Destaques da Bolsa

Kroton sobe pelo 6º dia, Santander descola de bancos; Usiminas cai mais de 2%

Confira os principais destaques de ações da Bovespa nesta sexta-feira

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O Ibovespa fechou em queda pelo segundo pregão seguido, em dia de poucas altas na Bovespa. No índice, apenas 7 das 66 ações que o compõe subiram mais de 1% nesta sexta-feira (12). Entre elas, as units do Santander destoaram do restante dos bancos. A Embraer liderou os ganhos do dia em meio à possibilidade de vender aviões para a TAP.

Do lado negativo, Natura caiu forte pelo terceiro pregão e figurou entre as maiores perdas do Ibovespa, acompanhada por Pão de Açúcar, que recua pelo segundo dia. Entre as quedas, destaque também para as ações das educacionais, que recuam depois de fortes dias de ganhos em meio a notícias sobre o Fies, e as construtoras.

Confira os principais destaques da Bovespa nesta sexta-feira:

Aprenda a investir na bolsa

Petrobras (PETR3, R$ 14,18, +0,21%; PETR4, R$ 12,93, -0,23%)
A ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) publicou nesta sexta-feira o pré-edital e a minuta do contrato de concessão da 13ª Rodada de Licitações de áreas exploração e produção de petróleo e gás natural, prevista para ocorrer em 7 de outubro. Conforme consta em resolução, serão licitados 266 blocos exploratórios, dos quais 182 localizados nas bacias terrestres do Amazonas, Parnaíba, Recôncavo e Potiguar, além de 84 nas bacias marítimas de Sergipe-Alagoas, Jacuípe, Espírito Santo, Campos, Camamu-Almada e Pelotas.

Ainda no noticiário da estatal, a gestora do megainvestidor George Soros informou o mercado que se desfez de toda a posição que tinha sobre a Petrobras, a Embraer (EMBR3) e TIM Brasil (TIMP3). Desta forma, o bilionário retirou todos os recursos que estavam investidos no Brasil. 

Educacionais
Depois de indicarem dia de correção após os forte ganhos dos últimos dias, as ações do setor educacional se recuperaram durante a tarde em dia de mau humor no mercado. Os papéis da Kroton (KROT3, R$ 12,50, +0,40%) tiveram a sexta alta seguida. Otimismo também foi visto nas ações da Estácio (ESTC3, R$ 20,60, +0,24%). Fora do índice, enquanto as ações da Seer Educacional (SEER3, R$ 14,58, -1,02%) tiveram movimento de corrção após quatro sessões de ganhos, os papéis da Anima Educação (ANIM3, R$ 22,99, +0,17%), subiram pelo quinto pregão seguido.

No período, a Estácio foi a ação que mais subiu (13%), seguida pela Ser, com alta de 10%. Os papéis foram beneficiados por anúncios nesta semana do Ministério da Educação de que reabrirá o Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) no segundo semestre e priorizará as regiões Norte e Nordeste, com forte atuação da Ser. 

Bancos
Os bancos voltam ao inferno astral desde a metade de maio em meio ao aumento do tributo sobre o lucro líquido e caíram por mais uma sessão: Itaú Unibanco (ITUB4, R$ 33,20, -1,04%), Bradesco (BBDC3, R$ 26,57, -0,45%; BBDC4, R$ 27,77, -1,87%) e Banco do Brasil. A exceção entre os bancos grandes foi o Santander (SANB11, R$ 16,36, +1,61%), que subiu pelo terceiro pregão seguido.

No radar dessas instituições, ainda segue a notícia de quem irá comprar o HSBC Brasil. Segundo fonte do governo disse à Reuters, a compra da subsidiária brasileira HSBC por Itaú e Bradesco enfrentaria maiores restrições devido às participações de mercado dessas instituições no Brasil.

PUBLICIDADE

Quem tem mais a ganhar com o HSBC: Itaú, Bradesco ou Santander?   

Vale (VALE3, R$ 21,16, -0,80%; VALE5, R$ 17,88, -0,78%
Depois de dois pregões de ganhos, as ações da Vale caíram nesta sexta-feira. A produção de minério de ferro da China caiu 9,9% em maio ante o mesmo mês de 2014, para 117,66 milhões de toneladas, informou nesta sexta-feira o departamento de estatísticas do país. Mas a produção de minério de ferro subiu 13% ante o volume produzido em abril deste ano.

Acompanharam o movimento negativo da mineradora as ações da Bradespar (BRAP4, R$ 11,86, -0,75%), holding que detém participação na Vale.

Siderúrgicas
As siderúrgicas acompanham o dia negativo no mercado e caíram forte: 
Usiminas (USIM5, R$ 4,70, -2,49%) e Gerdau (GGBR4, R$ 8,60, -1,26%). A exceção ficou com os papéis da CSN (CSNA3), que fecharam estáveis a R$ 6,13. 

A Gerdau fez hoje em Nova York o Gerdau Day para investidores e analistas. Antes da reunião, o CEO (Chief Executive Officer) da empresa falou à Bloomberg. Para André Gerdau Johannpeter, as exportações do minério de ferro não são viáveis a preços atuais. Ele acredita que os preços da commodity precisaria ir a faixa entre US$ 85 a US$ 90 a tonelada para viabilizar as exportações. Gerdau vê “quedas grandes” no consumo na maioria dos segmentos, reforçando que o Brasil passa por ambiente desafiador. “As medidas de austeridade são necessárias”, comentou. 

Em teleconferência realizada no início de maio por ocasião da divulgação do balanço do primeiro trimestre, o presidente da companhia, André Gerdau Johannpeter, afirmou que alguma melhora na demanda de aço no Brasil deverá acontecer no segundo semestre do ano, mas “nada muito grande”.

Frigoríficos
As ações da Marfrig (MRFG3, R$ 4,09, +0,99%) e Minerva (BEEF3, R$ 10,45, +2,55%) seguiram o movimento de alta da véspera, após sinalizarem movimento de correção no intraday. Para o BTG Pactual, as ações reagiram bem ontem por conta da possibilidade do fim do embargo americano. Nesse caso, comentam os analistas, a Minerva seria a empresa com o maior impacto positivo, seguido de Marfrig (impacto menor) e JBS (impacto neutro: bom para operações do Mercosul, mas ruim para operações americanas). 

Cetip (CTIP3, R$ 33,58, +0,99%)
Dados operacionais de maio saíram ontem e mostraram “mais do mesmo”: bons números da unidade de TVM (Títulos e Valores Mobiliários), mas GRV (unidade de financiamento de veículos) ainda muito fraca, comentou o BTG Pactual. 

PUBLICIDADE

Cielo (CIEL3, R$ 41,41, -0,60%)
Depois de uma disparada sem motivo aparente na quarta-feira (+6%), as ações da Cielo caíram quase 3% ontem e deram sequência às perdas hoje.

O movimento ocorre após o Banco Central ter publicado um relatório, na quinta-feira, sobre meios de pagamentos, junto com uma base de dados sobre a indústria até 2014. O relatório mostra que o BC não está 100% satisfeito com o mercado, mas mostra também uma postura mais amigável ao mercado, indicando que só tomarão medidas regulatórias se ou quando o mercado não se ajustar sozinho, comentou o BTG Pactual hoje. O BTG Pactual destaca, no entanto, que tanto o relatório quanto os números não alteram sua visão positiva para a Cielo, que continua com recomendação de compra. 

Sobre a base de dados, os números mostram que volumes desaceleraram, de um CAGR de 2009 a 2013 de 20% para +14% em 2014 na comparação anual, com o débito crescendo mais que crédito.

Via Varejo (VVAR11, R$ 14,91, -3,62%)
A Via Varejo foi rebaixada para market perform (desempenho em linha com a média) pelo Itaú BBA.

Além disso, a companhia foi rebaixada de compra para manutenção pelo Santander em relatório revisando o setor de varejo. Ao mesmo tempo, o banco manteve recomendação de compra para as ações da Lojas Americanas (LAME4, R$ 16,75, -0,83%), Raia Drogasil (RADL3, R$ 37,00, +2,35%) e Pão de Açúcar (PCAR4, R$ 81,29, -2,52%).

CPFL Energia (CPFE3, R$ 19,30, -0,52%)
A CPFL Energia teve sua recomendação rebaixada de compra para neutra pelo Goldman Sachs nesta sexta-feira.  

Triunfo (TPIS3, R$ 3,70, +7,25%)
A Triunfo comunicou que seu conselho de administração aprovou ontem a contratação de empréstimo-ponte de R$ 200 milhões para a 3ª emissão de debêntures de sua controlada Portonave, um terminal portuário inaugurado em outubro de 2007 na cidade de Navegantes (SC), no qual a companhia tem participação de 50%. 

Nesta semana, a companhia também havia comunicado que o conselho aprovou uma captação de R$ 83 milhões para recompor o caixa da empresa, através da emissão de Cédula de Crédito Bancário, com prazo de vencimento de 15 meses.

PUBLICIDADE

Nos últimos 12 meses, as ações da companhia caíram 53,74% enquanto o Ibovespa recuou 2,6%, em função das preocupações dos investidores em relação ao aumento de juros e a redução do PIB (Produto Interno Bruto), variáveis fundamentais para o desempenho das empresas do setor de concessões, comentou a Planner Corretora nesta sexta-feira. 

Embraer (EMBR3, R$ 24,14, +2,94%)
A Embraer apareceu entre os poucos ganhos do dia. Segundo informações do Valor, a companhia disse que está animada com a possibilidade de vender E-Jets para portuguesa TAP, adquirida ontem pelo consórcio Gateway, integrado pelo empresário David Neeleman, dono da brasileira Azul. A TAP tem 77 aviões, sendo 61 Airbus e oito aeronaves da Embraer. 

Vale mencionar que entre as posições que o megainvestidor George Soros se desfez no Brasil, conforme informado ontem à SEC (Securities and Exchange Commission), estão ações da Embraer. 

Oi (OIBR4, R$ 6,21, +0,16%)
A Oi vai recomprar até 333,1 milhões de euros em oferta por títulos com vencimentos em 2016 e 2017. A companhia aceitou 173,7 milhões em ofertas preferenciais e 141,4 milhões de euros em ofertas não-preferenciais, segundo o comunicado da empresa. 

Na quinta-feira, a operadora de telefonia captou 600 milhões de euros em bonds para 2021. Segundo Flavio Guimarães, diretor-financeiro da Oi, a captação é parte de uma estratégia mais ampla para melhorar perfil de dívida da empresa. “Temos trabalhado para mostrar aos investidores as melhorias feitas dentro da companhia, e a emissão representa nosso retorno ao mercado de capitais”, disse, em entrevista à Bloomberg. 

No radar da companhia ainda, a ação da Pharol, ex-Portugal Telecom SGPS, chegou a cair 7% para uma mínima histórica nesta sexta-feira, penalizada pelas fracas perspectivas de recuperar a dívida da Rioforte e expectativa de dificuldades operacionais na operadora Oi, da qual é a maior acionista. 

A Pharol tem como principal ativo uma participação de 27,5 por cento na Oi. Detém ainda os cerca de 900 milhões de euros de dívida em ‘default’ da Rioforte, do falido Grupo Espírito Santo, e opções de compra sobre 47,4 milhões de ações ordinárias da Oi e 94,9 milhões de ações preferenciais.