Fique de olho

Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta terça-feira

Bolsas mundiais caem com dados da Alemanha e temor renovado sobre coronavírus; Bolsonaro espera teste e mais destaques

As preocupações em relação à recuperação econômica e novos casos de coronavírus nos Estados Unidos fizeram as Bolsas perder fôlego nesta terça-feira. Os principais índices europeus e os futuros de Nova York operam em terreno negativo.

A projeção da Comissão Europeia de que a recessão na União Europeia será pior que o esperado também contribui para o pregão de perdas.

No Brasil, deve sair nesta terça-feira o resultado do exame para a Covid-19 feito pelo presidente Jair Bolsonaro.

PUBLICIDADE

Entre as notícias corporativas, a Azul demitiu mais de mil funcionário e a Renova Energia entrou com dois pedidos de recuperação judicial.

Entre as ofertas, a Ambipar vê forte demanda por suas ações e a Profarma se prepara para a abertura de capital do seu braço de varejo, que reúne mais de 300 drogarias. Confira os destaques:

1. Bolsas mundiais

As preocupações em relação à recuperação econômica e novos casos de coronavírus nos Estados Unidos fizeram as Bolsas perder fôlego nesta terça-feira. Os principais índices europeus e os futuros de Nova York operam em terreno negativo.

As novas projeções para a economia da Europa contribuem para esse arrefecimento nos ânimos, que ocorre um dia após um pregão de ganhos significativos nos mercados globais.

A Comissão Europeia espera uma contração de 8,3% no Produto Interno Bruto (PIB) das 27 economias da região, pior do que a projeção de queda de 7,4% feita em maio. Para 2021, se espera uma expansão de 5,8% (ante 6,1% dos números divulgados em maio).

“O impacto econômico do bloqueio é mais severo do que esperávamos inicialmente. Continuamos a navegar em águas tempestuosas e enfrentamos muitos riscos, incluindo outra grande onda de infecções”, afirmou, em comunicado, Valdis Dombrovskis, vice-presidente da Comissão Europeia.

PUBLICIDADE

Atenção ainda para os dados frustrantes da economia alemã. Foram divulgados os dados da produção industrial da maior economia da Europa, com uma alta de 7,8% em maio. Apesar do número positivo, ficou abaixo da expectativa de 10%.

Já nos Estados Unidos, a principal preocupação é com a nova onda de contágio, que obrigou economias que já estavam em um processo de abertura a retornar ao estágio de bloqueio, como a região de Miami, na Flórida.

Os futuros do Dow Jones caem 1,05% e os do S&P 500, 0,87%.

Os Estados Unidos contam com mais de 2,9 milhões de casos confirmados da Covid-19 e pelo menos 130 mil mortes. Os investigadores seguem atentos ao surgimento de potenciais tratamentos para a doença ou de uma vacina.

No mercado asiático, o Nikkei 225, de Tóquio, registrou desvalorização de 0,44%. O Shangai SE fechou em alta de 0,37% e o Hang Seng Index, de Hong Kong, recuou 1,38%.

Veja o desempenho dos mercados, às 7h36 (horário de Brasília):

Nova York
*S&P 500 Futuro (EUA), -0,87%
*Nasdaq Futuro (EUA), -0,49%
*Dow Jones Futuro (EUA), -1,05%

Europa
*Dax (Alemanha), -1,52%
*FTSE 100 (Reino Unido), -1,57%
*CAC 40 (França), -1,35%
*FTSE MIB (Itália), -0,38%

PUBLICIDADE

Ásia
*Nikkei 225 (Japão), -0,44% (fechado)
*Hang Seng Index (Hong Kong), -1,38% (fechado)
*Shanghai SE (China), +0,37% (fechado)

*Petróleo WTI, -1,58%, a US$ 39,99 o barril
*Petróleo Brent, -1,28%, a US$ 42,55 o barril

**Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian fecharam em alta de 2,68%, cotados a 767.000 iuanes, equivalente hoje a US$ 109,16 (nas últimas 24 horas).
USD/CNY = 7,0262 (+0,09)

*Bitcoin, US$ 9.262, +0,81%

2. Indicadores econômicos

A agenda de divulgações está concentrada no exterior nesta terça-feira.

O relatório Jolts, que mostra o número de ofertas de emprego abertas no mercado de trabalho americano, será divulgado às 11h (horário de Brasília).

O dia também é recheado de discursos de membros do comitê de política monetária (Fomc, na sigla em inglês) do Federal Reserve (Fed, o bc americano).

Às 10h, está previsto o discurso de Raphael Bostic, presidente do Fed de Atlanta. Uma hora depois é a vez de Randal Quarles, vice-presidente do Fed para a área de supervisão. Às 15h, ocorrem os discursos de Thomas Barkin, presidente do Fed de Richmond, e Mary Daly, presidente do Fed de São Francisco.

PUBLICIDADE

Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, se reúne com o vice-presidente Hamilton Mourão, segunda reunião dos dois em 2 semanas. Na semana passada, O Globo disse que Mourão tentava se encontrar com investidores que pensavam em deixar de investir no país por conta do aumento do desmatamento e Campos Neto estaria ajudando a organizar os encontros. A agenda de Campos Neto diz que o encontro acontece para tratar assuntos governamentais e a reunião desta terça está marcada
para as 15h.

3. Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro realizou teste para Covid-19 na noite desta segunda-feira em um hospital de Brasília e espera o resultado do exame nesta terça-feira, segundo nota da Secretaria de Comunicação do governo. Bolsonaro apresenta bom estado de saúde e está em sua residência, apontou a nota.

De acordo com a CNN Brasil, Bolsonaro estava com febre de 38ºC e está tomando hidroxicloroquina, um medicamento que ele vem divulgando para combater o coronavírus, mas que até agora tem eficácia não comprovada. O resultado do teste deve ser divulgado ao meio-dia de hoje e presidente cancelou toda a agenda da semana.

4. Campanha eleitoral

Senadores governistas tentam emplacar é a volta dos showmícios em eventos eleitorais, segundo reportagem do jornal Folha de S.Paulo.

Essa é uma das propostas da minirreforma eleitoral que está em tramitação. A outra tenta retomar a propaganda partidária no rádio e na TV. As mudanças valeriam para a eleição de 2022.

As mudanças, segundo a reportagem, seriam uma forma de contemplar demandas dos parlamentares do bloco conhecido como “Centrão”.

5. Noticiário corporativo

A companhia aérea Azul demitiu cerca de mil funcionários, principalmente tripulantes, para tentar se ajustar ao novo cenário imposto pela pandemia do novo coronavírus, segundo reportagem da agência Reuters.

Esse número de demissões equivale a pouco mais de 7% do quadro de funcionários da empresa ao final de março.

Já a Renova Energia entrou com dois pedidos de recuperação judicial na segunda-feira. O objetivo é melhorar a estrutura da companhia e atender aos credores.

O primeiro plano é exclusivo às sociedades do Projeto Alto Sertão III – Fase A, vinculadas ao financiamento originalmente obtido junto ao BNDES.

O outro contempla a companhia e as demais sociedades em recuperação judicial do Grupo Renova, em trâmite perante 2º Vara de Falências e Recuperações Judiciais da Comarca do Estado de São Paulo.

E enquanto algumas empresas tentam se ajustar a nova realidade da economia, outra aproveitam a alta liquidez dos mercados para levantar recursos. Esse é o caso da Ambipar. A demanda pelas ações da empresa já supera em mais de seis vezes a oferta, segundo reportagem do jornal “O Estado de São Paulo”. A empresa de gestão ambiental está realizando a sua oferta inicial de ações (IPO), com fixação do preço em 10 de julho.

Já o Grupo Profarma anunciou que contratou um grupo de bancos para coordenar potencial oferta primária de ações da d1000, que reúne as redes Drogasmil, Farmalife, Drogarias Tamoio e Drogaria Rosário, que conta com 300 lojas.

(com Bloomberg e Agência Estado)

O passo a passo para trabalhar no mercado financeiro foi revelado: assista nesta série gratuita do InfoMoney.