Em mercados

Por que os impostos da maior petroleira do mundo vão cair quase pela metade - e quais os efeitos disso

Em 2016, o príncipe saudita chegou a estipular em US$ 2 trilhões o IPO da estatal. Analistas, entanto, são menos otimistas

barris de petróleo
(Stefano Rellandini/Reuters)

SÃO PAULO - A Arábia Saudita decidiu reduzir de 85% para 50% os impostos sobre a Aramco, a estatal de petróleo do país. A diminuição é retroativa ao início de 2017 e tem como principal objetivo reforçar em dezenas de bilhões de dólares o caixa da empresa, que tem IPO (Initial Public Offering, na sigla em inglês) previsto para 2018.

O reino da Arábia Saudita afirmou que a redução da arrecadação de impostos será compensada com pagamentos mais gordos de dividendos e lucros maiores atribuíveis ao controlador, no caso o próprio governo. Segundo a CNN Money, o processo vem em meio a discussões de qual o real valor de mercado da "Petrobras saudita".

Segundo a consultoria especializada Rystad Energy, a mudança tem um impacto gigantesco sobre a companhia. "Isso implica em mais dinheiro ficando com a Saudi Aramco, o que faz a companhia mais atrativa para investidores".

Para as autoridades do país, o sucesso do IPO da Aramco é fundamental para o equilíbrio das contas públicas. A queda dos preços do petróleo tem afetado de maneira significativa o Orçamento do país e a arrecadação com a listagem da empresa no mercado de ações pode ser o reforço de caixa que o reino precisa para manter subsídios elevados e programas sociais funcionando.

Em 2016, o príncipe saudita chegou a estipular em US$ 2 trilhões o IPO da estatal. Analistas, entanto, são menos otimistas. Para a Rystad Energy, a redução de impostos pode adicionar US$ 1 trilhão ao valor de mercado da empresa, que totalizaria US$ 1,4 trilhão.

 

Contato