MRV&Co tem vendas recorde no 2º trimestre, de R$ 2,5 bilhões na incorporação

O programa habitacional Minha Casa, Minha Vida foi um grande impulsionador dos resultados em conjunto com outros programas de subsídios a moradia

Reuters

Publicidade

O segmento de incorporação do grupo MRV&Co (MRVE3) registrou uma expansão de 14% nas vendas líquidas do segundo trimestre na comparação com mesmo período do ano passado, para um volume recorde de R$ 2,5 bilhões, conforme prévia operacional divulgada nesta quarta-feira (10).

O segmento, que inclui as marcas MRV e Sensia, teve alta tanto no volume de vendas no trimestre encerrado em junho (+2,8% na base anual), para 10,1 mil unidades, quanto de lançamentos (+73% ano a ano) no mesmo período, para 9 mil unidades.

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas 

Continua depois da publicidade

O valor médio de cada unidade vendida foi de R$ 251 mil, crescimento de 10,9% sobre um ano antes.

Para o diretor financeiro da MRV&Co, Ricardo Paixão, o resultado do segundo trimestre reforça a confiança da empresa em cumprir com as projeções estabelecidas neste ano. A MRV&Co, que contempla, além da incorporação, as marcas Urba, Luggo e Resia, projetou lucro líquido de até R$ 290 milhões em 2024 para sua unidade MRV Incorporação.

“A taxa de absorção dos produtos que a gente tem colocado para o mercado tem sido altíssima. Isso nos traz muita confiança de que a gente está no caminho correto para poder alcançar o nosso guidance“, disse o executivo à Reuters.

Continua depois da publicidade

Leia também: Construtoras: 2 ações para comprar e 2 para ficar longe após o 1T24, segundo Goldman

A geração de caixa ajustada nos meses de abril a junho foi de R$ 9,2 milhões na incorporação, contra consumo de R$ 161,5 milhões no mesmo período do ano passado.

Segundo o CFO, o impulso no setor do programa habitacional Minha Casa, Minha Vida, aliado a outros programas de subsídios a moradia adicionais, ainda não chegou ao seu “platô”.

Continua depois da publicidade

“Vai continuar subindo”, afirmou. “Os estados entenderam que essa política pública de habitação onde eles financiam parte imóvel é muito mais efetiva… Então, acho que essa deve ser a pegada que a gente vai continuar vendo daqui para frente.”

Ele também observa que o cliente Minha Casa, Minha Vida, responsável pela compra de 85% dos imóveis vendidos da MRV, não será diretamente impactado pela interrupção no ciclo de queda da Selic, já que o programa conta com taxas de juros especiais aos beneficiários.

“A taxa de juros dele (cliente MCMV) é independente da taxa de juros de mercado.”