Em mercados

Ibovespa inicia pregão em alta, conforme mercados internacionais

No entanto, temores com relação à divida da Grécia permanecem em foco; expectativa para a inflação em 2011 cai novamente

SÃO PAULO - O Ibovespa inicia o pregão desta segunda-feira (27) no campo positivo, com uma variação de 0,33%, aos 61.219 pontos, após o índice registrar queda de 0,28% na sessão anterior. Apesar dos temores com a crise da dívida grega permanecerem em foco, os índices de ações nos mercados internacionais também ensaiam uma leve alta nesta manhã.

No entanto, os investidores devem continuar atentos à Grécia, uma vez que, em meio a uma onda de greves marcadas para esta semana, o parlamento grego votará na quarta-feira um pacote de medidas de austeridade fiscal, o qual inclui redução de salários e privatizações. Caso aprovado, o empréstimo de € 12 bilhões deve ser concedido ao país, além de um possível novo resgate financeiro. 

Por aqui, o relatório Focus indicou mais uma queda nas projeções para a inflação neste ano, agora aos 6,16%. Do mesmo modo, o IPC-S (Índice de Preços ao Consumidor - Semanal) registrou uma deflação de 0,15% na terceira semana de junho, valor 0,17 ponto percentual inferior ao observado na semana anterior. Para o restante do dia, o Banco Central ainda deverá divulgar a nota do setor externo.

Ações
As ações que se destacam no campo positivo do Ibovespa nesta sessão são as ordinárias da Brasil Ecodiesel (ECOD3, R$ 0,69, +1,47%), da Souza Cruz (CRUZ3, R$ 19,68, +1,29%), preferenciais da Transmissão Paulista (TRPL4, R$ 50,42, +1,20%), ordinárias da Cyrela Realty (CYRE3, R$ 15,02, +1,14%) e ordinárias da ALL América Latina (ALLL3, R$ 12,89, +1,10%).

Análises
Segundo o analista gráfico da Gradual Investimentos, Régis Chinchila, o índice Bovespa continua sem mostrar força na recuperação, sendo que possui as marcas de 61.600 pontos e de 62.000 pontos como resistências imediatas. "O movimento principal continua sendo de queda, operando dentro do canal de baixa, com suporte intermediário em 60.800 e apoio principal na faixa de 60 mil pontos", escreve em comentário diário.

Enquanto isso, o head de análise da Ágora Corretora, Marco Melo, revela a expectativa por uma semana marcada por mais volatilidade, uma vez que a intensa agenda de indicadores econômicos se mistura com uma rodada de importantes negociações para a suavização da crise europeia e de sua repercussão global, escreve em relatório.

Números nos EUA
Enquanto isso, os EUA também divulgaram alguns dados nesta manhã. O núcleo do PCE (Personal Consumption Expenditure) para junho, tomado como a medida oficial da inflação, registrou alta de 0,3% em maio, frente às expectativas de 0,2%. Além disso, a renda dos norte-americanos teve um incremento de 0,3%, 0,1 ponto percentual abaixo das projeções, ao passo que os gastos dos consumidores não se alteraram na passagem mensal, frustrando as perspectivas de um incremento de 0,1%.

 

Contato