Em mercados

Com corte na Selic, Brasil cai para 6ª posição em ranking mundial de juros reais

Em termos nominais, com os novos 6,50% ao ano, o Brasil também caiu para a sexta colocação, ficando atrás da África do Sul

porcentagem juros taxas
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Com o novo corte da Selic realizado nesta quarta-feira (21) pelo Copom (Comitê de Política Monetária), o Brasil caiu de quinto para sexto no ranking mundial de juros reais calculado pela Infinity Asset e o MoneYou, que conta com 40 países.

O País agora tem uma taxa de juros "ex ante", (descontada a inflação projetada para os próximos 12 meses) de 2,54% ao ano. Em termos nominais, com os novos 6,50% ao ano, o Brasil também caiu para a sexta colocação, ficando atrás da África do Sul.

No ranking divulgado nesta quarta-feira (21), foi retirado a Venezuela por conta da "total falta de consistência nos dados", enquanto a Nova Zelândia foi incluída por ser "relevante em termos de oferta e demanda de títulos públicos na região da Oceania".

Segundo a Infinity, 84% dos países do ranking optaram por manter os juros, enquanto 8% optaram pelo corte e 8% optaram pela elevação. Entre 170 países, 78% mantiveram os juros, enquanto 14% optaram pelo corte e 8% elevaram as taxas. A média de juros reais está negativa em 0,06% ao ano, pelo critério global.

Confira o ranking:

capturar_(1)

 

Contato