Em mercados

Ibovespa passa por volatilidade antes de reuniões de bancos centrais

Investidores aguardam decisões do Federal Reserve e do BCE, mas analistas esperam que estímulos fiquem para setembro

ações - bolsa - cotações - mercados 2
(Getty Images)

SÃO PAULO - Depois da volatilidade vista no início dos negócios desta quarta-feira (1), o Ibovespa chegou a registrar fortes perdas de até 1,20% e, às 12h36 (horário de Brasília), já volta para os ganhos: alta de 0,25%, aos 56.235 pontos. No cenário internacional também não há uma trajetória clara para as bolsas. Enquanto nos EUA o movimento é de leve alta, na Europa os mercados oscilam entre ganhos e perdas.

Isso acontece mesmo com a publicação de um número para o mercado de trabalho norte-americano melhor que o esperado. O ADP Employment, que mede a criação de vagas no setor privado, mostrou recuo de 172 mil em junho para 163 mil no mês anterior, enquanto as projeções indicavam que o número cairia para 125 mil.

No entanto, a indústria continua a frustrar os investidores. O ISM Index, que mede o nível de atividade industrial no país, continuou em contração no último mês, enquanto as expectativas é que se passasse para um crescimento.

Além disso, o HSBC e a Markit Economics divulgaram uma série de PMIs (Purchasing Manager's Index), que mede o nível de atividade industrial nos países ao redor do mundo. Segundo compilação da XP Investimentos, 70% das economias pesquisadas iniciam o segundo semestre em contração da atividade.

Na espera pelos bancos centrais
Dessa forma, os investidores mostram cautela antes das reuniões do Federal Reserve, cuja decisão deverá ser divulgada às 15h30, e do encontro do BCE (Banco Central Europeu), que se encontra antes do pregão de quinta-feira.

A expectativa é que os EUA não divulguem nenhum estímulo por ora, assim como analistas alertam para a possibilidade do BCE frustrar as altas expectativas com relação ao seu encontro, deixando as grandes decisões para o próximo mês. Em relatório, a equipe do Société Générale espera que a autoridade monetária da Europa anuncie apenas a retomada das compras de títulos públicos no mercado secundário. Portanto, parece que setembro será, de fato, o mês decisivo para a economia global.

Altas e baixas
Nesta tarde, as principais altas do Ibovespa estão no setor imobiliário, com destaque para os papéis da Rossi Residencial (RSID3). Por outro lado, as ações da Oi (OIBR3, OIBR4) lideram as perdas do índice, depois de divulgar o resultado trimestral na madrugada.

As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 RSID3 ROSSI RESID ON 4,85 +4,30 -37,05 12,10M
 CYRE3 CYRELA REALT ON 15,28 +3,24 +4,88 18,01M
 BISA3 BROOKFIELD ON 3,16 +2,93 -33,70 5,85M
 CCRO3 CCR SA ON 17,59 +2,87 +44,49 22,69M
 VAGR3 V-AGRO ON 0,37 +2,78 +15,63 818,06K

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 OIBR3 OI ON 11,15 -5,43 +5,35 1,18M
 OIBR4 OI PN 9,65 -5,21 +24,88 31,94M
 EMBR3 EMBRAER ON 12,69 -3,42 +8,66 15,83M
 SBSP3 SABESP ON 85,35 -2,43 +70,75 15,63M
 MRVE3 MRV ON 10,88 -2,42 +5,74 66,06M
* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão)

 

 

Contato