Em mercados

Federal Reserve mantém juros nos EUA e indica que não subirá taxas este ano

Banco central do Estados Unidos manteve as taxas no nível entre 2,25% e 2,5% ao ano

Federal Reserve
(Flickr/Federal Reserve)

SÃO PAULO - Em decisão unânime, o Fomc (Federal Open Market Committee) manteve na reunião desta quarta-feira (20) os juros nos EUA no patamar entre 2,25% e 2,5% ao ano. O Federal Reserve também indicou que não deverá mais elevar os juros este ano no país.

Em dezembro, os membros do comitê estimaram que dois aumentos de taxa seriam apropriados em 2019, após quatro aumentos em 2018. Em seu comunicado pós-reunião, o Fomc indicou que permanecerá "paciente" antes de adotar qualquer aumento adicional.

A perspectiva de manutenção das taxas foi reforçada pela atualização do chamado "gráfico de pontos" do comitê - um gráfico com as expectativas de cada um dos 17 membros do Fomc. No trimestre anterior, apenas dois membros projetavam nenhuma alta. Isso mudou para 11 nesta reunião.

No comunicado explicando sua decisão, o Fomc disse que a atividade econômica "desacelerou", apesar de o mercado de trabalho continuar "forte" mesmo com o crescimento fraco de 20 mil empregos não-agrícolas em fevereiro.

Mais especificamente, a declaração disse que "indicadores recentes apontam para um crescimento mais lento dos gastos das famílias e do investimento fixo das empresas no primeiro trimestre", um período durante o qual os ganhos do PIB deverão ser modestos. A inflação também "declinou" em grande parte devido à queda nos preços de energia, acrescentou o comunicado.

Junto com a decisão, o banco central norte-americano afirmou que começará em maio a reduzir seu balanço de pagamentos, movimento que deve ser encerrado em setembro. 

Segundo o programa atual, é permitido lançar US$ 30 bilhões em recursos do Tesouro e US$ 20 bilhões de títulos lastreados em hipotecas, enquanto o resto é reinvestido. O montante de Treasuries cairá para US$ 15 bilhões em maio.

O Fed também divulgou novas projeções para o desempenho da atividade econômica dos EUA. O BC espera agora uma expansão de 2,1% do PIB (Produto Interno Bruto) deste ano, contra uma previsão de 2,3% feita em dezembro. Para 2020, a projeção de crescimento recuou de 2% para 1,9%.

Quer investir melhor o seu dinheiro? Clique aqui e abra a sua conta na XP Investimentos

 

Contato