Ônibus fretados deverão pesar mais no bolso dos consumidores

Isso por conta da variação do Índice de Custo de Fretamento, que atingiu 25,26% nos últimos 36 meses

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – Os ônibus fretados, cada vez mais utilizados por pessoas que moram distante do trabalho e não têm paciência para ficar no trânsito, deverão pesar mais no bolso dos consumidores nos próximos meses.

A informação é do diretor-executivo do Transfretur, sindicato afiliado à Fresp (Federação das Empresas de Transportes de Passageiros por Fretamento do Estado de São Paulo), Jorge Miguel dos Santos, que afirma que o aumento é inevitável, devido à alta dos custos.

ICF

Para se ter uma idéia, o ICF (Índice de Custos de Fretamento – que aponta os custos operacionais necessários para realizar o transporte de passageiros) apresentou uma variação de 25,26% nos últimos 36 meses (terminados em setembro).

A variação se deve, sobretudo, aos salários, óleo diesel, pneu e veículos. No caso do serviço de três turnos com ônibus Standard, por exemplo, o preço mensal médio subiu 21,8% entre setembro de 2004 e o nono mês deste ano.

Repasse difícil

Conforme explica Santos, nem 6% deste aumento acumulado nos últimos meses foi repassado para os contratantes do serviço. Dessa maneira, a Fresp luta para conseguir retirar esta defasagem de quase 20%.

“O repasse será gradativo e deverá atingir entre 10% e 12%, já que, em tempos de economia estabilizada, estes percentuais de aumento são muito altos”, esclarece.

No caso dos contratos feitos com empresas (que oferecem o benefício aos funcionários ou subsidiam parte do custo), a chance de aumentar os preços dos fretamentos é menor, por conta das dificuldades de negociação.

Compartilhe