Moradores de Porto Velho são os que pagam a mais alta tarifa de água do País

Capital onde a tarifa é de R$ 2,20/mil litros tem o menor número de pessoas atendidas pelo abastecimento de água

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – As capitais Porto Velho (RO), Manaus (AM) e Porto Alegre (RS) apresentam as maiores tarifas médias de água praticadas no País. A informação faz parte do estudo “Abastecimento de água e esgotamento sanitário nas capitais brasileiras”, realizado pelo ISA (Instituto Socioabiental) e que será divulgado na íntegra no próximo dia 21.

Os números mostram que Porto Velho – onde a tarifa é de R$ 2,20/mil litros – é a capital brasileira que tem o menor número de pessoas atendidas pelo abastecimento de água, com apenas 30,6% dos seus moradores tendo acesso ao serviço.

Já em Manaus, onde a tarifa é de R$ 2,15/mil litros, 85,7% da população possui acesso ao serviço. Em Porto Alegre – onde 99,5% das pessoas são atendidas pelo abastecimento de água – o valor da tarifa é de R$ 2,03, também por mil litros.

São Paulo

Já a capital paulista aparece em nono lugar na lista de tarifas mais caras, com R$ 1,91/ mil litros. A cidade ficou atrás de Campo Grande (R$ 1,97), Aracaju (R$ 1,94), Curitiba (R$ 1,94), Florianópolis (R$ 2,01), Vitória (R$ 2,00), além das três mais caras: Porto Velho, Manaus e Porto Alegre.

A pesquisa revelou ainda que, na cidade de São Paulo, 90% da população é atendida pelo abastecimento de água. Em Campo Grande, esse número cai para 85,5%.

Já em Aracaju (97%), Curitiba (99,7%), Florianópolis (92,9) o número fica próximo da totalidade, mas só atinge 100% em Vitória.

Consumo e desperdício

Ainda de acordo com o estudo, apenas quatro capitais brasileiras estão dentro da média recomendada pela ONU para o consumo diário por habitante, que é de 110 litros: Teresina, com 106 litros/hab/dia; Manaus, com 93 litros/hab/dia; Recife, com 91 litros/hab/dia e Maceió, com 89 litros/hab/dia.

Entre as que mais consomem, são citadas Vitória, com 236 litros/hab/dia, Rio de Janeiro (226 litros/hab/dia), São Paulo (221 litros/hab/dia) e Porto Alegre (194 litros/hab/dia).

Quando analisado o desperdício de água, a pesquisa aponta que Porto Velho apresenta a maior perda de água, já que 78,8% da produção diária de água é desperdiçado. Em seguida, aparecem Rio Branco, com 74,6% de perda, Manaus, com 72,5%, e Macapá, com 71%.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Entra as que menos desperdiçam, destaque para Brasília, que perde 27,3% da produção diária, São Paulo (30,8%) e Goiânia (32,2%).

Compartilhe