Em mercados

Ibovespa segue em queda na esteira de indicadores econômicos internacionais

Decepções com dados nos EUA e Europa pressionam bolsa brasileira que mesmo assim deve fechar outubro como melhor mês do ano

SÃO PAULO - Em forte queda desde a abertura, o Ibovespa inicia a tarde desta segunda-feira (31) em baixa de 1,71%, com 58.492 pontos e volume financeiro de R$ 1,635 bilhão às 12h45.

Apesar da queda nesta manhã, o principal índice da bolsa brasileira caminha para fechar outubro com o melhor desempenho mensal de 2011, superando 11,00% na comparação com setembro, o pior do ano.

Em linhas gerais, o mercado assume viés negativo neste início de semana pressionado por indicadores europeus e norte-americanos que decepcionaram. No velho mundo, dados da Eurostat revelaram que o desemprego subiu de 10,1% para 10,2% no último mês, enquanto a inflação manteve-se em 3,0% em termos anualizados - superando a meta de 2,0%.

Já no EUA, a decepção ficou por conta do indicador Chicago PMI, que denota o desempenho do setor industrial na região que batiza o índice, servindo como prévia negativa para o ISM Index que será divulgado na terça-feira e descreverá o desempenho do setor em todo o país.

Sem indicadores de peso na agenda e com poucos resultados trimestrais na pauta, a bolsa brasileira se mantém diretamente influenciada pelo front externo.

Altas e baixas
O principal destaque negativo fica com as ações da MRV (MRVE3), que registram desvalorização de 4,35% e são cotadas a R$ 12,32. Com essa variação, a baixa acumulada desde o início do ano chega a -20,05%.


Por outro lado, o melhor desempenho fica com os papéis da Klabin (KLBN4), que são cotados a R$ 6,36 e apresentam alta de 2,09%, após a empresa apresentar seu resultado do terceiro trimestre nesta manhã, com prejuízo de R$ 243 milhões.

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 MRVE3 MRV ON 12,32 -4,35 -20,05 10,80M
 CYRE3 CYRELA REALT ON 15,12 -4,18 -29,36 16,69M
 RSID3 ROSSI RESID ON 11,04 -4,00 -23,74 8,55M
 PDGR3 PDG REALT ON 7,69 -4,00 -22,98 28,47M
 GFSA3 GAFISA ON 6,30 -3,67 -46,39 11,84M

As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 KLBN4 KLABIN S/A PN 6,36 +2,09 +13,38 8,82M
 LIGT3 LIGHT S/A ON 27,39 +2,01 +14,68 4,35M
 BRML3 BR MALLS PAR ON 18,81 +1,68 +11,14 12,17M
 CPFE3 CPFL ENERGIA ON 21,93 +1,53 +12,91 3,51M
 CMIG4 CEMIG PN 28,70 +1,41 +13,63 9,41M
* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão)

Bolsas internacionais
Conforme já mencionado acima, os principais índices acionários de Wall Street recuam pressionados por indicadores tanto dos EUA quanto da Europa, com quedas próximas a 1,0%. Dado que a agenda de resultados norte-americana não conta com empresas de peso, é atribuída importância ainda maior aos indicadores econômicos do dia.

Enquanto isso na Europa, as principais bolsas apresentam perdas ainda maiores, com destaque negativo para FTSE MIB (-2,86%), DAX 30 (-2,26%) e CAC 40 (-2,08%).

Juros e câmbio
As taxas dos principais contratos de juros futuros operam em queda nesta segunda-feira. Diante das projeções do mercado para os principais indicadores econômicos que ficaram praticamente estáveis na última semana segundo o Relatório Focus.

Por fim, o dólar comercial está sendo cotado a R$ 1,6910 na compra e R$ 1,6930 na venda, alta de 0,51% em relação ao fechamento anterior. 

 

Contato