Em mercados

Ibovespa abre em queda com atenções voltadas para Europa

Reunião do G-20, voto de confiança no primeiro ministro grego e indicadores econômicos estão no radar dos investidores

SÃO PAULO – Apesar do noticiário positivo da última sessão, os inverstidores do mercado doméstico mostram cautela frente às incertezas do cenário internacional, especialmente em relação à Europa e o Ibovespa inicia esta sexta-feira (4) com queda de 0,36%, aos 57.987 pontos.

Na véspera, o mercado mostrou otimismo com a decisão do BCE (Banco Central Europeu) de cortar o juro em 0,25 ponto percentual, para 1,25% ao ano, além do fato da Grécia ter repensado a realização de um referendo para a população ratificar as reformas a serem realizadas para que o país receba novas rodadas de auxílio, aliviando a pressão sobre as bolsas.

As principais bolsas ao redor do mundo operam em queda nesta manhã, com o PMI (Purchasing Managers’ Index) referente ao setor de serviços da Zona do Euro pressionando algumas perdas. O indicador foi de 48,8 pontos em setembro para 46,4 ao fim de outubro. Por volta das 11h35 (horário de Brasília), os índices de Paris e Frankfurt registravam baixas de 0,71% e 1,92%, respectivamente.

No radar dos investidores
Os dados do Relatório de Emprego norte-americano, divulgados nesta manhã, foram bem recebidos pelo mercado, mesmo ao revelar a criação de 80 mil postos de trabalho em outubro, um pouco abaixo da alta esperada de 85 mil novas vagas no período. Já a taxa de desemprego caiu 0,01 p.p e atingiu em 9,0%, ficando ligeiramente abaixo das expectativas do mercado de 9,1%

Em Cannes, na França, o G-20 tenta fechar um acordo para prover liquidez ao sistema financeiro europeu e conter a atual crise. As autoridades máximas dos países, reunidas na cúpula que termina nesta sexta, também podem decidir quanto à permanência ou não da Grécia na Zona do Euro.

Para Jason Vieira, analista da Cruzeiro do Sul Corretora, a decisão de retirar os gregos do bloco econômico já é levada em conta seriamente para evitar uma crise sistêmica. A saída, porém, fecha as portas do mercado de financiamento soberano ao país, que “fica a mercê de seus credores e certamente decretará moratória”, afirma.

Ações
Dentre as ações que são negociadas nesta manhã, destaque para os papéis da Telemar (TMAR5, R$ 50,01, -1,94%),  CPFL Energia (CPFE3, R$ 21,58, -1,91%),  CCR (CCRO3, R$ 46,70, -1,79%),  Eletropaulo (ELPL4, R$ 30,57, -1,70%) e Tim  (TIMP3, R$ 8,96, -1,54%). 

Análises
A equipe de análise da corretora Banif avalia que as atenções dos investidores estarão voltadas para o front externo, por conta da ausência de destaques na agenda interna no dia. "Apesar disso, o mercado europeu segue operando em alta, devido à expectativa de que a sequência de eventos na Grécia acabe levando à formação de um governo de coalizão nacional. Nesse sentido, o principal fato do dia na Europa será o voto de confiança no Primeiro Ministro grego. O mercado também digere os dados do Relatório de Emprego dos EUA".

Já o analista-chefe da Walpires Corretora, Leandro Martins, ressalta que o Ibovespa conseguiu reverter sua tendência negativa de curto prazo no rompimento da linha de tendência de baixa e da resistência em 55.000 pontos. “Dando continuidade à tendência positiva do mercado, o Ibovespa rompeu as resistências em 58.000 pontos e 59.600 pontos, o que sinaliza uma reversão de tendência. O índice tem como próxima resistência os 60.700 pontos”, aponta Martins.

Notícias das empresas no Brasil
No Brasil, nova rodada de resultados trimestrais trouxe as divulgações de Pão de Açúcar (PCAR4) e Minerva (BEEF3), entre outros. Enquanto a rede de supermercados registrou queda anual de 1,5% em seu lucro líquido, para R$ 133,5 milhões, o frigorífico teve perdas no resultado final de 36,5%, terminando em R$ 15,5 milhões, por conta de um resultado financeiro negativo.

 

Contato