PCs: preços menores devem elevar vendas no Natal

Presidente da IT Data afirma que neste ano será possível encontrar laptops por R$ 1.500 e bons desktops por R$ 1 mil, disponíveis no mercado

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – Preços menores e vendas maiores. Esse é o panorama estimado pela consultoria IT Data para o mercado de computadores no último mês do ano.

De acordo com a consultoria, que acredita na venda de 1,4 milhão de unidades no mês do Natal, a queda nos preços sofrida por estes equipamentos ao longo deste ano será o principal atrativo para a elevação das vendas. “No ano passado, o setor vendeu 875 mil unidades em dezembro, mas em 2006 não havia laptops por R$ 1.500 e bons desktops por R$ 1 mil, como existem esse ano”, garante o presidente da IT Data, Ivair Rodrigues.

Rodrigues acredita ainda que os computadores serão os sonhos de consumo deste Natal. “Claro que muitos consumidores querem uma TV de LCD, mas o preço desses equipamentos ainda é muito caro, enquanto os PCs já atingiram uma maturidade comercial e seus preços só tendem a cair, inclusive no próximo ano”, explica.

Mercado em crescimento

De acordo com estimativas do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas), em 2006, 22% dos domicílios brasileiros possuíam um computador e, em 2005, eram apenas 19%. “Acreditamos que no final de 2007, 25% dos lares brasileiros terão uma máquina dessas em casa”, diz Rodrigues.

“Há algum tempo eu brincava que o computador se tornaria um eletrodoméstico, hoje eu falo seriamente que ele já é um eletrodoméstico”.

Rodrigues só discorda de quem acredita que os computadores serão os presentes mais dados no Natal. “Para mim os computadores serão comprados para uso próprio, não para presentear terceiros. A não ser que as pessoas comprem para presentearem a si próprias”, afirma.

Desktops x Laptops

O presidente explica ainda que cada vez mais as pessoas estão preferindo comprar laptops a computadores de mesa. “Os consumidores perceberão que colocando R$ 400 a mais, eles podem levar um produto mais moderno e diferenciado que é o notebook e estão optando pelo portátil”.

A consultoria estima que, até o final do ano, a venda dos laptops deve crescer 200% em relação ao ano passado. “Se no último trimestre do ano passado a diferença entre um portátil e um computador de mesa era maior que 120%, essa diferença caiu para 68% entre abril e junho deste ano”, garante.

Compartilhe