Em mercados

Apesar de tempestade Sandy, Ibovespa abre em alta e tenta recuperação

Catástrofe natural fecha Wall Street pelo segundo dia e cancela parte da agenda econômica dos Estados Unidos

ações - bolsa - cotações - mercados 4
(Getty Images)

SÃO PAULO - Em linha com o mercado europeu, a bolsa nacional abre em alta e tenta uma recuperação nesta terça-feira (30), depois da sétima queda em oito pregões. Pelo segundo dia, os investidores brasileiros estão sem referência dos EUA, por conta da tempestade Sandy. Por volta de 10h10 (horário de Brasília), o Ibovespa subia 0,34%, aos 57.372 pontos.

Dentre os papéis que são negociados nesta manhã, destaque para LLX ON (LLXL3, R$ 2,34, +1,74%),  OGX ON (OGXP3, R$ 4,67, +1,30%), Brookfield ON (BISA3, R$ 3,55, +1,14%), Eletrobras ON (ELET3, R$ 11,21, +0,99%) e Petrobras PN (PETR4, R$ 21,53, +0,84%).

O principal índice da bolsa paulista fechou o pregão de segunda-feira em leve baixa de 0,17%, atingindo 57.176 pontos e registrando uma alta acumulada no ano de 0,74%. O volume financeiro foi de R$ 4,00 bilhões.

Agenda cancelada
Também devido à catástrofe natural, a publicação do índice de confiança do consumidor norte-americano do Conference Board e o discurso do presidente do Federal Reserve de Nova York foram cancelados. Contudo, a divulgação do índice de preços de casas, medido pela Standard & Poor's foi mantida.

Cenário doméstico
No ambiente nacional, o IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado) desacelerou para 0,02% em outubro, contra alta de 0,97% em setembro, informou a FGV (Fundação Getulio Vargas). A agenda ainda reserva a nota de política fiscal do Banco Central. 

Já na temporada de balanços, destaque para o resultado trimestral da Lojas Renner (LREN3), SulAmérica (SULA11) e TIM (TIMP3), que serão divulgados depois do fechamento do pregão.

Zona do euro
Na Europa, a situação econômica da Espanha continua preocupando os investidores. O PIB (Produto Interno Bruto) do país encolheu 0,3% no terceiro trimestre, na comparação trimestral. Em termos anualizados, o indicador registrou queda de 1,6%. O resultado indica que o país continua em recessão.

Já o indicador de sentimento econômica da zona do euro voltou a cair em outubro, mas veio melhor do que o esperado. O índice recuou 0,7 pontos, para 84,5 pontos. Por lá, também está programado um discurso do presidente do BCE (Banco Central Europeu), Mario Draghi, em Frankfurt.

Reunião do BoJ
No continente asiático, o destaque ficou com o resultado da reunião de política monetária do BoJ (Bank of Japan). O banco anunciou a ampliação do programa de compra de ativos em 11 trilhões de ienes - incluindo 1 trilhão de ienes em ativos de riscos como os fundos ETF. A medida veio em linha com o esperado, mas parte dos investidores esperava uma flexibilização um pouco maior por parte do BoJ.

 

Contato