Em mercados

Ibovespa inicia pregão em alta, impulsionado por indicadores nos EUA

País revê PIB do segundo trimestre para cima, a 1,3%, enquanto os pedidos de auxílio desemprego caem mais que o estimado

SÃO PAULO – O Ibovespa dá início ao pregão desta quinta-feira (29) marcando uma alta de 1,23%, aos 53.930 pontos, após dados econômicos nos EUA surpreenderem positivamente as expectativas do mercado.

O governo norte-americano revelou a revisão para cima do PIB (Produto Interno Bruto) referente ao segundo trimestre, passando de 1,0% para 1,3%. Do mesmo modo, o número de pedidos de auxílio desemprego na última semana também surpreendeu o mercado, cuja expectativa de 419 mil foi superada pelos 391 mil pedidos no período, inferior aos 428 mil da semana anterior. 

No entanto, os investidores devem continuar atentos ao cenário europeu, uma vez que a Troika (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional) retorna à Grécia para avaliar se o país cumpre com as metas fiscais e, assim, torna-se elegível para receber o empréstimo de € 8 bilhões ou não.
Enquanto isso, o parlamento da Alemanha aprovou a expansão do EFSF (Fundo Europeu de Estabilização Financeira). Caso aprovado pelos outros países membros da Zona do Euro, o fundo de resgate terá mais flexibilidade ao atuar para recapitalizar bancos e atuar no mercado secundário. No entanto, notícias recentes questionam se o montante do fundo será o suficiente.

Ações
Os papéis que ocupam o topo do Ibovespa são os ordinários da Brasil Ecodiesel (ECOD3, R$ 0,61, +3,39%), da Embraer (EMBR3, R$ 11,95, +3,11%), da Hering (HGTX3, R$ 32,75, +2,63%), da Duratex (DTEX3, R$ 8,96, +2,40%) e da Brookfield (BISA3, R$ 5,70, +2,33%).

Análises
O analista gráfico da Gradual Invetimentos, Régis Chinchila, indica que o Ibovespa, ao fechar em queda na véspera, não mostrou força compradora para romper a resistência de 55.100 pontos. "O movimento de acumulação segue nesse momento entre a faixa de 55.100 e 51.900 pontos", escreve em relatório.

Enquanto isso, a equipe da Planner Corretora revela que os mercados permanecem na expectativa por um acordo financeiro à Grécia. "Depois do nervosismo da última hora do pregão de ontem, esperamos o Ibovespa operando no mesmo ritmo hoje, considerando que o acordo final para o apoio financeiro ainda não foi fechado até esta manhã", argumenta em comentário diário.

Projeções no Brasil se deterioram
No entanto, por aqui o Banco Central revelou a alteração nas projeções ao prever um PIB de 3,5% neste ano, face aos 4% estimados anteriormente. Já a perspectiva para a inflação é de 6,4% ao final deste ano, próximo ao teto da meta, de 6,5%. Nesse sentido, o IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado) mostrou aceleração em setembro, ao avançar 0,21 ponto percentual frente a agosto, a 0,65%.

Por fim, na Europa, a confiança dos empresários e dos consumidores na Zona do Euro recuou para o menor nível desde dezembro de 2009, frustrando as expectativas dos analistas ao cair de 98,4 pontos para 95,0 pontos em setembro. 

 

Contato