Em mercados

Copom decreta o fim do ciclo de queda dos juros; confira a trajetória da Selic

As pressões do câmbio levarão o Copom a endurecer a linguagem, indicando que o ciclo de alívio chegou ao seu fim

Copom
(Marcelo Camargo/Agência Brasil)

SÃO PAULO - Surpreendendo o mercado, o Copom (Comitê de Política Monetária) manteve a taxa básica de juros em 6,50% ao ano, ainda no seu menor nível desde o início da série histórica do BC que data de 1996. Contudo, com o dólar próximo da faixa de R$ 3,70, o maior patamar dos últimos dois anos, o comitê endureceu o tom e indicou o fim do ciclo de queda dos juros.

A trajetória de queda da Selic foi iniciada em 19 de outubro de 2016 e sob a tutela de Ilan Goldfajn, que assumiu o comando do BC em 17 de maio de 2016. Naquela reunião, o Copom reduziu os juros de 14,25% para 14% ao ano, a 1ª queda em quatro anos, com objetivo de tirar a economia brasileira da crise. Com o ciclo de alívio encerrado, o BC interrompeu a sequência de 12 quedas consecutivas da Selic. 

"Para as próximas reuniões, o Comitê vê como adequada a manutenção da taxa de juros no patamar corrente. O Copom ressalta que os próximos passos da política monetária continuarão dependendo da evolução da atividade econômica, do balanço de riscos e das projeções e expectativas de inflação", diz o Copom em seu comunicado.

O gráfico abaixo mostra a série histórica da taxa básica de juros brasileira (clique aqui para abrir em outra janela)

 

Clear oferece a menor corretagem do Brasil; Clique aqui e abra sua conta

 

Contato