Em mercados

Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA vêm pior do que o esperado

Initial Claims registrou 386 mil novas solicitações na semana, contra estimativas do mercado de 375 mil novos pedidos

SÃO PAULO - O mercado de trabalho dos Estados Unidos decepcionou as expectativas dos analistas. Na semana finalizada em 13 de abril, foram observados 386 mil novos pedidos auxílio-desemprego no país, contra expectativa de 375 mil solicitações.

O Initial Claims, entretanto, mostrou melhora em relação ao período anterior, tendo sido revisado de 380 mil para 388 mil pedidos, segundo informações do Departamento de Trabalho publicadas nesta quinta-feira (19).

Já o Continuing Claims, por sua vez, que mede a manutenção do uso do auxílio-desemprego, chegou a 3,29 milhões, levemente pior do que as projeções do mercado , de 3,27 milhões e de que o resultado anterior, de 3,27 milhões.

Metodologia
Compilado pelo Departamento de Trabalho norte-americano, o Initial Jobless Claims mede o número de pedidos de auxílio-desemprego feitos pela primeira vez nos Estados Unidos. É um índice importante, pois dá uma boa ideia da situação do mercado de trabalho no país.

Um aumento do número de pedidos mostra crescimento do desemprego, o que provavelmente indica desaquecimento da economia. Por outro lado, uma queda no número de pedidos reflete uma diminuição no índice de desemprego e um bom desempenho da economia.

 

Contato