Em mercados

Membros do Fed falam em "ajuste de ciclo" e não dão sinais sobre ritmo de corte de juros

Membros da autoridade americana concordaram que o corte de juros não deve ser visto como uma indicação de que há uma "curso pré-estabelecido"

Federal Reserve
(Flickr/Federal Reserve)

SÃO PAULO - O Federal Open Market Committee (Fomc) divulgou na tarde desta quarta-feira (21) a ata da sua última reunião, que cortou os juros no país pela primeira vez desde 2008.

No documento, os membros da autoridade americana concordaram que o corte de juros não deve ser visto como uma indicação de que há uma "curso pré-estabelecido" para futuras reduções das taxas.

O diretores do Fed enxergam este movimento como um "ajuste de meio do ciclo", uma expressão que o presidente do banco central americano, Jerome Powell, usou na coletiva pós-reunião três semanas atrás e que acabou gerando pânico no mercado. Na ocasião, este termo foi visto como um sinal de que pode não haver mais cortes de juros nos EUA.

O documento diz que "a maioria dos participantes” viu o corte de 25 pontos-base "como parte de uma recalibração da postura da política, ou ajuste de meio do ciclo” em resposta às mudanças nas condições.

“Vários participantes sugeriram que a natureza de muitos dos riscos que eles julgavam estar pesando sobre a economia e a falta de clareza sobre quando esses riscos poderiam ser resolvidos, destacando a necessidade de os formuladores de políticas permanecerem flexíveis e focados nas implicações de dados entrantes para as perspectivas ", diz a ata.

Após a última reunião do Fomc, a questão dos investidores passou a ser se o Federal Reserve (o banco central americano) dará continuidade à redução das taxas nos próximos meses, principalmente após a recente inversão da curva de juros sinalizar para uma recessão na maior economia do mundo.

Quer investir melhor o seu dinheiro? Clique aqui e abra a sua conta na XP Investimentos

 

Contato