Em mercados

Mercados internacionais caem, pressionados por recessão e déficit na Grécia

Economia deve encolher 5,5% em 2011, ante aos 3,8% previstos em maio; ministros de finanças da Zona do Euro se reúnem

SÃO PAULO – Os mercados internacionais não mostram alívio após as fortes desvalorizações ocorridas na última sexta-feira (30) - pregão que encerrou o pior trimestre para os mercados acionários desde o período de julho a setembro de 2008 -, isso porque a Grécia retorna ao radar ao anunciar projeções piores que as previstas anteriormente.

Assim, dos índices acionários da Ásia aos principais contratos futuros sobre índices de ações nos EUA, com escala nas bolsas europeias, todos registam perdas nesta manhã de segunda-feira.

A estimativa de uma recessão grega ainda maior que a projetada em maio – de 5,5%, frente aos 3,8% estimados anteriormente – levou o ministério de Finanças a revelar uma estimativa para o déficit público de 8,5% do PIB (Produto Interno Bruto) neste ano, ante os até então 7,8%.

Para o próximo ano, o valor também foi revisto, ao passar de um número negativo de 6,5% para 6,8%. O orçamento preliminar para 2012 foi apresentado pelo ministério de Finanças no último domingo e aprovado pelo gabinete de ministros, sendo que irá à votação na Comissão de Assuntos Econômicos do Parlamento ainda nesta segunda-feira.

No entanto, os mercados também aguardam por algum pronunciamento da Troika (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional) sobre os novos números e alguma novidade relativa ao segundo pacote de ajuda financeira ao país.

Neste cenário, os encontros na Europa devem ser acompanhados com atenção. “Na sessão europeia o encontro do Eurogrupo terá papel central”, revela o Danske Research em relatório. A expectativa é que os líderes da Zona do Euro, que se encontrarão em Luxemburgo, se preparem para o desembolso da sexta parcela de empréstimo à Grécia. A ampliação do EFSF (Fundo Europeu de Estabilização Financeira) também deve ser um tema discutido, complementa a equipe do Danske.

Agenda econômica
“Além dos eventos relacionados à questão da Grécia, os players ficarão atentos à agenda de dados e decisões, que deve fornecer uma base mais sólida sobre as perspectivas para a economia no curto e médio prazos”, pondera a diretora de câmbio da AGK Corretora, Miriam Tavares, ao comentar os eventos da semana.

Para esta manhã estão previstos o ISM Index e o Construction Spending nos EUA, os quais medem o número de pedidos, produção, emprego, números de entregas e estoques nas indústrias norte-americanas, bem como os gastos públicos e privados decorrentes da construção de imóveis.

Por aqui, o IPC-S (Índice de Preços ao Consumidor – Semanal) mostrou recuo de 0,08 ponto percentual frente ao valor da semana anterior, a 0,50%, enquanto os investidores ainda aguardam pelos números do Relatório Focus.

 

Contato