas tendo mais visibilidade sobre a política de preços da estatal, os papéis da Petrobras registram queda seguindo o exterior, principalmente por conta da queda do preço do petróleo em mais de 2% em meio à sinalização da Arábia Saudita de que não irá restringir a oferta da commodity ou usá-la como arma política em meio às tensões globais após um jornalista crítico do governo árabe ter sido morto.

Já no radar da companhia, a Petrobras confirmou ontem que o prazo para a retomada total da produção integral na Refinaria de Paulínia (Replan) segue incerto, por conta dos danos provocados pela explosão seguida de incêndio há dois meses.

Desde 6 de setembro são mantidas 50% das operações em áreas não afetadas. Quem investiga as causas é a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis).

Também no radar da estatal, a companhia ultrapassou a marca dos R$ 3 bilhões em valores recuperados a título de ressarcimento de danos, por meio de acordos de leniência e delações premiadas.

Em comunicado, a petroleira afirmou que recebeu a devolução de R$ 549 milhões como parte do acordo de leniência assinado em julho com o Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU), a Advocacia-Geral da União (AGU), a SBM Offshore N.V. e a SBM Holding Inc S.A.

Para esta terça-feira (23), a Petrobras reduziu o preço da gasolina A nas refinarias, de R$ 2,1060/litro para R$ 2,0639 o litro.

PUBLICIDADE

Eletrobras (ELET3;ELET6)

O leilão da distribuidora de energia da Eletrobras no Amazonas foi adiado do dia 25 de outubro para 27 de novembro, de forma com que as empresas possam ultimar as tratativas de negociação das garantias com fornecedores de combustíveis. O pedido de adiamento foi feito pela Eletrobras ao Ministério de Minas e Energia, após o Senado rejeitar na semana passada um projeto de lei visto como importante para solucionar passivos das distribuidoras.

O leilão ocorrerá às 10h do dia 27 do próximo mês, com previsão de entrega de proposta para o dia 21 de novembro, das 14h às 17h.

Forjas Taurus (FJTA4)

A ação da Forjas Taurus aponta para uma sessão de realização após a disparada recente em meio às sinalizações sobre o governo Bolsonaro para a empresa.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, vai colocar em votação após as eleições um projeto que revoga o Estatuto do Desarmamento, facilitando o acesso e posse de armas em casa pelos cidadãos, destaca a Coluna do Estadão, do jornal O Estado de S. Paulo. 

O texto retira a exigência de comprovação da necessidade e reduz para 21 anos a idade mínima para compra. Manteria, por outro lado, as exigências de não ter antecedentes criminais, comprovar curso de tiro e passar por exame psicotécnico. Em meio a essa expectativa, os papéis da fabricante disparam mais de 500% no ano.

IRB (IRBR3)

Em relatório divulgado nesta terça-feira, o Bradesco BBI destacou que a IRB, que revelará seu resultado dia 31 após o fechamento do mercado, deve registrar forte alta da receita e alta taxa de crescimento. 

Kroton (KROT3), Estácio (ESTC3) e Anima (ANIM3)

O BTG Pactual fez uma análise aprofundada dos indicadores de qualidade recentemente divulgados pelo MEC (ENADE e IDD). De maneira geral, a Anima continua tendo desempenho superior por larga margem às demais empresas listadas (padrão de qualidade superior, principalmente olhando para ENADE), enquanto Kroton (apesar de estar em um patamar notadamente menor de ENADE do que os outros) foi uma das que mais melhorou o ciclo, afirmam os analistas. Já Estácio e Ser (SEER3) apresentaram deterioração no ENADE em 2017, mas foram bem no IDD (que mede basicamente quanto o aluno melhorou ao longo do curso). 

Valid (VLID3)

A Valid, empresa que atua nos segmentos de meios de pagamento, sistemas de identificação e telecomunicações, comprou por R$ 6,4 milhões o controle da startup mineira Agrotopus, que fornece um sistema de rastreabilidade para cooperativas de café que representam 12% do mercado brasileiro.

A operação faz parte da estratégia da companhia de expandir sua atuação para os segmentos de software e serviços, passando a oferecer mais do que apenas Sim cards para operadoras de telefonia e cartões para bancos.

Lojas Marisa (AMAR3)

A rede de lojas Marisa anunciou a primeira fase do seu projeto omnichannel que terá como objetivo a integração de suas operações online e offline. O projeto terá inicialmente foco na operação click and collect e será lançado em 10 lojas, com o objetivo de implantar totalmente o modelo até 2019.

“Vemos como positivo que a empresa mantém o foco em seu projeto de recuperação para melhorar a experiência de compra e os serviços aos clientes. No entanto, entendemos que este é o primeiro passo, e a Marisa ainda tem um longo caminho a percorrer para recuperar o apelo dos clientes e trazer de volta o tráfego para suas lojas”, escrevem os analistas da Brasil Plural.

Segundo eles, a notícia não deve ser um grande catalisador nas ações da AMAR3. “Mantemos nossa classificação de underperform, esperando ter uma visão melhor da assertividade do plano da Marisa e da capacidade de execução do management”, escrevem.

Marfrig (MRFG3)

O órgão antitruste do Japão aprovou ontem a venda da subsidiária da Marfrig, a Keystone, à americana Tyson Foods. Agora, a conclusão da transação depende apenas do aval dos órgãos antitruste da China e da Coreia do Sul.

A Marfrig anunciou a venda da Keystone à Tyson no mês de agosto, por US$ 2,4 bilhões. O objetivo é que com a venda, a empresa brasileira consiga reduzir o seu endividamento.

Biosev (BSEV3)

A Biosev tem uma sessão de realização após a disparada recente e registra perdas expressivas. 

A produtora brasileira de açúcar e etanol, está negociando a venda de mais usinas no Brasil para reduzir suas dívidas.

De acordo com a Reuters, fontes disseram que a companhia contratou a divisão de serviços financeiros da consultoria Datagro e a unidade de investimento do Santander Brasil para auxiliá-la no processo de venda de outras usinas. Vale destacar que, ontem, os papéis subiram 37% e tiveram mais um dia de fortes ganhos também impulsionados pelo momento positivo para os papéis do setor sucroalcooleiro (veja mais clicando aqui).

Light (LIGT3)

A Light comunicou por meio de Fato Relevante, o exercício do direito de venda da totalidade das ações de emissão da RME de suas propriedades, ou seja, uma vez consumada a opção de venda, haverá a extinção do bloco de controle da companhia.

“Em virtude do exercício da opção de venda, há ainda a possibilidade de os acionistas integrantes do bloco de controle (Cemig, RME e Luce Empreendimentos e Participações) realizarem alienação de parte de ações de suas propriedades de emissão da companhia no mercado segundário”, informou a companhia em comunicado.

Invista em ações sem pagar taxa de corretagem: abra uma conta na Clear