Fique de olho

Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta quarta-feira

Rali das bolsas mundiais perde força em dia de bateria de dados nos EUA: confira os destaques desta quarta

arrow_forwardMais sobre
(Foto: Getty Images)

SÃO PAULO – As bolsas mundiais têm uma sessão entre leves altas e perdas nesta quarta-feira (25) após o rali da véspera: a agenda americana marca a ata da última reunião do Federal Open Market Commitee (Fomc) e bateria de dados nos EUA. Na véspera, o índice Dow Jones atingiu seu recorde enquanto que, na quinta-feira, as bolsas americanas fecham para o feriado de Ação de Graças, reabrindo durante meia sessão na sexta-feira.

Nos últimos dias, o mercado teve altas impulsionadas pelo anúncio, feito na segunda, de que a vacina desenvolvida em parceria entre a universidade de Oxford e a farmacêutica AstraZeneca tem 70% de eficácia média, chegando a 90% quando se utiliza um dos métodos de aplicação. As informações divulgadas à imprensa se baseiam na análise de resultados de testes de fase 3.

No Brasil, o Ibovespa chegou perto dos 110 mil pontos na terça em meio ao maior fluxo dos estrangeiros e também em meio ao noticiário sobre a possível captação pelo Tesouro no exterior ainda neste ano.

Confira os destaques:

1.Bolsas mundiais

As bolsas mundiais oscilam entre leves ganhos e perdas nesta quarta-feira, assimilando os ganhos dos dias anteriores, impulsionados pelo anúncio de dados otimistas quanto à vacina desenvolvida por AstraZeneca e Universidade de Oxford.

Essa vacina é a principal aposta do governo federal brasileiro e do governo britânico para imunizar suas populações. O anúncio se soma a resultados positivos divulgados pela farmacêutica Moderna, pela parceria entre Pfizer e BioNTech e pelo Instituto Gamaleya, ligado ao governo russo.

Até agora, nenhum dos resultados foi, no entanto, publicado em uma revista acadêmica independente, por isso as informações disponíveis ainda são baseadas nos anúncios feitos à imprensa.

Na terça-feira, o presidente Donald Trump veio a público em uma coletiva de imprensa para comentar a alta recorde do índice Dow Jones, que atingiu a marca de 30 mil pontos pela primeira vez. Mas ele não respondeu a perguntas, em um momento em que sua gestão finalmente abre espaço para a transição para aquela do presidente eleito Joe Biden, que apresentou seus indicados para cargos de segurança.

O índice S&P 500 Futuro cai 0,07%; o Nasdaq Futuro sobe 0,28%; o Dow Jones Futuro cai 0,15%.
No momento, o coronavírus continua a se propagar em ritmo acelerado nos Estados Unidos. O país já registrou 173 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, e o número de pacientes hospitalizados com a doença atingiu, pelo 15ª dia consecutivo, um novo recorde no país. O país se aproximou de 12,6 milhões de casos confirmados de covid-19. Além disso, mais de 2 mil pessoas morreram após serem infectadas pelo vírus. Desde o início da pandemia, a covid-19 já fez quase 260 mil vítimas nos EUA.

PUBLICIDADE

Na Europa, economias importantes, como Reino Unido, França e Alemanha implementam novas medidas de restrição. A Espanha registrou 537 novas mortes na terça-feira, e a Itália, 853, o maior patamar desde março, quando os dados do país eram acompanhados mundialmente, como exemplo da gravidade que a crise de covid poderia atingir.

O índice Eurostoxx tem queda de 0,2%; o Dax, da Alemanha, sobe 0,01%; o FTSE 100, do Reino Unido, cai 0,28%; o CAC 40, da França, sobe 0,04%; o FTSE MIB, da Itália, sobe 0,12%.

Na terça, o governo francês anunciou o afrouxamento limitado do lockdown no país a partir de meados de dezembro. Alemanha e Espanha estudam implementar restrições sobre as reuniões de Natal e ano-novo, em uma tentativa de impedir a propagação do vírus no feriado.

Nesta segunda, governadores de estados alemães discutem a proposta de estender o lockdown até meados de dezembro, e implementar reuniões de, no máximo, dez pessoas durante a temporada de festas.

Na Ásia, os índices tiveram desempenhos mistos. O índice Nikkei, do Japão, teve alta de 0,5%; o Hang Seng Index, de Hong Kong, subiu 0,31%; o Kospi, da Coreia do Sul, caiu 062%; o índice Shanghai, da China, caiu 1,19%.

Confira o desempenho dos principais índices às 7h30 (horário de Brasília):

Estados Unidos
*S&P 500 Futuro (EUA), -0,07%
*Nasdaq Futuro (EUA), +0,28%
*Dow Jones Futuro (EUA), -0,15%

Europa
*Dax (Alemanha), +0,01%
*FTSE 100 (Reino Unido), -0,28%
*CAC 40 (França), +0,04%
*FTSE MIB (Itália), +0,12%

PUBLICIDADE

Ásia
*Nikkei (Japão), +0,5% (fechado)
*Hang Seng Index (Hong Kong) +0,31% (fechado)
*Kospi (Coreia do Sul), -062% (fechado)
*Shanghai SE (China), -1,19% (fechado)

Commodities e bitcoin
*Petróleo WTI, +0,1%, a US$ 45,36 o barril
*Petróleo Brent, +1,3%, US$ 48,48 o barril
*Bitcoin, US$ 19.287,41, +2,01%
Sobre o minério: **Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian fecharam com alta de 0,57%, cotados a 880 iuanes, equivalente hoje a US$ 133,77 (nas últimas 24 horas).
USD/CNY = 6,58

2. Agenda de indicadores

Às 5h, a Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) divulgou o Índice de Preços ao Consumidor do Município de São Paulo semanal, que teve alta de 1,09%.

Às 6h30, o Banco Central Europeu divulgou seu relatório sobre estabilidade financeira, afirmando que a lucratividade dos bancos deve continuar baixa. “Com a recente ressurgência das infecções e novas medidas de contenção, é provável que as previsões de lucratividade sejam revisadas para baixo, e também não há certeza sobre quando a vacina estará disponível para uma parcela maior da população”, diz o documento.

Voltando à agenda doméstica, durante a manhã, a FGV divulga dados sobre custos de produção no Brasil e de confiança do consumidor, relativos a novembro. Às 9h30, o Banco Central divulga os dados sobre saldo em conta corrente e investimento estrangeiro direto, relativos a outubro.

Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, participa hoje do evento da Sicoob Engecred às 16h.

Na véspera, Campos Neto participou do evento Melhores Empresas da Bolsa, do InfoMoney e Stock Pickers e enfatizou que o equilíbrio fiscal “é muito relevante” para a condução da política monetária brasileira.

“O Brasil fez muito mais em termos de gastos do que os países emergentes. Já vinha numa situação fiscal mais frágil e termina com uma situação ainda bem mais frágil, mas conseguiu evitar bastante a redução de crescimento”, disse Campos Neto no evento, online e gratuito, que vai até dia 26. Para participar, basta se cadastrar aqui. 

PUBLICIDADE

Nos EUA, às vésperas do feriado de Ação de Graças, às 10h30, serão revelados os dados sobre pedidos de seguro-desemprego no país. No mesmo horário, será divulgado o dado revisado do PIB do terceiro trimestre dos EUA, com previsão de alta de 33,1% em termos anualizados; além disso, serão reveladas as estimativas para as encomendas de bens duráveis em outubro. Às 12h, serão divulgados o índice PCE de outubro, as vendas de novas moradias em novembro, enquanto a Universidade do Michigan revela o dado final do sentimento do consumidor em novembro. Às 12h30, serão divulgados os dados de estoque de petróleo. Por fim, às 16h, será divulgada a ata da última reunião do Fomc.

 

3. Vacinação no Brasil

Na terça-feira, o Brasil registrou 630 novas mortes por covid, tendo completado dez dias com tendência de alta na média móvel. Dessa forma, o país atingiu o patamar de 170.115 mortes por covid. Foram registrados 31.100 novos casos de infecção pela doença, e há indícios de que esse patamar deve continuar a crescer.

De acordo com o Imperial College de Londres, a taxa de transmissão da doença chegou a 1,3, o maior nível desde maio. Como a taxa está acima de 1, a transmissão cresce em ritmo exponencial. Cada 100 pessoas contaminadas infectam outras 130, e cada 130, outras 169, e assim, sucessivamente.

No Rio, a rede pública de saúde registrou, pela primeira vez desde junho, fila para leitos de UTI para pacientes graves. O governo não apresentou plano de restrição de atividades, e o governador interino, Cláudio Castro, afirmou que pretende abrir mais leitos de hospitais e um plano de testagem em massa.

O grupo técnico do Ministério da Saúde encarregado de elaborar a estratégia de vacinação contra o vírus deve se reunir na segunda-feira e preparar a primeira versão do plano de vacinação, que deve ser consolidado antes mesmo de as principais vacinas em estudo no mundo serem aprovadas. Esse grupo é formado por funcionários ligados ao Conselho Nacional de Saúde e ao Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Sáude.

A ideia é seguir o plano logístico utilizado em todas as vacinações, previsto no PNI (Plano Nacional de Imunizações), mas o grupo técnico deve traçar diferentes cenários, já que não há certeza sobre qual será o imunizante adotado, e em quantas fases será aplicado, informa o jornal O Globo.

Os principais candidatos no Brasil são o produto desenvolvido entre universidade de Oxford e AstraZeneca, que no Brasil é testado pela Fiocruz, e o produto desenvolvido pela chinesa Sinovac, testado no país pelo Instituto Butantan.

Ambas são armazenadas em temperaturas de entre 2° C e 8°C, assim como a vacina Sputnik V, do Instituto Gamaleya, ligado ao governo russo. As vacina desenvolvida pela Moderna e a desenvolvida em parceria entre Pfizer e BioNTech precisam ser guardadas em entre -20° C e -80° C, o que encarece armazenamento e distribuição.

O governo pretende realizar a distribuição simultânea da vacina por todo o país, mas é possível que o grupo técnico decida priorizar áreas que estejam sofrendo um surto mais grave da doença. A vacina deve priorizar grupos de risco e profissionais de saúde.

4. Renda Cidadã

O governo Jair Bolsonaro (sem partido) e o Congresso negociam cortes de incentivos e subsídios de até 25%, com o objetivo de garantir o financiamento do Renda Cidadã, programa social de transferência de renda que pode vir a substituir o Bolsa Família mas, no momento, esbarra no teto de gastos.

Segundo o jornal Valor, as negociações ocorrem em torno da PEC (proposta de emenda à Constituição) do Pacto Federativo, que pode ser votada a partir de 8 de dezembro. Uma fonte do jornal afirma que certos setores, como adeptos do Simples Nacional, poderiam ser poupados.

Dentre os cortes em análise está garantir ao governo permissão para desindexar da inflação aposentadorias e pensões acima de um salário mínimo, o que permitiria cortes nos pagamentos conforme a taxa avança.

Outro ponto em estudo é a desoneração da cesta básica, incentivo fiscal que chegará a R$ 17,6 bilhões em 2021. A lógica é de que, mesmo com o corte, o incentivo seria devolvido à população mais pobre por meio do novo programa de transferência de renda.

Além disso, o Senado deve votar nesta quarta-feira a nova Lei de Falências, que deve incluir produtores rurais como sujeitos aptos a requerer recuperação judicial.

5. Radar corporativo

Analistas do Goldman Sachs atualizaram projeções para siderúrgicas brasileiras listadas na B3, enxergando volumes e preços maiores nos próximos trimestres, de acordo com relatório a clientes nesta terça-feira, no qual elevaram os preços-alvo de Gerdau, Usiminas e CSN.

“Esperamos que o efeito residual dos recentes aumentos de preços, juntamente com o aumento futuro em dezembro/janeiro, tenham um impacto ainda maior nos resultados do quarto trimestre de 2020 e do primeiro trimestre de 2021”, afirmaram, estimando que o aumento do preço do aço de 5% em novembro, enquanto o preço do contrato automotivo aumente em 25% no Brasil.

A Notre Dame Intermédica anunciou na terça a compra de 100% do grupo Hospital do Coração de Londrina por R$ 170 milhões, informou a companhia de planos de saúde em fato relevante ao mercado.
O valor da aquisição equivale a R$ 700 mil por leito, informou a companhia. O preço do negócio será pago em dinheiro à vista, descontado endividamento líquido não informado pela Intermédica.

A AES Tietê anunciou nesta terça-feira a mudança na nomenclatura da companhia para AES Brasil.

A Natura&Co inaugurou nesta terça-feira um centro de pesquisa e desenvolvimento de produtos na região metropolitana de São Paulo, de olho em acelerar o tempo de resposta da companhia às novas tendências do mercado, afirmaram executivas da quarta maior fabricante de cosméticos do mundo.

No Banco do Brasil, Carlos Hamilton renuncia como CFO. Carlos André o substitui.

Invista no ativo com maior potencial de valorização: o seu conhecimento. Aproveite descontos de até R$ 1.319 nos cursos do InfoMoney e Xpeed – vagas limitadas!