Em mercados

Ibovespa recupera parte das perdas da véspera e inicia pregão em alta

Índice segue trajetória de mercados internacionais, face às expectativas positivas com relação à reunião na União Europeia

SÃO PAULO – O Ibovespa recupera parte da queda de 1,74% atingida na quinta-feira (20) ao iniciar o pregão desta sexta-feira em alta de 1,14%, aos 54.623 pontos, conforme desempenho positivo nos mercados internacionais. Tal trajetória é impulsionada pelas expectativas positivas com relação aos eventos agendados para o final de semana.

No domingo os chefes de estado dos países membros da Zona do Euro se encontrarão em Bruxelas, de modo a discutir a crise na Grécia e da região como um todo. Antes disso, a chanceler alemã Angela Merkel e o presidente francês Nicolas Sarkozy se reunirão no sábado, de modo a alinhar os discursos.

Por outro lado, as expectativas pelo anúncio de um plano já no domingo foram frustradas pela declaração do porta-voz alemão Steffen Seibert de que a reunião será dividida em duas datas, sendo a última na próxima quarta-feira – quando Merkel busca aprovação das medidas perante seu Parlamento -, data na qual deverá ser divulgado algum plano.

Ações
Os papéis que registram as maiores altas do Ibovespa nesta sexta-feira são os preferenciais da Telemar Norte Leste (TMAR5, R$ 42,80, +2,37%), da GOL (GOLL4, R$ 12,62, +2,19%), da Brasil Telecom (BRTO4, R$ 11,36, +1,97%), das ordinárias da LLX Logística (LLXL3, R$ 3,64, +1,96%) e da Lojas Americanas (LREN3, R$ 54,50, +1,89%).

Análises
O analista gráfico da Gradual Investimentos, Régis Chinchila, ressalta que o Ibovespa encerrou o pregão de quinta-feira em queda, o que mostra realização com suportes entre 53.900 e 53.300 pontos, sendo o mais relevante em 52.400 pontos. A pressão de compra somente voltará no curto prazo, com rompimento da forte resistência em 55.100 pontos", escreve em relatório. 

"Nesta manhã, as principais bolsas mundiais devolvem parte da queda registrada nos últimos dias, levadas por novas expectativas de acordo entre Alemanha e França para ampliar o fundo de resgate da região do Euro", complementa a equipe do Bradesco BBI em comentário diário.

Novos cortes?
Enquanto isso, a Standard & Poor’s alertou nesta manhã que a França, Itália, Espanha, Portugal e Irlanda podem sofrer cortes em uma ou duas notas em seus ratings caso a recuperação econômica seja precedida por uma nova recessão.

Assim, com uma agenda sem indicadores relevantes para o mercado financeiro tanto por aqui quanto nos EUA e na Europa, os eventos políticos devem centrar as atenções dos investidores.

 

Contato