Bombou

Moonbirds: coleção de NFTs de corujas registra US$ 200 milhões em vendas na estreia

Apesar da cifra milionária, o projeto, lançado pela PROOF Collective, é alvo de controvérsias

Por  CoinDesk -

A Moonbirds, nova coleção de tokens não fungíveis (NFTs) de PFPs (sigla em inglês para fotos de perfis), cativou o universo cripto no fim de semana. Com um volume de negociação recorde, o projeto conquistou o status de blue chip apenas alguns dias após ser criado no sábado (16).

Composta por 10 mil artes digitais de corujas, a Moonbirds acumulou 69.000 Ethereum (ETH), aproximadamente US$ 207 milhões, em vendas totais. O preço mínimo de um token era de 21,3 ETH (aproximadamente US$ 64.000) no momento da redação deste texto.

A estreia colocou o projeto no topo da tabela de classificação de volume do OpenSea, marketplace de NFTs, não apenas no ranking da semana, mas no dos últimos 30 dias, à frente das coleções Azuki (50.000 ETH) e Bored Ape Yacht Club (35.000 ETH).

O hype histórico para as fotos de corujas veio com alguma precedência – o projeto é o primeiro da PROOF Collective, uma comunidade privada de NFTs liderada pelos empresários Kevin Rose e Ryan Carson.

O grupo comercializou a Moonbirds como “o PFP oficial da PROOF”, e os membros detentores do cartão de sócio da PROOF Collective (o mais barato atualmente listado custa 99 ETH) receberam privilégios na hora da compra.

Controvérsias

O lançamento do projeto veio com alguma controvérsia. Houve reclamações sobre o preço inicial dos tokens (2,5 ETH, aproximadamente US$ 7.500), acusações de manipulação e preocupações de que líderes da Moonbirds estariam comprando edições raras de tokens usando conhecimento interno.

De maneira mais geral, a ascensão meteórica da coleção contrasta com um mercado de NFTs oprimido, no qual muitos dos principais projetos tiveram uma calmaria ou queda acentuada nas vendas nas últimas semanas.

Roadmap da coleção Moonbirds

Os detentores de tokens Moonbirds têm acesso a “drops relacionados ao Moonbird”, encontros e eventos, bem como ao canal privado da PROOF no Discord, de acordo com o site do projeto.

A PROOF também tem seu próprio metaverso em andamento, que está chamando de “Projeto Highrise”. Os criadores vêm incentivando os participantes a segurar seus NFTs para que possam ser usados no futuro.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe