Fique de olho

Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta sexta-feira

Bolsas mundiais registram leve alta com investidores à espera de dados de emprego nos EUA; votação no STF e mais destaques

arrow_forwardMais sobre
ações bolsa mercado stocks índices gráficos
(Shutterstock)

SÃO PAULO – Após as bolsas mundiais diminuírem o ímpeto no final do pregão da última quinta-feira (3) após a Pfizer cortar meta de produção de doses de vacina contra o coronavírus para 2020 pela metade depois de imprevistos com suprimentos (veja mais aqui), a sessão é de leves altas para os principais índices nesta sexta (4), com os investidores monitorando os avanços para a imunização.

Na agenda econômica, o grande destaque fica para os EUA com o payroll, que apresentará os números do mercado de trabalho referentes a novembro no país. Também no radar, serão divulgados dados sobre pedidos de fábrica, pedidos de bens duráveis e pedidos de bens de capital relativos a outubro.

No Brasil, em dia de agenda fraca, os investidores monitoram votação do STF sobre Congresso, que começou esta madrugada com dois votos de Gilmar Mendes e Dias Toffoli a favor da reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ)  e Davi Alcolumbre (DEM-AP) às presidências da Câmara e Senado, respectivamente, mas havendo dúvidas sobre se desfecho sai nesta data. Confira os destaques:

1.Bolsas mundiais

Os mercados europeus e os índices futuros americanos têm leves altas nesta sexta-feira (4), à medida que investidores monitoram conversas sobre a aprovação de um novo pacote de estímulos como contraponto à aceleração da pandemia de covid nos Estados Unidos, e a perspectiva de aprovação de um novo acordo comercial entre União Europeia e Reino Unido pós-Brexit.

O mercado também monitora as perspectivas para a vacinação em massa. Na quinta, a farmacêutica Pfizer afirmou que cortou suas estimativas para distribuição da vacina desenvolvida em sua parceria com a BioNTech devido a problemas na cadeia de fornecimento.

O produto foi aprovado emergencialmente no Reino Unido na quarta-feira, e deve começar a ser distribuído no país na semana que vem. Espera-se que seja usado para imunizar um terço da população britânica.

As farmacêuticas pretendiam distribuir 100 milhões de doses já em 2020, mas remessas de materiais utilizados para produzir as vacinas não atingiram o padrão desejado. O total de doses previstas para 2020 foi cortado pela metade.

Já a farmacêutica Moderna afirmou que espera fornecer 125 milhões de doses de sua vacina experimental no primeiro trimestre de 2021, globalmente.

Com leves altas pela manhã, os índices futuros americanos monitoram a divulgação de um relatório-chave que indicará o ritmo de recuperação do mercado de trabalho nos Estados Unidos.

PUBLICIDADE

Os investidores também acompanham o noticiário em torno da aprovação de um novo pacote de estímulos para a economia americana. Pela quinta à noite, veículos noticiaram que congressistas conservadores dos Estados Unidos vêm demonstrando apoio ao projeto bipartidário de US$ 908 bilhões de estímulos, apresentado na terça-feira (1).

Os republicanos parecem estar se sensibilizando para o fato de que o número de novos casos diários, hospitalizações e mortes vem batendo recordes no país.

O valor do pacote fica bem abaixo dos US$ 2,2 trilhões defendidos por líderes democratas. O seu grande oponente continua sendo, no entanto, o líder da maioria republicana no Congresso, o senador pelo estado do Kentucky, Mitch McConnel, que defende um projeto de US$ 500 bilhões.

Sem a aprovação de um novo pacote, mais de 13 milhões de americanos devem perder, no dia 26 de dezembro, benefícios voltados a desempregados.

Os legisladores trabalham com o prazo de 11 de dezembro para aprovar o pacote. Nesta data expira o financiamento para programas federais operacionais não extraordinários. O Congresso trabalha em torno de um pacote fiscal de US$ 1,4 trilhão.

Caso não seja aprovado, pode haver um “shutdown” nas agências federais americanas, e serviços considerados não essenciais podem fechar. Líderes congressistas esperam votar o pacote extraordinário de estímulo devido à pandemia junto com esse pacote fiscal que expira em 11 de dezembro.

Ainda no radar, na véspera, representantes de União Europeia e Reino Unido realizaram conversas sobre a aprovação de um novo acordo comercial para substituir o atual, que expira em 31 de dezembro. O jornal britânico Financial Times reportou, no entanto, que o Reino Unido acusa a França de fazer demandas de última hora, o que pode dificultar a aprovação de um pacote antes do fim da semana.

Na Ásia, os mercados fecharam em sentidos diversos, após o Pentágono adicionar mais empresas chinesas a uma lista de empresas controladas pelos militares do país. Entre as companhias estão a fabricante de chips Semiconductor Manufacturing International Corp, e a petroleira CNOOC.

PUBLICIDADE

Em meados de novembro, o presidente Donald Trump emitiu uma ordem executiva que impede investidores americanos de comprarem, a partir de 2021, ações de empresa que sejam de propriedade ou controladas pelos militares chineses.

No mercado de commodities, o petróleo WTI supera em NY os US$ 46 com redução suave de cortes pela Opep+ e minério de ferro e cobre mantêm fôlego com demanda chinesa.

Com relação à Opep+, o cartel e seus aliados concordaram em aumentar sua produção em apenas 500 mil barris/dia no mês a partir de janeiro de 2021. O pequeno aumento equivale a cerca 0,5% da demanda global pré-pandemia de 100 milhões de barris ao dia (mbpd), o que significa um aumento modesto na oferta global. “Vemos a notícia como positiva para preços de petróleo, tendo em vista que indica o atingimento de um consenso entre países membros da OPEP+. Além disso, o aumento gradual de produção implicará uma menor pressão sobre estoques de petróleo (e, portanto, preços da commodity) tendo em vista o ambiente ainda incerto de demanda por combustíveis e derivados com a pandemia da COVID-19”, destaca a equipe de análise da XP Investimentos.

 

Veja os principais índices às 7h20 (horário de Brasília):

Estados Unidos
*S&P 500 Futuro (EUA), +0,31%
*Nasdaq Futuro (EUA), +0,32%
*Dow Jones Futuro (EUA), +0,43%
Europa
*Dax (Alemanha), +0,11%
*FTSE 100 (Reino Unido), +0,67%
*CAC 40 (França), +0,43%
*FTSE MIB (Itália), +0,62%

Ásia
*Nikkei (Japão), -0,22% (fechado)
*Hang Seng Index (Hong Kong) +0,4% (fechado)
*Kospi (Coreia do Sul), +1,31% (fechado)
*Shanghai SE (China), +0,07% (fechado)

Commodities e bitcoin
*Petróleo WTI, +1,27%, a US$ 46,22 o barril
*Petróleo Brent, +1,25, US$ 49,32 o barril
*Bitcoin, US$ 19.014, -1,14%
Sobre o minério: **Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian fecharam com alta de 4,24%, cotados a 972 iuanes, equivalente hoje a US$ 148,79 (nas últimas 24 horas).
USD/CNY = 6,53

2. Agenda

PUBLICIDADE

Nesta sexta-feira, o leilão da CEB-D pelo BNDES ocorre na B3 durante a manhã.

Às 10h30 são divulgados dados sobre a balança comercial americana nos Estados Unidos em outubro. No mesmo horário, é divulgada uma série de dados sobre o mercado de trabalho do país em novembro.

Ela inclui informações sobre a variação na folha de pagamentos não agrícola, variação na folha de pagamento do setor de manufaturas, revisão líquida da folha de pagamento de dois meses, variação em pagamento no setor privado, taxa de desemprego, média de ganhos por hora, horas médias semanais, taxa de participação na força de trabalho, taxa de subdesemprego.

De acordo com a mediana das projeções de economistas consultadas pela Bloomberg, a taxa de desemprego deve cair de 6,9% para 6,8%, com a criação de 475 mil vagas, ante dado anterior de criação de 638 mil postos de trabalho.

Às 12h, Michelle Bowman, integrante do board do Fed, o Banco Central americano, fala a respeito do setor bancário comunitário e de fintechs.

Também às 12h são divulgados dados sobre pedidos de fábrica, pedidos de bens duráveis e pedidos de bens de capital relativos a outubro nos Estados Unidos.

3. Reforma tributária e vacinação

Em evento promovido pela CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção) na quinta à noite, o ministro da Economia Paulo Guedes afirmou que um desentendimento político impede a tramitação da reforma tributária no Congresso.

“Colaboramos com a segunda fase, a Vanessa (Canado, assessora especial do Ministério da Economia), que trabalha conosco, estava em conexão direta com o relator Aguinaldo (Ribeiro, PP-PB), fornecendo os nossos ‘insights’ sobre a segunda fase, que eram os impostos indiretos, IPIs (Imposto sobre Produto Industrializado), seletivos, etc”, afirmou Guedes. “E, de repente, com esse impasse político, esse desentendimento político envolvendo a disputa da presidência da Câmara, a conversa está mais ou menos interrompida.”

O Supremo Tribunal Federal (STF) começou a julgar se permite que os atuais presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), podem disputar a reeleição para se manterem em seus cargos até fevereiro de 2023.

Os mandatos de ambos têm sido marcados por enfrentamentos com o governo de Jair Bolsonaro. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, articulações políticas de bastidores, mudanças constitucionais recentes e a simpatia de ministros do STF com a postura dos dois líderes em relação ao governo têm alimentado a esperança de que ambos possam se manter em seus cargos.

Gilmar Mendes e Dias Toffoli votaram na madrugada desta sexta para permitir reeleição de Maia e Alcolumbre. O julgamento de ação está previsto para durar uma semana, mas pode ser interrompido a qualquer momento caso algum integrante da Corte peça vista ou destaque; ainda faltam votar 8 ministros. Indicado por Bolsonaro e terceiro ministro a votar em plena madrugada, Kassio Nunes Marques votou contra uma eventual candidatura de Maia à reeleição.

Apesar de falar em “impasse político”, Guedes disse acreditar que a reforma tributária pode sair rapidamente. “Acho que nós vamos fazer um acordo rapidamente, isso pode ser retomado, ou agora ou então depois, mas a verdade é que vamos fazer essa reforma”, pontuou.

Além disso, o Senado aprovou na quinta o projeto de lei que determina que a vacina contra a covid-19 seja direito de todos e gratuita, com prioridade para grupos-chave. O projeto diz também que o SUS (Sistema Único de Saúde) terá prioridade na compra das vacinas até que as metas de imunização sejam cumpridas. A proposta segue para a Câmara dos Deputados.

Na quarta-feira, o Ministério da Saúde anunciou que prevê que a vacinação no país se inicie entre março e junho de 2021.
Na quinta, no entanto, o governador de São Paulo João Doria criticou a previsão, e disse acreditar que o estado deve começar a aplicar já em janeiro a CoronaVac, desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac. Ela deve ser produzida no Brasil pelo Instituto Butantan, a partir de insumos importados da China.

4. Bolsonaro fala sobre crescimento da economia e energia

Sem fazer uma referência direta aos dados do Produto Interno Bruto (PIB) divulgados pela manhã da véspera, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou, em sua live semanal na noite de quinta-feira, que a economia do país está retomando seu crescimento em V. “Economicamente estamos crescendo em V, como dizia o Paulo Guedes, né? Realmente, os dados são fantásticos”, disse Bolsonaro.

O próprio ministro da Economia admitiu mais cedo, no entanto, que o resultado do terceiro trimestre ficou abaixo do esperado, ainda que mostre uma retomada em V.

O PIB do Brasil cresceu 7,7% no período de julho a setembro na comparação com os três meses anteriores, segundo dados divulgados na manhã de quinta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É a maior expansão registrada no terceiro trimestre pelo instituto desde que iniciou os cálculos do PIB trimestral, em 1996. Mas ainda é insuficiente para recuperar as perdas com a pandemia no país, de 1,5% do PIB no primeiro trimestre, e de 9,6% do PIB no segundo trimestre.

Dessa forma, na comparação com o mesmo período de 2019 houve retração de 3,9% no PIB. O patamar também fica 7,3% abaixo do pico registrado no início de 2014.  Os resultados também ficam abaixo da expectativa do mercado. Analistas consultados pela agência internacional Bloomberg projetavam crescimento de 8,7% no terceiro trimestre frente o trimestre imediatamente anterior, e queda de 3,6% em relação ao mesmo período de 2019. O Ministério da Economia projetava expansão de 8,3% na comparação entre segundo e terceiro trimestres. Confira a análise clicando aqui. 

Em sua live semanal, Bolsonaro também instou consumidores a evitarem o desperdício de energia. As reservas de hidrelétricas estão pressionadas no país pela falta de chuvas e pela retomada da demanda.

Eu apago todas as luzes do Alvorada, estamos em campanha para economizar energia”, disse, ao lado do ministro de Minas e Energia, almirante Bento Albuquerque. “Você em casa pode fazer isso, evitar o desperdício”, afirmou o presidente.

Bolsonaro disse que a adoção da bandeira tarifária vermelha, que aumenta o custo da conta de luz, não é “maldade da gente” com o objetivo de arrecadar mais, mas sim para bancar uma fonte de energia mais cara que é a termelétrica.

Destacou que tão logo o nível dos reservatórios hidrelétricos volte à normalidade, essa bandeira vai acabar.
Bento e Bolsonaro defenderam a adoção de um maior uso da energia nuclear no país a fim de compensar na geração energética em momentos como o atual.

5. Radar corporativo

O ministro Bento Albuquerque (Minas e Energia) disse na noite desta quinta, durante transmissão de Bolsonaro nas redes sociais, que acredita na capitalização da Eletrobras em 2021. Acreditamos que será [aprovado o Projeto de Lei], já conversamos com deputados e senadores e tem tudo para ser aprovado no ano de 2021 e nós realizarmos, não diria a privatização, mas uma venda da Eletrobras“, disse o ministro, complementando: “vai ser capitalizada, vai virar uma grande empresa de energia”.

A fabricante de cervejas Ambev pretende investir R$ 255 milhões na unidade de Itapissuma, em Pernambuco. O objetivo é ampliar sua capacidade de produção de cerveja puro malte, e criar uma nova linha de envase focada nas regiões Norte e Nordeste. Segundo o jornal Valor, o anúncio oficial será feito pela companhia nesta sexta, em visita do governador do estado, Paulo Câmara (PSB), à fábrica.

Ainda no radar, após 311 adesões,  a Copel tem novo programa demissão incentivada. Já segundo o jornal O Globo, a Petrobras fará nova licitação pelo Polo Urucu.

O Itaú emite R$ 2,1 bi em Letras Financeiras Subordinadas Nível 2, a EZTEC lança empreendimento na cidade de São Paulo com Valor Geral de Vendas (VGV) de R$ 135,1 milhões.

A Rede Energia convocou nova assembleia para avaliação do valor justo na oferta de aquisição de ações (OPA) da Energisa: a a assembleia será realizada no dia 18 de dezembro deste ano.

A Gol divulgou as prévias operacionais do mês de novembro. A companhia aérea registrou queda na demanda de passageiros de 43,8% em relação ao mesmo mês do ano passado, enquanto a oferta recuou 46,3% na mesma base de comparação. Assim, a taxa de ocupação teve alta de 3,7 pontos porcentuais no período, para 84,5%.

Já o Carrefour Brasil pagou R$ 247,4 milhões ao Makro por lojas e postos. A Dasa, por sua vez, anunciou a compra da Biodínamo por R$ 1,77 bilhão.

É possível operar com apenas R$ 25? Analista mostra como fazer primeiro trade, bater metas de ganhos diários e controlar riscos. Inscreva-se de graça!