Destaques da bolsa Ações de Petrobras, Vale e siderúrgicas caem seguindo commodities em meio à cautela com acordo comercial

Ações de Petrobras, Vale e siderúrgicas caem seguindo commodities em meio à cautela com acordo comercial

Na esteira do front externo, ações do setor bancário recuam forte na Bovespa

Temor de recessão cresce e Santander lidera perdas, seguido por Itaú Unibanco e Bradesco; small caps não escapam

SÃO PAULO – De mãos dadas com as perdas dos bancos em Wall Street e na Europa, as ações do setor bancário terminaram o pregão em forte queda na bolsa brasileira nesta quinta-feira (18). Santander (SANB11; -4,87%, R$ 14,46), Itaú Unibanco (ITUB4 -4,05%, R$ 27,68), Bradesco (BBDC4 -3,93%, R$ 26,90) recuaram mais do que os 3,52% de queda aferidos pelo Ibovespa. Vale mencionar que o Banco do Brasil (BBAS3-2,59% R$ 25,20) foi a unica dessas instituições listadas no índice que caiu menos do que o índice. 

As fortes perdas também são visíveis dentre os bancos de menor expressão e que possuem menor volume negociado como Banco Daycoval (DAYC4 -2,45%, R$ 7,95), Banco Indusval (IDVL4 -5,54%, R$ 6,65), Banco Pine (PINE4 -4,78%, R$ 9,95), Banco Sofisa (SFSA4 -3,87%, R$ 2,98) e Paraná Banco (PRBC4 -2,88%, R$ 10,10).

Recessão no radar
Em linhas gerais pode se atribuir as perdas à crescente percepção de que a economia global, especialmente EUA e Europa, encontram-se de fato à beira da recessão, conforme previsto pelo Morgan Stanley. Naturalmente, as projeções de resultados corporativos futuros são afetadas, o apetite ao risco cai o mercado de ações como um todo perde força, sendo o setor financeiro um dos mais expostos à este cenário.

PUBLICIDADE