Em mercados

Ibovespa abre em queda após expectativa para reunião europeia se alterar

Porta-voz de chanceler alemã e ministro de finanças dizem que não deverá haver uma solução definitiva para a crise no domingo

SÃO PAULO – O Ibovespa inicia o pregão desta segunda-feira (17) em retração de 1,0%, aos 54.481 pontos. A trajetória vai em linha com os mercados internacionais, que atravessaram uma manhã de volatilidade , iniciando-se em forte alta e mas atingindo o campo negativo momentos depois.

O otimismo inicial se deu por conta do pedido dos ministros de finanças e presidentes dos bancos centrais do G-20 para que o Conselho Europeu apresente um plano concreto de combate à crise na próxima reunião, no domingo. Entre as medidas discutidas, estaria a recapitalização das instituições financeiras e um maior envolvimento do setor privado no segundo pacote de assistência à Grécia.

Por outro lado, os ganhos foram amenizados após um porta-voz da chanceler alemã Angela Merkel alertar que uma solução definitiva para a crise no próximo domingo é uma expectativa que pode não se concretizar, já que muitos outros passos ainda devem ser tomados. O discurso está alinhado com as declarações do ministro de finanças da Alemanha, Wolfgang Schauble, de que os governos europeus não apresentarão uma solução definitiva para a crise soberana neste final de semana.

Ações
Chamam a atenção na ponta negativa do Ibovespa nesta manhã as ações ordinárias da Usiminas (USIM3, R$ 23,47, -2,61%), preferenciais da Klabin (KLBN4, R$ 5,77, -2,53%), units do Santander Brasil (SANB11, R$ 13,88, -2,18%), preferenciais da TAM (TAMM4, R$ 29,60, -2,18%) e ordinárias da Marfrig (MRFG3, R$ 7,08, -2,07%).

Análises
"Reunião do G-20 é bem vista, mas a declaração do porta-voz de Merkel de que a solução para a crise pode demorar mais que o esperado retira alta das bolsas na Europa", pondera a equipe da Fator Corretora em relatório. Já a diretora de câmbio da AGK Corretora, Miriam Tavares, ressalta que "nos próximos dias, as atenções dos investidores seguirão em torno dos problemas relacionados às dívidas na Europa e do risco de baixo crescimento da economia global", escreve.

Indústria dos EUA, balanços, inflação e PIB
Enquanto isso, nos EUA, a temporada de balanços corporativos se volta às instituições financeiras, uma vez que o Citigroup surpreendeu com um lucro líquido e receitas dos terceiro trimestre maiores do que o estimado por analistas, aos US$ 3,8 bilhões e US$ 20,83 bilhões, respectivamente. Enquanto isso, a Wells Fargo reportou ganhos em linha com as projeções, de US$ 4,1 bilhões, mas a receita falhou em atingir as perspectivas ao marcar US$ 19,6 bilhões. 

Já na agenda de indicadores norte-americanos, ainda nesta manhã serão publicados números sobre a indústria, com dados sobre a produção e a capacidade utilizada.

Por aqui, o boletim Focus revelou a alteração nas projeções para a economia, ao prever um PIB (Produto Interno Bruto) inferior no próximo ano, de 3,60%, assim como uma inflação maior, de 5,61%. Por fim, os investidores devem se atentar para o fato de que esta sessão marca o vencimento de opções sobre ações, fato que geralmente acrescenta bastante volatilidade ao pregão.

 

Contato