Em mercados

Bradesco tem lucro contábil de R$ 2,833 bilhões no segundo trimestre

Banco registra o quinto trimestre consecutivo de aumento na inadimplência e reduz previsões para carteira de crédito

Agência do Bradesco
(Divulgação)

SÃO PAULO - O Bradesco (BBDC4) fechou o segundo trimestre de 2012 com lucro líquido contábil de R$ 2,833 bilhões, o que representa alta de 1,7% em relação ao mesmo período de 2011 e de 1,4% ante o trimestre anterior. No semestre, o lucro somou R$ 5,6 bilhões, avanço de 2,5% em 12 meses.

O banco também informou lucro líquido ajustado de R$ 2,867 bilhões no segundo trimestre. A diferença em relação ao resultado contábil reflete provisões para causas cíveis e efeitos fiscais. No primeiro semestre, o ganho ajustado foi de R$ 5,712 bilhões.

Crédito
A carteira de crédito total do Bradesco, que inclui avais e fianças, atingiu R$ 364,9 bilhões até junho, crescimento de 14,1% ante o mesmo mês do ano passado. As operações com pessoas físicas somaram R$ 112,235 bilhões, com expansão anual de 9,1%. Já os empréstimos para pessoas jurídicas ficaram em R$ 252,728 bilhões, alta de 16,5%.

Conforme o balanço, a instituição reduziu sua projeção de crescimento da carteira de crédito em 2012 de 18% a 22% para 14% a 18%.

O índice de inadimplência do banco fechou o segundo trimestre em 4,2%, considerando os atrasos acima de 90 dias, acima dos 3,7% do mesmo trimestre de um ano antes. No primeiro trimestre, o índice estava em 4,1%.

Provisões
As despesas com provisões para devedores duvidosos foi de R$ 3,4 bilhões no segundo trimestre, alta de 10% ante o primeiro período do ano. De janeiro a junho, o montante cresceu 35%.

O saldo total das provisões para devedores duvidosos do Bradesco no final de junho era de R$ 20,7 bilhões. O valor é composto por R$ 16,7 bilhões de provisões exigidas pelo Banco Central e R$ 4 bilhões de provisões excedentes.

Outros números
O índice de Basileia do banco atingiu 17%, com crescimento de 2 pontos percentuais ante o primeiro trimestre. Um ano atrás, o índice estava em 14,7%. Já os ativos totais do banco ficaram em R$ 830,5 bilhões em junho, um crescimento de 20,5% em 12 meses e de 5,2% ante o primeiro trimestre.

O ROE (retorno anualizado sobre patrimônio líquido médio) fechou o trimestre a 20,6%, contra 21,4% do primeiro trimestre. No segundo trimestre de 2011, o Bradesco havia registrado ROE de 23,2%.

 

Contato