Em mercados

Economia brasileira "cambaleante" derruba venda de títulos em 90%, ressalta Bloomberg

Segundo a agência de notícias, as ofertas despencaram em janeiro na comparação com o mesmo período de 2013, somando US$ 500 milhões

SÃO PAULO - Em meio à economia cambaleante e a deterioração da sua reputação de crédito, o Brasil teve o seu pior começo de ano para a venda de títulos desde 2003, conforme ressalta a Bloomberg.

De acordo com a agência de notícias, as ofertas despencaram 90% em janeiro na comparação com o mesmo período de 2013, somando US$ 500 milhões, com a Braskem (BRKM5) realizando a única venda do País no exterior.

A queda, destaca a Bloomberg, é muito maior do que a baixa de 6% na emissão de dívida dos mercados emergentes, para US$ 46,3 bilhões. A retirada, de US$ 4,6 bilhões até 29 de janeiro já é um terço do fluxo total de saída de 2013, segundo dados do Barclays e do EPFR Global. A desaceleração da economia da China, a desvalorização das moedas emergentes em países como a Argentina e a Turquia e a decisão do Federal Reserve de reduzir o seu programa de estímulos à economia dos EUA foram motivos para o aumento da aversão ao risco do mercado com relação aos emergentes.

No Brasil, as vendas estão praticamente desaparecendo, aponta a Bloomberg, em meio ao crescimento fraco da atividade econômica, perspectiva de rebaixamento de crédito, e êxodo dos mercados emergentes. As emissões brasileiras despencaram 23% em 2013, com a inflação persistente e a alta do déficit orçamentário, que desgastaram a confiança na presidente Dilma. 

Conforme estima os economistas consultados pelo relatório Focus, a economia brasileira deverá crescer 1,91% este ano, menor do que a estimativa para 2013. E, nesta quarta-feira, grandes bancos como o Credit Suisse e o JPMorgan cortaram as projeções de crescimento para o PIB brasileiro em 2014 para 1,5%. 

 

Contato