Em mercados

Maior ETF do Brasil cai 2,6% no after market após vantagem de Bolsonaro sobre Haddad cair no Datafolha

Entre os ADRs das empresas brasileiras negociados em Nova York, a Petrobras recua mais de 2% no after market

Mercado em queda
(Shutterstock)

SÃO PAULO - O EWZ (iShares MSCI Brazil ETF), principal ETF brasileiro, tinha queda de 2,62% no after market desta quinta-feira (25) - segundo cotação das 19h42 - após a pesquisa Datafolha mostrar que a diferença entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) caiu de 18 para 12 pontos percentuais em uma semana.

Entre os ADRs (American Depositary Receipt) das empresas brasileiras negociados em Nova York, a Petrobras é o grande destaque, recuando mais de 2% no after market.

A Vale, por sua vez, tem desvalorização de 0,82%. O desempenho dos ADRs e ETF no after market pode indicar o movimento do mercado na abertura do pregão de amanhã.

O Datafolha mostrou nesta quinta que Bolsonaro agora tem 56% dos votos válidos, contra 44% do ex-prefeito de São Paulo. Na pesquisa anterior, divulgada dia 18, eles tinham 59% a 41%, respectivamente.

Em votos totais, o deputado do PSL tem 48%, contra 38% de Haddad. Brancos e nulos são 8% e outros 6% dos entrevistados não sabem ou não opinaram.

No cenário de rejeição, a situação é mais favorável para o deputado do PSL. 46% dos eleitores disseram votar nele com certeza, enquanto 44% não votariam nele de jeito nenhum. Do outro lado, disseram ter certeza no voto em Haddad 37% dos entrevistados, sendo que 52% rejeitam votar nele.

A hora de investir em ações é agora: abra uma conta na Clear com taxa ZERO de corretagem!

 

Tudo sobre:  ADR   Ações  

Contato