Magda estreia como CEO da Petrobras com petroleiros em estado de greve e manifestação

De acordo com o coordenador-geral da FUP, Deyvid Bacelar, apesar de estar confiante na gestão da executiva, há necessidade de atenção urgente à agenda interna da categoria

Estadão Conteúdo

Magda Chambriard (Foto: Agência Brasil)
Magda Chambriard (Foto: Agência Brasil)

Publicidade

A presidente da Petrobras (PETR4), Magda Chambriard, vai enfrentar, em sua primeira semana de gestão, o estado de greve aprovado esta semana pelos empregados da estatal associados à Federação Única dos Petroleiros (FUP). A entidade prepara um ato no próximo dia 29, em frente à sede, no Rio de Janeiro, além de paralisações nas bases operacionais e demais bases administrativas da Petrobras e subsidiárias.

De acordo com o coordenador-geral da FUP, Deyvid Bacelar, apesar de estar confiante na gestão da executiva, aprovada nesta sexta-feira, 24, como presidente da estatal, há necessidade de atenção urgente à agenda interna da categoria petroleira, para soluções de problemas estruturantes do plano de previdência e do plano de saúde, além de outros temas, como o novo plano de cargos e salários e reposição de efetivo.

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de crescimento para os próximos meses e anos

Continua depois da publicidade

“Esperamos que a nova gestão da companhia preze pelo respeito e bom relacionamento com o movimento sindical e os trabalhadores”, afirmou Bacelar em nota.

O sindicalista ressaltou que as ideias de Chambriard vão ao encontro de propostas defendidas pela Federação, principalmente em relação ao fortalecimento da indústria naval nacional, com contratações de embarcações no Brasil, além de conteúdo local, ampliação do parque de refino e apoio ao setor de fertilizantes.