Em mercados

Referendo grego derruba bolsas internacionais e leva Ibovespa a baixa de 1,74%

Anúncio de plebiscito para ratificar plano de resgate da Grécia desanimou investidores, levando o índice à segunda queda seguida

SÃO PAULO - Prejudicado pelo pessimismo por conta de referências gregas, o Ibovespa fechou em queda pela segunda sessão consecutiva nessa terça-feira (1), terminando o dia com desvalorização de 1,74%, aos 57.322 pontos. As quedas, no entanto, foram ameizadas no período da tarde, já que durante a manhã o benchmark da bolsa brasileira chegou a cair 3,84% quando bateu sua mínima do intraday (56.099 pontos). O giro financeiro nessa véspera de feriado nacional foi de R$ 6,235 bilhões.

O mercado reagiu negativamente à notícia de que a Grécia fará um plebiscito para ratificar o plano de resgate ao país, provavelmente no mês de janeiro, conforme anunciado pelo primeiro ministro grego, George Papandreou. Essa votação provavelmete servirá para ratificar cortes no orçamento e na previdência pouco populares junto a sindicatos, estudantes e classes trabalhadoras.

A notícia impactou no mercado que já tinha assistido à aprovação do Congresso grego das medidas demandadas pelos credores do país e os bancos privados já haviam concordado com o desconto de 50% no valor de face dos novos títulos gregos, que deverão substituir os títulos atuais.

Resultados
Algumas principais empresas da bolsa continuaram a reportar resultados nessa sessão. Destaque para o Itaú Unibanco (ITUB4), uma das empresas mais líquidas da bolsa, que reportou lucro líquido de R$ 3,80 bilhões no terceiro trimestre, 25,47% ao registrado no mesmo período no ano anterior.

Forte avanço no lucro resultado foi aferido pela TIM Participações (TIMP3), que viu essa linha de seu balanço pular 116,1% para R$ 316,63 milhões. Cielo (CIEL3) também divulgou seu balanço, mostrando lucro líquido de R$ 457,6 milhões, uma queda de 6,3% em relação ao mesmo período de 2010. 

Destaque de ações
Entre as maiores quedas da sessão, destaque para JBS (JBSS3), que recuou 8,33% aos R$ 4,73, em um aparente movimento de correção após a forte alta no mês anterior. As maiores baixas, dentre as ações que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 JBSS3 JBS ON 4,73 -8,33 -34,03 25,13M
 HYPE3 HYPERMARCAS ON 8,61 -6,82 -61,56 96,65M
 MRFG3 MARFRIG ON 7,00 -6,04 -54,49 21,58M
 DTEX3 DURATEX ON 8,80 -5,38 -40,05 30,04M
 BISA3 BROOKFIELD ON 6,25 -5,30 -25,45 15,24M

Já na ponta positiva, destaque para a forte valorização de 6,07% da Telemar Norte Leste (TMAR5), que fechou aos R$ 6,07. O avanço foi muito mais agressivo do que as outras nove altas registradas no Ibovespa nessa terça-feira. As maiores altas, dentre os papéis que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 TMAR5 TELEMAR N L PNA 49,80 +6,07 +6,22 4,48M
 CIEL3 CIELO ON 45,96 +1,01 +46,26 71,64M
 UGPA3 ULTRAPAR ON 30,88 +0,92 +21,73 17,88M
 NATU3 NATURA ON 33,70 +0,90 -25,99 33,26M
 AMBV4 AMBEV PN 57,81 +0,80 +18,68 105,75M

As ações mais negociadas, dentre as que compõem o índice Bovespa, foram:

 Código Ativo Cot R$ Var % Vol1 Vol 30d1 Neg 
 VALE5 VALE PNA 40,40 -0,98 781,50M 799,89M 24.343 
 PETR4 PETROBRAS PN 21,13 -0,89 581,41M 467,52M 29.993 
 ITUB4 ITAUUNIBANCO PN EDB 32,13 -1,77 431,65M 304,64M 20.612 
 OGXP3 OGX PETROLEO ON 13,95 -1,76 353,62M 317,13M 27.491 
 VALE3 VALE ON 43,30 -0,94 289,20M 206,62M 11.517 
 BBAS3 BRASIL ON 25,80 -0,39 208,42M 192,68M 14.602 
 BBDC4 BRADESCO PN 30,75 -0,97 192,42M 209,68M 14.010 
 ITSA4 ITAUSA PN 10,54 -1,95 160,98M 101,60M 18.545 
 PDGR3 PDG REALT ON 7,32 -3,30 150,44M 128,64M 25.979 
 GGBR4 GERDAU PN 15,12 -2,14 148,05M 116,38M 16.614 

* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão)
 

Agenda econômica
Na pauta econômica doméstica, os investidores acompanharam por aqui a Pesquisa Industrial Mensal: Produção Física Brasil, divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) que apontou queda de 2% na produção industrial em setembro.Já a FGV (Fundação Getulio Vargas) mostrou o IPC-S (Índice de Preços ao Consumidor - Semanal) da quarta quadrissemana de outubro, que marcou inflação de 0,26%.

Por fim, a balança comercial apontou superávit de US$ 2,355 bilhões no fechamento de outubro, segundo o MDIC (Ministério do Desenvolvimento da Indústria e Comércio Exterior).

Já nos EUA, o Departamento de Comércio dos Estados Unidos divulgou o Construction Spending, que decepcionou o mercado com alta inferior ao projetado. Além disso, o ISM Index, que mede o nível de atividade industrial norte-americana, também decepcionou os analistas. 

Bolsas Internacionais
Nos EUA, o índice Nasdaq Composite, que concentra as ações de tecnologia norte-americanas, fechou em baixa de 2,89% e atingiu 2.607 pontos. Seguindo esta tendência, o índice S&P 500 desvalorizou-se 2,79% a 1.218 pontos, da mesma forma, o índice Dow Jones, que mede o desempenho das 30 principais blue chips norte-americanas, caiu 2,48% a 11.658 pontos.

Na Europa, o índice CAC 40 da bolsa de Paris registrou forte baixa de 5,38% e atingiu 3.068 pontos; no mesmo sentido, o índice DAX 30 da bolsa de Frankfurt desvalorizou-se 5,00% chegando a 5.835 pontos e o FTSE 100, da bolsa de Londres, caiu 2,21% a 5.422 pontos.

Dólar
Após ter fechado outubro com sua maior queda mensal desde maio de 2009, o dólar comercial vem dando sinais de recuperação nesta semana. Depois de subir 1,11% na segunda-feira (31), a moeda norte-americana terminou esta terça-feira véspera de feriado nacional com variação positiva de 2,02%, cotado na venda a R$ 1,7375. A valorização acumulada nesses dois dias já chega a 3,15%. 

Renda Fixa
No mercado de juros futuros da BM&F Bovespa, os principais contratos fecharam sem rumo nesta sessão. O contrato de juros de maior liquidez nesta terça-feira, com vencimento em janeiro de 2013, registrou uma taxa de 10,27%, 0,01 ponto percentual abaixo do fechamento de segunda-feira.

No mercado de títulos da dívida externa, o título brasileiro mais líquido, o Global 40, fechou com queda de 0,08% em relação ao fechamento anterior, a 132,25% do valor de face.

Já o indicador de risco-País fechou em alta de 5 pontos-base, aos 232 pontos.

Agenda da próxima sessão
Embora a quarta-feira seja feriado no Brasil e a BM&F Bovespa estará fechada, o investidor poderá acompanhar importantes referências externas. Nos EUA, a referência mais importante deverá ser o comunicado do Fed após o fim da reunião de sua cúpula, onde serão decididos os próximos passos da política monetária do país, inclusive o patamar do juro básico norte-americano, atualmente entre 0% e 0,25% ao ano.

Ainda na principal economia do mundo, será publicado o ADP Employment referente ao mês de outubro, revelando o número de postos de trabalho no setor privado dos EUA. Já a EIA (Energy Information Administration) divulgará o relatório de Estoques de Petróleo norte-americano da última semana. 

 

Contato