Em mercados

Preocupações com a crise europeia persistem e Ibovespa abre em queda

Benchmark cai 0,34% e quebra sequência de 6 altas seguidas; reestruturação da dívida grega pede cautela

SÃO PAULO - O Ibovespa inicia o pregão regular desta terça-feira (24) com leve desvalorização de 0,34%, aos 62.174 pontos, acompanhando o desempenho do mercado europeu, com a continuidade das preocupações de um default grego em março.

A proposta do IFF (Institute of International Finance), de receber um rendimento em cerca de 4% por novos bônus de emissão grega, foi negada pelos ministros das Finanças da região. Outro ponto de discordância reside na porcentagem de perdas a serem admitidas pelos credores privados em relação à dívida da Grécia.

PMI da Zona do Euro
Apesar dessa percepção mais negativa, o cenário econômico se apresenta melhor na Zona do Euro. Em janeiro, a prévia do PMI (Purchasing Managers’ Index) da atividade econômica da união monetária registrou avanço, aos 50,4 pontos, apesar de a produção de manufaturados ter se contraído, caindo a 48,7 pontos.

A diretora de câmbio da AGK Corretora, Miriam Tavares, acredita que após seis pregões consecutivos no campo positivo, o Ibovespa pode estar perdendo força, ao avaliar que o benchmark da bolsa brasileira já atingiu um ponto de acomodação e deve esperar a tendência em Wall Street para definir seu viés até o fim do dia.

Front corporativo
Nos Estados Unidos, a agenda de comunicados corporativos se apresenta cheia nesta data. São aguardados resultados de grandes empresas como a Kimberly-Clark, a Apple, o McDonald’s, a Harley-Davidson, o Yahoo, entre outros, referentes ao quarto trimestre de 2011.

Caso os balanços venham acima do esperado, as empresas podem dar mais sinais de que a economia norte-americana se recupera, após alguns indicadores recentes e o desempenho dos bancos no último trimestre sugerirem este caminho. Segundo Miriam, a bolsa brasileira precisa desta confirmação positiva na economia dos Estados Unidos caso queira buscar os 65.000 pontos.

Indicadores do dia
A atenção no Brasil fica voltada à Nota do Setor Externo, a ser divulgada pelo Banco Central. Entre os indicadores já revelados, está o IPCA-15 (Índice de Preços ao Consumidor - Amplo), com a prévia para janeiro avançando 6,44% no acumulado dos últimos 12 meses.

Nos EUA, ainda há o discurso do presidente Barack Obama, na Annual State of Union, no qual deve apresentar novas propostas à economia do país que governa.

Destaques do pregão
Entre as maiores quedas da carteira teórica do Ibovespa neste início de sessão, destaque para as ações da MMX Mineração (MMXM3, R$ 7,55, -1,44%), Souza Cruz (CRUZ3, R$ 21,58, -1,37%), Banco do Brasil (BBAS3, R$ 25,75, -1,34%), Santander (SANB11, R$ 16,31, -1,15%) e Duratex (DTEX3, R$ 9,60, -1,03%). 

 

Contato