Em mercados

Brasil pode crescer até 7,1% em 2 anos sem pressionar a inflação, diz Pedro Jobim, da Legacy Capital

Para o economista, o novo presidente será pragmático e fará as reformas necessárias para impulsionar a economia do país

SÃO PAULO - O InfoMoney entrevistou nesta semana Pedro Jobim, economista-chefe e sócio-fundador da Legacy Capital, considerado o economista mais pró-Bolsonaro da Faria Lima.

Para ele, o novo presidente será pragmático e fará as reformas necessárias para impulsionar a economia nacional. Isso, combinado a um combo de inflação controlada e um “hiato” do produto, pode culminar com o crescimento da economia por pelo menos dois anos a uma taxa de 3,5% sem pressionar a inflação - . (Assista a entrevista completa no vídeo acima)

Em outras palavras, pode crescer até 7,12% no biênio 2019-2020 sem aumentar os juros. Segundo Jobim, a Selic só deve subir a partir do último trimestre do ano que vem. Considerando que normalmente são realizadas duas reuniões do Copom por trimestre, é provável que a Selic fique abaixo dos 8% projetados pelo Focus, do Banco Central, divulgado semanalmente.

Em entrevista ao programa Papo com Gestor, Jobim explicou que a inflação está muito baixa no Brasil, ancorada na meta de 4% em 2018 e em 2019, e que há um estoque de capacidade ociosa tanto de indústrias, quanto de serviços e mão de obra (lê-se desemprego). “Se você equacionar a questão fiscal, o país vai crescer”, diz. Neste contexto, seria a recuperação da confiança do consumidor e dos agentes privados que geraria esse crescimento.

Como outros economistas, Jobim acredita que a reforma da previdência é o “tiro central” para permitir o crescimento nacional. Para ele, a proposta atual da reforma, que está pronta para ser votada, “é tímida, mas já é o suficiente para fazer um primeiro movimento”. Seriam necessárias, porém, outras medidas de contenção de forma a estabilizar a relação dívida/PIB na casa dos 81% até 2023/2024.

“Eu tentaria aprovar [a reforma] já este ano e depois a modificaria no Senado. Depois ela voltaria para a Câmara para bater o martelo com as modificações que o Senado propor”, conta. Caso a reforma só avance em 2019, outra alternativa seria acelerar a aprovação a partir da abertura do Congresso, em fevereiro.

No entanto, um texto com uma proposta mais ampla de mudanças nas regras da previdência, coordenado pelos economistas Armínio Fraga, ex-presidente do Banco Central, e Paulo Tafner, especialista em previdência, já foi entregue ao futuro ministro da Economia, Paulo Guedes. A expectativa é que a proposta economize até R$ 1,3 trilhão e envolva até militares.

Otimista com o cenário brasileiro, o economista vê um PIB de 1,5% para 2018 e de 3,5% para 2019, com investimentos na casa dos 10%, consumo próximo a 4% e câmbio em R$ 3,70. Estimando uma inflação de 4% neste ano e menor que 4% em 2019, Jobim afirma que a Selic só deva subir a partir do último trimestre do ano que vem.

Em 29 de junho, Jobim  fundou a Legacy Capital com Felipe Guerra, CIO da asset, e Gustavo Pessoa. Por possuir menos de seis meses de vida, a casa não pode divulgar a performance do fundo no período, por isso, o InfoMoney buscou o valor na CVM (Comissão de Valores Mobiliários). Do início até 30 de outubro, o ganho foi de 4,14%, ou 196,20% do CDI. O Legacy Capital Advisory está disponível para aplicação na plataforma da XP. Para investir, clique aqui.

Agora você pode acompanhar o Papo com Gestor também no Spotify! Clique aqui para ouvir o programa ou faça o download pelo player abaixo:

 

Contato