Balanço do setor elétrico

Lucro da Energisa (ENGI11) cai 6,3% para R$ 863,9 milhões no terceiro trimestre

As vendas de energia da companhia cresceram no período, mas também houve aumento de custos operacionais

Por  Mitchel Diniz

SÃO PAULO – O lucro líquido da Energisa (ENGI11) no terceiro trimestre de 2021 ficou em R$ 863,9 milhões, uma queda de 6,3% em relação ao mesmo período do ano passado.

O lucro líquido ajustado para efeitos não recorrentes  foi de R$ 820,1 milhões, 30,2% maior que o terceiro trimestre de 2021.

A receita operacional líquida da empresa foi de R$ 6,6 bilhões, com um aumento de 53,5% na base anual. Os custos e despesas controláveis avançaram 37,5% entre os períodos, para R$ 708,6 milhões.

O Ebitda (lucro antes de juros, depreciações e amortizações) totalizou R$ 1,75 bilhão entre julho e setembro deste ano, com alta de 38,0% em relação aos R$ 514,3 milhões de igual período em 2020.

As vendas de energia cresceram 2,4%, atingindo 9,1 GWh. “Contribuiu para a alta no consumo de energia elétrica o aumento das flexibilizações sanitárias, em meio ao avanço da vacinação no país, além do clima seco, sobretudo nas regiões de concessão do Nordeste”, diz o texto que acompanha os resultados.

Segundo a Energisa, a maioria das distribuidoras superaram o patamar pré-pandemia.

Os custos operacionais controláveis (PMSO) da empresa cresceram 24,4% no trimestre, para R$ 133,9 milhões, frente à baixa base de comparação dos custos operacionais no mesmo período do ano passado. Em 2020, esses custos foram reduzidos em função de medidas excepcionais do início da pandemia da Covid-19.

Aprenda a transformar a Bolsa de Valores em fonte recorrente de ganhos. Assista a aula gratuita do Professor Su e descubra como

Compartilhe