Radar InfoMoney

Parente fala em “golpe” na Petrobras; Usiminas faz renegociação com bancos e mais 13 notícias

Confira o que é destaque no noticiário corporativo desta segunda-feira (12)

SÃO PAULO – Se os mercados mundiais estão de olho nas falas dos presidentes regionais do Federal Reserve, o noticiário corporativo também é movimentado, com destaque para revisões de recomendações, a entrevista de Pedro Parente para o Estadão, entre outras notícias. Confira o que é destaque nesta segunda-feira (12):

Lojas Americanas e Lojas Renner
A Lojas Americanas (LAME4) e a Lojas Renner (LREN3)  tiveram a recomendação rebaixada de compra para manutenção pelo Santander. O rebaixamento de Lojas Americanas se deve aos “múltiplos esticados” da ação; papéis ON são negociados com desconto excessivo em relação às PN.  

A companhia “tem amplas oportunidades de crescimento, incluindo o seu plano de abertura de lojas (800 novas lojas em 2015-2019), a penetração dos produtos de marca própria e a maturação de sua divisão de financiamento ao consumidor”. “Além disso, esperamos que a B2W mostre melhorias operacionais significativas nos próximos 18 meses devido à evolução mais rápida de sua plataforma marketplace”, afirmaram os analistas do banco. 

PUBLICIDADE

Já a Lojas Renner foi rebaixada devido ao “limitado potencial de ganho em relação ao nosso novo preço-alvo para o fim de 2017 de R$ 32 por ação”. “A estratégia de longo prazo da LREN permanece sólida, e esperamos que continue a adotar novas medidas para se tornar uma verdadeira varejista ‘fast-fashion’ com o seu modelo ‘push & pull’ – que deverá permitir uma melhor produtividade, ganhos de margem bruta, e ganhos de capital de giro”. “No entanto, acreditamos que LREN3 não tem catalisadores para estimular o crescimento no curto prazo”, destacam os analistas. 

O banco vê recuperação econômica no Brasil ainda “indefinida, com um melhor ambiente de consumo esperado apenas para 2017”; “no entanto, vemos sinais de que o pior pode ter ficado para trás”

Já a Hypermarcas (HYPE3) permanece como “top pick”: “embora acreditemos que algumas ações com beta mais elevado possam superar o IBOV dada nossa previsão de uma melhor perspectiva para o consumidor, continuamos cautelosos e recomendamos aos investidores que sejam seletivos ao escolher mais nomes discricionários”. “Gostamos de B2W e Arezzo”, ressaltam ainda. 

 Oi
Um grupo europeu de investidores que detém bônus da Oi (OIBR4) quer negociar com outros representantes de credores uma contraproposta conjunta ao plano de recuperação judicial apresentado pela telefônica, diz Valor Econômico, citando um representante não identificado do grupo.

A ideia é, primeiramente, chegar a um acordo com Moelis & Company, pelo fato de o banco assessorar credores que detêm mais de 40% das obrigações da Oi. A intenção é ter discussões abertas com todos os envolvidos

Em 8 de setembro, o comitê diretivo do grupo de bondholders da Oi considera plano de recuperação apresentado pela cia. “desfavorável e provavelmente inaceitável”, apontando que não conta com o consentimento dos credores. O laudo da EY estima valor de ativos da Oi em R$ 49,4 bilhões, disse o Valor. 

PUBLICIDADE

Já o Morgan Stanley informou que atingiu fatia de 4,9% das ações ordinárias da companhia. A Oi ainda anunciou nesta manhã que Marcos Grodetzky renunciou ao Conselho de Administração.

Petrobras
Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, o presidente da Petrobras (PETR3;PETR4) Pedro Parente afirmou que a Petrobras deverá divulgar seu novo plano estratégico na semana do dia 19 de setembro, incluindo uma meta financeira e uma meta de segurança operacional, as duas com o mesmo grau de prioridade, disse o presidente da estatal. “Não atingimos o nível médio de segurança dos principais players globais, e queremos chegar a isso no menor prazo possível”, disse o executivo. Sobre as finanças da companhia, o plano é antecipar meta de redução da alavancagem (a relação entre dívida e geração de caixa) para antes de 2020, afirmou ele.

 Ele ainda destacou que “o programa de desinvestimentos e parcerias é absolutamente fundamental para consertar a empresa dos problemas que esse pessoal, que hoje fica falando de ‘golpe’, criou ao indicar a minoria que promoveu a roubalheira contra a Petrobras”.

Parente avalia ainda que o País vive uma “batalha ideológica” e defendeu sua “legitimidade” à frente da estatal. O executivo diz que sua gestão tenta “consertar” os atuais problemas financeiros da estatal. Segundo ele, as operações da Polícia Federal sobre os investimentos da Petros, fundo de pensão da Petrobras, indica que os recursos eram geridos pelo interesse de “outras pessoas ou entidades” que não os petroleiros.

“Nosso programa de desinvestimentos e parcerias é absolutamente fundamental para consertar a empresa dos problemas que esse pessoal, que hoje fica falando de ‘golpe’, criou ao indicar a minoria que promoveu a roubalheira contra a Petrobras”, afirmou Parente.

Ainda sobre a Petrobras, a companhia informou que a produção do pré-sal em agosto somou 1,36 milhão de barris de óleo equivalente, alta de 4% na comparação mensal. A produção total de óleo e gás somou 2,84 milhões de boed. 

Usiminas
A Usiminas (USIM5) informou que concluiu a assinatura de todos os documentos definitivos de renegociação das dívidas da companhia perante o Banco do Brasil, Bradesco, Itaú e BNDES.  

Embraer
A Índia está em busca de informações da Embraer (EMBR3) depois que reportagem revelou investigação dos EUA sobre negociações da fabricante de aeronaves em todo o mundo, possivelmente incluindo a compra de 3 aviões de vigilância do país asiático de 2008.  

O Ministério da Defesa indiano vai pedir explicação e detalhes e pode tomar medidas adicionais, uma vez que recebe uma resposta, disse o porta-voz Nitin Wakankar, pelo twitter neste sábado. 

Na semana passada, a Folha de S.Paulo disse que Embraer tem sido alvo de investigação por autoridades norte-americanas sobre transações comerciais com a República Dominicana; investigação foi ampliada para incluir o envolvimento da companhia brasileira com mais países, entre eles a Índia

Em 2008, Embraer anunciou venda de 3 jatos EMB-145, aeronaves de alerta e controle aerotransportado, ao governo indiano. “Desde 2011, Embraer tem informado publicamente que vem realizando uma extensa investigação interna e tem cooperado com as autoridades nas investigações envolvendo supostas violações da FCPA”, disse a companhia em comunicado por e-mail. A Embraer “voluntariamente ampliou o âmbito da investigação, sistematicamente informando o andamento do caso ao mercado”. “A empresa não é parte de processos judiciais no Brasil; portanto, não tem acesso às informações neles contidas”

Contax
A Contax (CTAX11) concluiu na sexta-feira a venda da divisão Allus para o grupo espanhol Konectanet numa transação de US$ 140,4 milhões. Os recursos serão usados para recomposição de caixa e amortização antecipada de parte da dívida da companhia. 

Eletrobras
A Eletrobras (ELET6) informou que recebeu da União o valor de R$ 970 milhões, o que, segundo comunicado, será utilizado para reforçar as fontes de recursos necessárias para atendimento do PDG (Programa de Dispêndios Global) 2016.

A elétrica informou ainda que acredita que esta capitalização “contribuirá para que ela não majore compromissos financeiros, com encargos contratuais que não seriam atrativos neste momento e que poderiam comprometer os esforços que estão sendo feitos para a reestruturação empresarial acima mencionada”.

Gol
Em entrevista ao jornal Valor Econômico, o presidente da Gol (GOLL4) Paulo Kakinoff afirmou que o mercado da aviação na América do Sul não é grande o suficiente para comportar a quantidade de empresas aéreas que disputam esses consumidores hoje. “O mercado está superdimensionado”, disse. “É mais uma visão que uma previsão. Vai haver um movimento de consolidação”, apontou o executivo da líder do setor aéreo no Brasil – dono de metade do tráfego nessa região. 

Citi
De acordo com a coluna de Lauro Jardim do jornal O Globoo favoritismo do Santander (SANB11) para levar os ativos de Citibank no Brasil sofreu um baque com a decisão de Itaú Unibanco (ITUB4) de não perder a oportunidade de levar os ativos. Segundo o colunista, o Itaú está todo mobilizado para adquirir o Citi.

JSL
A agência de classificação de risco Fitch reafirmou na sexta-feira os ratings da JSL (JSLG3) em “BB” e “AA-(bra)”, nas escalas global e nacional, enquanto a perspectiva das notas foi elevada de negativa para estável. A agência afirma que a revisão de perspectiva reflete a resiliência do negócio da JSL, sustentada pela melhoria na geração de fluxo de caixa operacional, apesar da recessão no Brasil. 

OGPar
A Óleo e Gás Participações (OGXP3) informou que subscreveu 14.875.412 ações da Eneva. Em contrapartida, a OGX transferiu para a Eneva 95% da participação que detinha no capital social da Parnaíba Gás Natural. A transferência, porém, está condicionada à homologação do aumento de capital aprovado em assembleia geral de acionistas da Eneva em 02 de agosto e à entrega das ações subscritas pela OGX no âmbito do referido aumento de capital. Além disso, a OGX concretizou a venda de sua participação remanescente no capital social da Parnaíba para a Cambuhy I Fundo de Investimento em Participações.

Tecnisa
A Tecnisa (TCSA3) aprovou a mudança em termos de 3ª emissão de debêntures.

Wilson Sons
A movimentação de contêineres nos terminais portuários da Wilson Sons (WSON33) teve queda de 1,2% em agosto, em relação a igual mês de 2015, para 98,5 mil Teus (contêineres padrão de 20 pés). Entre janeiro e agosto, a movimentação de contêineres subiu 2,6% na comparação anual, para 691,8 mil Teus. 

Brasil Pharma
A Brasil Pharma (BPHA3) prestou esclarecimentos à CVM e à BM&FBovespa sobre matéria da Reuters em que fala que a empresa está prestes a vender ativos. A companhia afirmou que não há qualquer definição de venda e que ela e a sua controladora, o BTG Pactual, avaliam oportunidades constantemente.  

(Com Bloomberg)