NFTs

NFTs entram na mira de associações bancárias chinesas

Com o aquecimento do mercado, os NFTs estão cada vez mais sob escrutínio na China

Por  CoinDesk -

Em declaração publicada nesta quarta-feira, a associação de financiamento de internet, a associação bancária, a associação de valores mobiliários da China querem “decididamente refrear” o financiamento e a titularização de tokens não fungíveis (NFTs), bem como limitar o risco de atividades financeiras ilegais relacionadas a tokens.

Há quase um ano, duas dessas três agências autônomas deram início a uma das mais severas sanções na China até o momento quando informaram a seus membros que estavam proibidos de fazer negócios com empresas de criptomoedas. Alguns dias depois, o Conselho de Estado — a principal autoridade administrativa chinesa — exigiu sanções à mineração e ao trading de criptomoedas.

Na declaração de hoje, as três associações afirmaram que NFTs têm o potencial de promover “a digitalização de indústrias e industrialização digital”, mas advertiu quanto aos riscos financeiros associados à propaganda exagerada de ativos, lavagem de dinheiro e outras atividades financeiras ilegais.

Leia também:

No passado, as autoridades chinesas apontaram os riscos financeiros que resultam de trading especulativo como razões para essas sanções mais abrangentes às criptomoedas.

As associações listaram seis comportamentos que devem ser seguidos: NFTs não representam ativos subjacentes, como valores mobiliários ou metais preciosos; a não fungibilidade de tokens não deve ser enfraquecida através de métodos como divisão, para que o mecanismo de distribuição não mude; não deve ser oferecido trading centralizado; a precificação e o pagamento de transações de NFTs não devem incluir criptomoedas; as plataformas devem determinar, de início, normas de autenticação com nome verdadeiro e anti-lavagem de dinheiro; não deve ser oferecida assistência financeira para investimentos em NFTs.

  • Assista: Ethereum 2.0: o que esperar da atualização mais aguardada da história das criptomoedas

Apesar dos esforços chineses anticriptomoedas, NFTs continuam sendo emitidos por grandes empresas e até agências governamentais.

Em outubro do ano passado, a Ant Group e a Tencent, duas das maiores empresas de tecnologia da China, trocaram o nome de seus produtos NFTs para “colecionáveis digitais”, provavelmente para se distanciar dos tokens não fungíveis e da propaganda associada ao mercado.

Periodicamente, a imprensa estatal e as autoridades locais emitem avisos sobre o mercado de NFTs.

A declaração de hoje também apelou para os consumidores se protegerem ao estabelecer o “conceito correto de consumo”, resistindo aos investimentos especulativos e se distanciando de atividades financeiras ilegais.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe